Acompanhe nas redes sociais:

19 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 912 / 2017

15/03/2017 - 10:20:38

A máfia do carimbo

Da Redação

1 - Os cartórios de Alagoas elevaram em 30% todas as suas taxas, chegando, em alguns casos, ao estratosférico aumento de 10.000% em relação à tabela vigente até então. É o caso da taxa de registro de condomínio, que é cobrado das construtoras e repassado aos compradores desses imóveis.

2 – Para tanto, adulteraram uma resolução do Tribunal de Justiça, de junho de 2016, que estabelecia novos parâmetros de cobrança dos serviços cartoriais e mantinha um teto que limitava a cobrança da taxa de registro de imóveis.

3 - Indignado com a fraude, o TJ revogou os aumentos e incumbiu a Corregedoria de Justiça de analisar o processo para depois discutir uma nova tabela de preço dos atos cartoriais. Mas os cartórios não se intimidaram e partiram para o contra ataque.

4 – Preocupada em faturar cada vez mais a Anoreg – entidade que defende os interesses dos cartórios – entrou com um mandado de segurança coletivo pedindo o retorno imediato do aumento e ganhou uma liminar em plena sexta-feira de carnaval. A má notícia pegou os alagoanos ainda de ressaca.

5 – A má-fé e ganância dos donos de cartórios foram tão explícitas nessa ação cautelar que dois magistrados caíram fora do processo. Tutmés Airan e Elisabeth Carvalho não enxergaram razões para tanta pressa das serventias em aumentar suas taxas, mas o desembargador Celyrio Adamastor viu a excrescência por outro ângulo e concedeu a liminar, que certamente terá vida longa.  

6 – Com esses novos valores aprovados, o estado mais pobre do Brasil volta a liderar o ranking das maiores taxas cartoriais do país, perdendo até mesmo para São Paulo, o estado mais rico do Brasil. E viva Alagoas!

Calote amargo

A compra da Usina Sinimbu, pela Cooperativa dos Usineiros, terminou em calote e pode acabar em tragédia. Além de não pagar aos ex-donos da indústria, a Cooperativa também não quitou as dívidas da usina nem honrou compromisso com os trabalhadores. Desesperada, a família do usineiro falido ameaça pegar nas armas e ir às últimas conseqüências. O recado chegou aos ouvidos dos caloteiros, que assustados, evitam sair às ruas temendo represália. 

Novo round

A Justiça substituiu os gestores da massa falida do Grupo João Lyra por um escritório de consultoria de Pernambuco especializado em falências. Ponto para os herdeiros de JL que, há muito, vem lutando para derrubar o administrador judicial da massa falida da Laginha, João Daniel Marques Fernandes.  No mesmo despacho, o juiz Leandro de Castro Folly também afastou o gestor judicial Luiz Henrique da Silva Cunha e o perito Joel Ribeiro dos Santos Júnior.

Aposentadoria   de governador

Levantamento feito pelo G1 (Portal da TV Globo) revela que 16 Estados gastam mais de R$ 35 milhões por ano com pagamento de pensões de ex-governadores e viúvas. O Maranhão, estado mais pobre do país, tem a maior despesa: mais de R$ 4 milhões por ano. Em segundo lugar está o Rio Grande do Sul, com gasto de R$ 4 milhões.

Alagoas está livre dessa imoralidade desde março de 1987 quando Fernando Collor de Mello assumiu o governo do Estado. Até então, os ex-governadores recebiam essa aposentadoria, deixando a herança vitalícia para suas viúvas. Collor também acabou com os supersalários de servidores públicos estaduais, ganhando com isso o título de “Caçador de marajás”, que o ajudou a chegar à Presidência da República.

A iniciativa pioneira do então governador de Alagoas foi incorporada um ano depois pela Constituição Brasileira de 1988, que acabou em definitivo com a excrescência em todo o país.

Mesmo assim, 16 estados insistem em pagar essas aposentadorias e pensões milionárias à custa da miséria do povo brasileiro.

Nova indústria

O Brasil tem 3,5 milhões de novas ações trabalhistas por ano, enquanto em países como os Estados Unidos esse número não chega a 70 mil novos processos por ano.

É por isso que a Justiça do Trabalho vai custar ao contribuinte R$ 22 bilhões em 2017. Mas estima- se que deve render menos de R$ 9 bilhões à indústria de indenizações trabalhistas.

Pior recessão da história

O PIB caiu 3,6% em 2016, segundo dados divulgados pelo IBGE na última terça-feira, 7. Em 2015, a economia já havia despencado 3,8%. Esta é a pior recessão da história e o principal legado do PT.

PT corrompeu América Latina e África

A Odebrecht pagou as campanhas realizadas por João Santana em El Salvador, Angola, Venezuela, República Dominicana e Panamá.

A denúncia, segundo a Veja, foi feita por Hilberto Silva, em seu depoimento ao TSE.

Lula elegeu seus comparsas na América Latina e África com a propina da Odebrecht.

 (Diogo Mainard) .

Aposentadoria rural

O Antagonista confirmou que há margem de negociação na aposentadoria dos trabalhadores rurais -- mas do jeito que está, com tanta fraude, não é possível continuar.

Michel Temer precisa da Frente Parlamentar da Agricultura para aprovar a reforma da Previdência.

Prisão de Lula

Os petistas estão desconfiados de que, em 3 maio, quando prestar depoimento em Curitiba, Lula poderá ser preso por Sergio Moro. Eles ameaçam organizar uma caravana para cercar o prédio do tribunal.

Em 3 de maio, Lula já terá sido completamente desmoralizado pelos depoimentos de Emilio Odebrecht, Pedro Novis, Marcelo Odebrecht e Léo Pinheiro. (O Antagonista).

Portobello

A maior empresa de revestimentos cerâmicos do Brasil, com faturamento acima de R$ 1,3 bilhão, e ações na Bolsa de Valores, ainda não conseguiu lucrar com sua planta em Alagoas. Inaugurada em 2015, sua marca Pointer – destinada a suprir o mercado Norte e Nordeste - ainda não decolou.

Além da crise que levou o país à maior recessão da história, a empresa catarinense enfrenta problemas legais em Alagoas decorrentes de um imbróglio judicial criado no governo Téo Vilela por atos de má-fé e incompetência dos tucanos.  

Desde que assumiu o governo, Renan Filho vem estudando uma solução para o impasse, mas tem esbarrado na burocracia da PGE e na leniência da Justiça.  

Agora vai!

O jornalista Ricardo Mota informa em seu blog que a Assembléia Legislativa de Alagoas contará com novas “lideranças interioranas” na próxima legislatura. 

Entre esses novos valores estão Lula Cabeleira, pelo Sertão; Cristiano Matheus, pelo Litoral Sul e Cícero Cavalcante, representando o Litoral Norte. Cita ainda Fernando Pereira e Val Amélio, todos dos PMDB.  

E ainda dizem que Alagoas não tem saída... 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia