Acompanhe nas redes sociais:

22 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 907 / 2017

31/01/2017 - 11:17:41

Repórter Econômico

JAIR PIMENTEL

O primeiro orçamento
Quem vem seguindo as dicas da coluna sobre orçamento doméstico, já deve ter fechado o primeiro balancete do ano, referente ao mês de janeiro, com a receita e despesa, e comprovando se conseguiu economizar e ainda sobrar dinheiro para a formação de uma reserva financeira, a ser usada numa emergência ou mesmo ir juntando para a realização de um sonho de consumo: uma viagem, por exemplo. É um exercício salutar, que pode garantir a sua sobrevivência num período de recessão profunda, como o que vivemos. Tudo deve ser anotado, seja com caneta e papel ou mesmo no computador.


Lembro que existe uma lei aprovada pelo Congresso de corte nos gastos públicos durante os próximos 20 anos. O consumidor tem que ir cortando suas despesas no dia a dia, reduzindo o consumo de água, energia, gás, combustível (álcool ou gasolina) e até mesmo em alimentação, material de limpeza, higiene e lazer. É pesquisar sempre preços, e só comprar à vista, ou pelo cartão de crédito, mas jamais amortizando, ou seja, ir pagando o mínimo e terminar mesmo chegando o dia em que não terá mais condições de quitar, diante do acúmulo de juros, multas e outras taxas. Viva de acordo com o que ganha, com disciplina financeira.


Renda dupla
Quando o casal tem renda dupla, deve conversar civilizadamente e dividir as despesas, mas mantendo apenas um orçamento doméstico, a ser fechado no final de cada mês, para que se constate se as obrigações de cada um foram cumpridas à risca. Além da receita e despesa, deve constar um espaço para o investimento, que pode ser caderneta de poupança ou fundo de renda fixa. Lembro que no primeiro caso existe liquidez imediata (pode sacar a qualquer dia), além de não pagar imposto, enquanto o segundo tem prazo fixo e paga-se impostos e taxas.


No supermercado
Só deve ir às compras o mais disciplinado mesmo para essa tarefa, levando sempre uma lista e ir seguindo, jamais comprando algo que não esteja anotado, mesmo quando uma promoção pode gerar o impulso de consumo. Mas pode trocar de marca, desde que conste da lista e o preço seja par baixo do que sempre comprava. Se faz o mesmo efeito, não conte conversa. Coloque no carrinho! Não leve as crianças, pois elas podem fazer “escândalos” querendo determinada mercadoria que você não pode comprar. Em casa, confirma tudo, comparando com a compra feita no mês anterior.


De olho na notícia
O consumidor tem que se atualizar lendo, assistindo ou ouvindo os noticiários de tudo que acontece no centro do Poder (Brasília). Preferencialmente jornais e revistas, bem mais explicados e que proporcionam a vantagem de arquivar e reler. A vida de todos os trabalhadores ativos e inativos vai mudar completamente com as reformas previdenciária e trabalhista. O desemprego vai continuar aumentando. A previsão é de mais de um milhão de desempregados somente em 2017, que somados aos já existentes, ultrapassará os 13 milhões.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia