Acompanhe nas redes sociais:

19 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 903 / 2016

03/01/2017 - 10:03:17

Biu de Lira inicia caçada por cargos na era Renan Filho

Senador está de olho em duas secretarias e jura: vai brigar para despoluir Salgadinho

Odilon Rios Especial para o EXTRA

Após emplacar o seu Marco Referencial - uma torre de R$ 18 milhões erguida em meio aos esgotos escorrendo pelas orlas de Ponta Verde, Pajuçara e Jatiúca - o senador Benedito de Lira (PP) enche os ouvidos dos outros de promessas e sonda cargos na era Renan Filho (PMDB) - de preferência as secretarias de Assistência e Desenvolvimento Social e Infraestrutura, ambas de “porteira fechada”, ou seja, com todos os comissionados indicados e aprovados por Biu de Lira.

Publicamente, o senador não fala deste interesse. É conversa reservada entre o governador e ele.

Explicação para o interesse de Biu é o quadro fiscal do governo. Enquanto os estados enfrentam atrasos no pagamento dos salários, Alagoas consegue pagar o funcionalismo em dia e garantir o 13º.

Por isso, aos 74 anos, Biu de Lira chega junto, como um político bem disposto e de saúde invejável, exercitando o seu homo politicus - espécie bastante comum, circulando nos tapetes vermelhos do poder. 

Quando não está em Brasília, durante o dia percorre cidades alagoanas e, à noite, caminha na orla rica de Maceió - a mesma onde mora e quer emplacar sua torre de 30 metros de altura. “Paris tem a Torre Eiffel; Maceió terá seu Marco Referencial”, compara.

Coleciona cargos públicos como poucos. Mesmo enroscado nas investigações da Lava Jato, é responsável por indicações na Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) - herdada, aliás, da era Dilma Rousseff. Tem ainda bastante influência no Ministério da Integração Nacional, comandado por um obscuro personagem chamado Helder Barbalho, filho do ex-governador do Pará, Jader Barbalho.  

Agora, está de olho no Governo Renan Filho, que já anunciou reforma do secretariado para o próximo ano.

Portanto, mais cargos vêm por aí.

FUTURO

O senador vai disputar a reeleição em 2018. Quer as equipes do governador e do prefeito Rui Palmeira (PSDB) debruçadas sobre projetos de despoluição das praias de Maceió e, principalmente, da praia da Avenida da Paz, onde está o riacho Salgadinho, um córrego de esgoto em direção ao mar que beneficiou e elegeu boa parte da classe política alagoana, com projetos mirabolantes para que o riacho - um dia limpo- despeje água tratada na orla da capital.

Pois é Biu de Lira quem ressuscita a promessa de limpeza do Salgadinho, com seu Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), que muitos apostaram ser um trem fantasma e hoje funciona, parcialmente, e a área entre a estação e o Porto de Maceió é reformada para estender o terminal do transbordo de passageiros, pelos mesmos trilhos que transportaram açúcar para os navios em direção à Europa, nos idos do século 19. 

Disse que o VLT vai passar pelas margens dos riachos do Sapo e Gulandi. Por isso, vai “trabalhar pela despoluição do Salgadinho, que polui a praia mais bonita de Maceió”. E “vai pedir ao prefeito projeto de despoluição do Salgadinho”. 

“Os esgotos de Maceió, o prefeito está tomando as providências. É recurso diferente, recurso do orçamento do Ministério das Cidades para fazer o esgotamento, está sendo feito naquela baixada da Pajuçara”, disse o senador.

Segundo ele, o projeto de esgotamento sanitário é de responsabilidade do Estado.

“O governo do Estado terá, com a Prefeitura, de fazer os projetos necessários para cuidar do esgotamento sanitário de toda Maceió”, opina Biu.

E o Vale do Reginaldo? Biu de Lira prometeu a construção de casas e a despoluição do Salgadinho? As obras avançam em ritmo devagar, como ficam?

“Eu tenho responsabilidade, dou a mão a palmatória porque eu fui o interveniente entre o governador Teotonio Vilela e o prefeito de Maceió [Cícero Almeida]. Porque o prefeito de Maceió, Cícero Almeida, ficou enciumado, porque o PAC naquela oportunidade era para atender aos estados e ele veio para cá para fazer a regularização do Vale do Reginaldo”.

Quando Lula era presidente da República “ele pediu projeto de R$ 30 milhões para despoluir o Salgadinho”. O que houve com a verba? “O dinheiro voltou”.

Biu não esconde: é candidato à reeleição. E vai enfrentar seu aliado, o ex-governador Teotonio Vilela Filho, de quem é quase da família (seu suplente é Givago Tenório, sobrinho de João Tenório, cunhado de Téo Vilela). 

“Time não escolhe adversário. Não estou preocupado com quem vai ser ou não vai ser candidato. Estou preocupado em trabalhar pelo meu estado, fazer com que as coisas aconteçam e, no momento oportuno, vou para a rua dizer o que em meu período como senador da república eu pude desenvolver para Alagoas. Então, não estou preocupado com quem vem”.

Apesar de o senador defender Michel Temer, nos discursos evita citar o presidente da República, com baixíssimos índices de popularidade e medidas que afastam os eleitores - e, na rabeira, a homo politicus.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia