Acompanhe nas redes sociais:

18 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 908 / 2017

07/02/2017 - 10:31:32

Unimed retira serviço de home care e paciente teme pela vida

José Vital é portador de displasia óssea e respira com ajuda de aparelhos

Maria Salésia [email protected]
José Vital é portador de anomalia que causa deformações nos ossos

A Unimed Maceió suspendeu o serviço de home care (cuidados no lar) ao paciente José Vital Junior, 42 anos, portador de displasia óssea. Apesar de respirar com ajuda de aparelhos, ele está consciente e há dois anos e dois meses recebe o tratamento em casa. Mas para desespero e surpresa da família, na terça-feira, 31 de janeiro, por volta das 17 horas o serviço foi suspenso.


A esposa do paciente, Kátia Regina Soares, disse que a Unimed alega que os enfermeiros que cuidavam do paciente informaram que não iriam mais prestar o serviço na residência porque ele se negava tomar medicação e a família o maltratava. Fatos negados pela esposa que acusa os profissionais de prestarem serviço ineficiente, “inclusive um passava o plantão praticamente no celular, às vezes o oxigênio acabava e não trocavam, esqueciam de dar os remédios”, entre outras reclamações.


Ainda de acordo com Kátia, a Unimed propôs encaminhar o esposo para o hospital Sanatório, mas ela não aceitou porque o médico que o acompanha recomendou que o tratamento fosse feito em casa, pois não tem indicação para internação em casa de saúde. Ela acrescentou ainda que como José Vital é lúcido não quer sair de casa e que “prefere morrer”.


Desesperada porque só tinham oxigênio suficiente para até ontem, quinta-feira, 2, Kátia ligou para a operadora de saúde pedindo reposição, mas foi negado. A alegação, disse Kátia, é de que não iriam mandar porque ele teria que ser acompanhado pelo hospital. Mas na quinta-feira, 2, a Unimed fez a reposição do oxigênio. Quanto a outros procedimentos, a esposa afirmou que ainda não teve qualquer posicionamento.


Kátia buscou ajuda na Defensoria Pública, mas a resposta foi pouco animadora. De acordo com ela, para tomar qualquer atitude, há necessidade de uma liminar emitida por um juiz, mas isso pode demorar um dia, uma semana, um mês e nesse caso não haveria muito que fazer, já que o oxigênio iria acabar no dia seguinte. Além do que, Kátia não tinha os documentos necessários para dar entrada na ação.


Usuário da Unimed há 20 anos, José Vital Júnior além de enfrentar o problema sério de saúde, a displasia óssea (anomalia do desenvolvimento de um órgão que causa deformações ou má formações de um ou mais ossos do corpo) agora enfrenta esta batalha pela vida.


UNIMED RESPONDE
A reportagem do jornal EXTTRA manteve contato com a assessoria da operadora de saúde que enviou o seguinte esclarecimento: “A Unimed Maceió informa que já tomou conhecimento do assunto e que as providências que o caso requer serão tomadas”.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia