Acompanhe nas redes sociais:

12 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 906 / 2017

20/01/2017 - 16:47:03

Filhos da Pauta comemora 26 anos com muito frevo e irreverência

bloco carnavalesco criado por profissionais da comunicação alagoana não participava da folia desde 2009

Maria Salésia com assessoria [email protected] Fotos de Plínio Nicácio
Macarrão, um dos fundadores do bloco, é o homenageado deste ano

Para comemorar seus 26 anos de existência, o bloco Filhos da Pauta deu adeus a sete anos de jejum e volta com toda alegria e irreverência para mostrar que esta “gente batuta, filha da pauta” também tem frevo no pé. O grande encontro de profissionais da comunicação alagoana, amigos e agregados está marcado para o dia 17 de fevereiro, a partir das 20 horas, no bairro de Jaraguá, em Maceió. Mas o bloco foi para rua pela primeira vez em 1991.

O Filhos da Pauta volta a participar das prévias carnavalescas de Maceió, no Jaraguá Folia, com o tema “Oi nós aqui de novo”. Esse ano o bloco homenageará o tituleiro Claudionor Medeiros da Silva, o “Macarrão”, falecido no ano passado. Na verdade, esta é uma prática peculiar do bloco: sempre reconhecer o valor de quem contribuiu para o sucesso dos Filhos da Pauta.

Tradicionalmente o bloco é formado por comunicadores e em cada desfile seu estandarte, que leva a ilustração de um jornalista - o pauteiro – exibindo um jornal e um microfone, é o orgulho da categoria. Cada folião quer pegar, tirar foto, carregar um pouco de sua marca, de seu escudo.

A promessa dos organizadores é de muito frevo e animação já a partir da concentração no Coreto de Jaraguá, às 20 horas. Uma banda agitará a turma no local até o início do desfile, com saída pelas ruas do bairro marcada para as 21h30, ao som do frevo da Orquestra Terremoto. 

O evento será grandioso e envolverá mais de 30 músicos da cidade de Coqueiro Seco, especializados em frevos e marchinha. De acordo o jornalista Nigel Santana, que participa do bloco pela primeira vez e aparece na linha de frente da comissão organizadora, o desafio de botar o bloco outra vez na rua foi animador. “Após conversa durante confraternização com alguns jornalistas da velha guarda e atuais, resolvemos encarar o desafio. Esperamos todos os Filhos da Pauta dia 17 para participar da festa, mas quem quiser pode se juntar a nós”, convidou Santana.

VENDA DE CAMISAS

A comercialização das camisas é feita com Nigel Santana pelo telefone 99335-1786, mas também acontece nas redes sociais do bloco: e-mail: [email protected], facebook: @FilhosDaPauta e Instagram: @blocofilhosdapauta2017.

Macarrão será 

homenageado 

O bloco tradicionalmente homenageia comunicadores alagoanos em seus desfiles. Entre os já contemplados, os jornalistas Denis Agra, Amaury Barbosa, Freitas Neto e Teófilo Lins, que foram caricaturados em bonecos gigantes confeccionados por Jaquelane Santos que passaram a participar dos desfiles na comemoração de 10 anos de existência do bloco. Em 2009, em seu último desfile, os organizadores homenagearam o radialista e compositor do primeiro frevo do bloco, Edécio Lopes, falecido em 2008. Inclusive, o frevo-homenagem “Edécio no Passo” foi composto pelo jornalista Ricardo Mota.

Nesta 25ª edição, o Filhos da Pauta homenageia Claudionor Medeiros da Silva, o “Macarrão”, falecido ano passado. Figura emblemática do bloco, o tituleiro da Sergasa (Serviços Gráficos de Alagoas S/A) era diretor do Sindicato dos Gráficos de Alagoas (Sindgráficos-AL) e, ao lado de Freitas Neto, Denis Agra e Edécio Lopes, foi um dos fundadores do bloco e um grande apreciador do frevo e do carnaval.

Além da homenagem a Macarrão, o bloco sairá com alas em homenagem ao jornalista Freitas Neto e ao relações públicas Luiz Gonzaga, o eterno professor Gonzaga do Departamento de Comunicação Social da Universidade Federal de Alagoas.

Esses Filhos da Pauta

 O jornalista Joaldo Cavalcante (diretor de Comunicação da Assembleia Legislativa de Alagoas) relembra que o bloco Filhos da Pauta nasceu de uma ideia do também jornalista Denis Agra. Recém eleito presidente do Sindjornal, Joaldo levou a sugestão de Denis para discussão em reunião da diretoria do sindicato no final de 1990 e depois disso a ideia foi tomando corpo. Após parceria com o Sindicato dos Radialistas, que na época era presidido por Marcos Guimarães, foi criada a comissão organizadora do bloco que caiu em campo para tornar o evento possível.

Segundo Joaldo, o compositor oficial do bloco era o jornalista Edécio Lopes. Seus frevos eram irreverentes e tinham relação com a conjuntura política e o cotidiano dos jornalistas. Porém, afirmou, um dos maiores desafios foi o tempo. “Foi tudo muito apertado entre a constituição do bloco, as primeiras reuniões organizativas propriamente ditas e os dois desfiles ocorridos em fevereiro de 1991, na chamada prévia carnavalesca de Maceió”. 

Joaldo teve participação efetiva no bloco desde sua fundação até 1994 quando a partir daí Marcelo Firmino assumiu o comando do Sindjornal e tocou para frente o bloco, sendo sucedido por Fátima Almeida.

E ao falar sobre o retorno do bloco é só elogio: “Da mesma forma que houve empolgação no passado, agora percebe-se algo semelhante - basta verificar a euforia do grupo pelas redes sociais para constatar que o desafio será cumprido com muito sucesso”, afirmou.

Outro fundador, o jornalista Marcos Guimarães, relata que os blocos carnavalescos de Maceió surgiram com o enfraquecimento dos bailes de carnaval em clubes. Nesse movimento, os comunicadores da época começaram a gestar um projeto de bloco que reunisse as categorias de jornalistas, radialistas, gráficos e relações públicas, o que desencadeou a criação da Associação Recreativa Filhos da Pauta.

Guimarães disse que o bloco não dispunha de recursos suficientes para viabilizar o desfile. “Conseguimos emprestado uma banda para tocar o frevo e para levá-la no desfile, um carro de som, tipo trio elétrico, também emprestado”, relembrou Marcos.

E quem nunca cantou ou ouviu o frevo “Oi nós aqui de novo”, hino do bloco Filhos da Pauta, que arrisque o primeiro passo. E assim, para os saudosistas ou quem vai pela primeira vez soltar a voz e dizer que “somos gente batuta, filhos da pauta, da pauta do jornal”, o convite está lançado. Venham todos para o “meio do povo” fazer o carnaval.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia