Acompanhe nas redes sociais:

15 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 906 / 2017

19/01/2017 - 21:52:43

Rui aposta em TV e grupo político na disputa ao governo

Já Renan Filho quer atrair mais aliados e pode ‘rachar’ palanque do prefeito

Odilon Rios Especial para o EXTRA

O prefeito Rui Palmeira (PSDB) deu a largada para 2018 e está convencido: vai derrotar o governador Renan Filho (PMDB) na disputa pela chefia do Executivo estadual e retirar o senador Renan Calheiros (PMDB) do cenário político.

O assunto empolga o tucano, que internamente faz as contas das vantagens acumuladas: o tio, Godofredo Palmeira, é um dos sócios do Sistema Pajuçara de Comunicação, que penetra em quase todas as cidades alagoanas (98%) e está na cabeça da lista como arsenal midiático do prefeito; o desempenho de Rui nos debates da TV Pajuçara e, principalmente, da TV Gazeta, que aparece nas pesquisas internas do PSDB. Nas contas do grupo de Rui, foram 75 dias de exposição na afiliada da Rede Globo, no guia eleitoral.

Mais: o tamanho do grupo político chefiado pelo prefeito. Vão os nomes: o senador Benedito de Lira (PP)- que disputa a reeleição em 2018; o ex-governador Teotonio Vilela Filho (PSDB); o deputado estadual Rodrigo Cunha (PSDB); o prefeito de Arapiraca, Rogério Teófilo (PSDB); provável aliança com o deputado federal João Henrique Caldas (PSB); o ministro dos Transportes, Maurício Quintella; o senador Fernando Collor (PTC); o secretário de Saúde, José Thomáz Nonô (DEM, também sócio da TV Pajuçara); o presidente estadual do PPS, Régis Cavalcante; e um vice fiel Marcelo Palmeira (PP).

“Se Rui não for candidato ao governo, não segura parte destes nomes”, avalia um importante aliado do prefeito.

Não segurar significa que o grupo de Rui tem disposição para substitui-lo na empreitada eleitoral. E tem nomes: Rodrigo Cunha, por exemplo, que marca o território na Assembleia Legislativa como único da oposição a Renan Filho, é cotado para disputar o governo; Téo Vilela tenta emplacar o próprio nome na concorrência ao Senado; Quintella quer ir para a reeleição; Collor é a esfinge de sempre, usa mais o impulso na busca pelo voto e pode surpreender na disputa ao governo em 2018; Biu de Lira pode arriscar ser candidato à chefia do Executivo.

“Na majoritária, avalia-se assim: o passado limpo do candidato, uma boa televisão [TV Pajuçara] e a militância nas cidades”, analisa integrante mais próximo da administração de Rui Palmeira.

Juntando Maceió e Arapiraca, na calculadora do grupo do prefeito da capital são 50% dos eleitores.

Lembrando que os Calheiros perderam as eleições em Maceió e Arapiraca, mas iniciaram uma operação de aproximação com prefeitos do sertão e dos litorais norte e sul. 

Lado de lá

Já o governador Renan Filho (PMDB) e o presidente do Senado (até o final do mês), Renan Calheiros (PMDB) estão juntos, em campo, para atrair prefeitos enquanto abraçam aliados de Rui Palmeira.

Esta semana, Renan Filho atraiu a família Pereira para seu grupo político, via Secretaria Estadual de Assistência e Desenvolvimento Social; esteve lado a lado com Biu de Lira na entrega de equipamentos agrícolas, adquiridos por emendas parlamentares do senador; depois, viajou para fiscalizar a retomada das obras da BR-101, ao lado de Quintella e Renan Calheiros. E, no outro dia, viajou a Palmeira dos Índios, na assinatura de obras emergenciais para abastecimento da cidade durante a seca, levando o deputado federal Givaldo Carimbão (PHS), derrotado na disputa eleitoral em Delmiro Gouveia mas reestruturando as bases no interior, com fôlego impressionante.

Renan Calheiros, ao discursar no retorno das máquinas na BR-101, disse “estar com as energias recarregadas”. Declaração dada em Messias. 

Significa ter disposição para voltar à atividade que o moldou: ser um animal político.

Listou as obras: estrada que beneficia Coruripe e Teotonio Vilela; conclusão, em dois anos, da duplicação da BR-101; 400 quilômetros de estradas locais; alça do Cepa; ligação da Flameguinha ao Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares; duplicação da estrada em Arapiraca; continuação das obras do Canal do Sertão (ligação com os sistemas municipais de água).

Anunciou que haverá queda dos juros, retomada dos investimentos.

Maurício Quintella também listou os milhões de seu ministério: viaduto da Polícia Rodoviária Federal, com recursos repassados ao governo estadual: R$ 16 milhões na conta mais R$ 40 milhões garantidos em 2017; Porto de Maceió, garantidos R$ 72 milhões para a dragagem mais R$ 20 milhões ao terminal de passageiros; R$ 115 milhões para manutenção das estradas; arco viário na capital; duplicação Maceió-Pilar; aeroportos regionais, como o de Penedo (R$ 4 milhões repassados da União mais contrapartida do governo local); aeroportos de Maragogi e Arapiraca (área e projetos definidos, falta dinheiro para execução).

Quintella e Renan estão juntos agora para tentar um acordo mais na frente. Marx Beltrão insiste em ser candidato ao Senado. Pode ser uma opção mais segura, ao lado de Renan Calheiros, que disputa o posto com Téo Vilela e Biu de Lira, na ala Rui Palmeira.

Quem vai definir estes personagens no cenário local é o rei Momo. O carnaval promete unir Rui e Renan na Barra de São Miguel, recanto dos ricaços da política alagoana. Mas, por enquanto, a ressaca do palanque do ano passado afasta o prefeito e os Calheiros. Dores piores que as de cabeça, na Quarta-Feira de Cinzas...

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia