Acompanhe nas redes sociais:

12 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 911 / 2017

23/02/2017 - 19:20:27

Maceioense desaprova segurança pública

Mais de 70% da população não se sente segura no bairro onde mora

Vera Alves [email protected]

Pesquisa sobre sensação de segurança em Maceió realizada nos dias 9 e 10 de fevereiro em todos os bairros da capital pela Data Consulta – Consultoria em Gestão Empresarial, Pesquisas e RH revela o descrédito da população nas instituições públicas quando o assunto é violência. Traz, ainda, uma triste constatação: 41% dos entrevistados teve um parente ou amigo assassinado ao longo dos últimos 12 meses. O resultado disto é que a maioria – 72% –  não se sente segura no bairro em que reside.

A pesquisa encomendada pelo EXTRA ALAGOAS ouviu 602 pessoas em todos os bairros, tem 95% de confiança com margem de erro de 4 pontos percentuais para mais ou para menos. A maioria dos entrevistados foram homens (54%) e a faixa etária predominante foi a de 31 a 45 anos. 

Do universo pesquisado, 47% avaliaram como péssima a segurança pública em Alagoas e apenas 2% a consideram ótima. E, a se manter a atual política do setor, Maceió vai estar muito pior daqui a 10 anos na opinião de 56,5% dos entrevistados, e vai estar pior na avaliação de 22%. Apenas 4% consideram que a capital estará melhor em termos de segurança em 2027, enquanto 13,5% consideram que estará um pouco melhor.

O Judiciário é a instituição menos confiável para 44,5% dos maceioenses quando se fala em segurança. O nível de desconfiança também é grande em relação ao Ministério Público Estadual: 43%. A Polícia Militar desponta como a instituição em que a população confia muito quando o assunto é violência, com 24% de aprovação.

Em relação à Polícia Civil,  22% dos entrevistados revelaram ter o máximo de confiança na instituição, mesmo percentual obtido pelo Ministério Público, enquanto só 20,5% confiam muito no Judiciário.

MEDO

A maioria da população de Maceió se informa sobre a criminalidade através da TV (58%), enquanto 14% busca informações na internet e 10% sabe dos casos de violência através de conhecidos. 

A violência de uma forma geral assusta 57,5% da população, enquanto 17% têm mais medo de assaltos e outros 9% temem andar de ônibus em Maceió.

O bairro em que residem não é seguro para 72% dos entrevistados. Em 2014, quando o mesmo tipo de pesquisa foi aplicado, este percentual era de 63,5%. Já 24% se sentem seguros no bairro em que moram; há três anos este percentual era de 28,5%.

Por fim, a triste constatação: 41,5% dos maceioenses já tiveram um parente ou amigo assassinado nos últimos 12 meses; em 2014 este percentual era de 39%. Pouco mais da metade, 57%, não teve qualquer conhecido vítima fatal da violência; há três anos eram 50%.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia