Acompanhe nas redes sociais:

21 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 905 / 2017

12/01/2017 - 19:32:47

Férias de Cristiano Matheus causam polêmica nas redes sociais

Ex-prefeito de Marechal Deodoro aparece em iate luxuoso em Angra dos Reis, no Rio de Janeiro

José Fernando Martins [email protected]

Após o término de mandato precoce e forçado pela Justiça Federal, o agora ex-prefeito de Marechal Deodoro, Cristiano Matheus, goza férias Brasil afora. Nesta semana, fotos do político junto à esposa Mayanne Souza causaram “frisson” nas redes sociais. Acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) de desviar R$ 102 milhões dos cofres públicos, a movimentação de Matheus tem sido sondada, não só pela justiça, mas também pelos eleitores e internautas mais críticos. 

Nas fotos compartilhadas por Mayanne no Instagram, o casal aparece curtindo Angra dos Reis (RJ) com direito a iate e viagem de jatinho particular. Não demorou muito para as fotos serem espalhadas pelas redes sociais com acusações de que as férias do ex-prefeito foram quitadas, na verdade, com o erário do povo deodorense. Com a legenda “dias maravilhosos ao lado do meu maridinho amado”, Mayanne e Matheus posam, em uma das fotos, a bordo do iate em meio à natureza beira mar angrense.

Em postagem em sua fanpage no Facebook, publicada no dia 10, Mayanne, que não se sabe se já casou ou ainda é noiva do ex-prefeito, escreveu: “Deus tem piedade e misericórdia dos calunia...’dores’, difama...’dores’ e injuria...’dores’”. 

Matheus também escolheu o Facebook para publicar um esclarecimento, como o mesmo diz, ao povo de Alagoas. “Novamente sou vítima de calúnias e acusações. Para os poderosos que compram a tudo e a todos, é difícil entender que uma pessoa de origem humilde conseguiu fazer um bom trabalho na prefeitura de Marechal Deodoro. Para esses, é difícil reconhecer que o batalhador de Pão de Açúcar conseguiu transformar a realidade de Marechal Deodoro. A cidade cresceu como nunca antes havia conseguido”, destacou. 

Ele continuou ainda informando que “as fotos com minha esposa são da viagem que fiz com meu amigo Wilder Morais, um dos maiores empresários do país. Eu o convidei para conhecer o nosso réveillon e ele veio aproveitar as belezas de nosso estado. Após o réveillon, Wilder me convidou para conhecer um de seus principais empreendimentos: o Hotel Nacional, um dos mais tradicionais do Rio de Janeiro. Saímos de Maceió em seu jatinho particular. De lá, fomos para Angra dos Reis e depois para a fazenda de Wilder, em Goiás”.

Ele conta ainda que Wilder Morais é um dos maiores empresários do país e também é senador pelo estado de Goiás. “Nos conhecemos quando exerci meu mandato de deputado federal por Alagoas. Eu sempre o convido para vir a Alagoas e ele sempre me convida para ir ao seu estado.  Repito: sempre respeitei os recursos públicos e enquanto fui prefeito trabalhei pelo povo. Os boatos que espalham não me atingem. Mostram apenas que essas pessoas continuam a perseguir aqueles que conseguiram superar as dificuldades impostas pela vida. Não adianta me caluniar. O povo sabe o que fiz por Marechal Deodoro. A verdade sempre vai vencer”, finalizou.

Afastamento pela Justiça Federal

Vale recordar que o político foi afastado em setembro do ano passado do cargo de prefeito de Marechal, que  exerceu durante quase oito anos. Uma decisão da juíza federal Isabele Carvalho de Oliveira determinou ainda o afastamento de mais 21 acusados de integrar o mesmo esquema de corrupção, que envolveria vereadores e secretários municipais. 

Conforme o Núcleo de Combate a Corrupção do MPF, as investigações contra Matheus já ocorriam há dois anos quando houve a identificação de malversação de recursos públicos federais para investimentos na área de educação que deveriam ser destinados na manutenção e oferta de transporte público escolar. A acusação é que a Prefeitura de Marechal utilizaria funcionários e equipamentos da própria prefeitura, mas que teriam sido alugados por empresas contratas pela gestão municipal. Sendo assim, o município pagava duas vezes pelo serviço.

Além disso, Cristiano Matheus teria intimidado testemunhas para obstruir a investigação em curso. “Com o afastamento temporário do prefeito, é medida que se impõe sob pena de ter um prejuízo sensível à instrução processual. A necessidade da medida ora requerida evidencia-se, não só pela quantidade e gravidade dos atos ímprobos cometidos, mas, sobretudo pelo propósito já manifestado de dificultar a produção de provas desses mesmos atos. Há indicativos seguros de que o atual gestor cooptou vereadores, sonegou documentos e intimidou possíveis testemunhas”, afirmaram os procuradores. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia