Acompanhe nas redes sociais:

26 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 902 / 2016

15/12/2016 - 21:19:17

TJ mantém condenação do fazendeiro Zé Nilton Ferro e filhos

foragidos, Pai, dois filhos e um sobrinho pegaram mais de 40 anos de prisão

DA REDAÇÃO
Zé Nilton terá de cumprir pena de 10 anos preso

A Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Alagoas manteve a condenação do fazendeiro José Nilton Cardoso Ferro, mais dois filhos e um sobrinho, e determinou a prisão preventiva de todos eles. A decisão, por unanimidade, ocorreu na quarta-feira 14, quando os desembargadores Otávio Praxedes, Ney Alcântara e Alcides Gusmão julgaram recurso de apelação ajuizado pelo grupo, condenado a mais de 40 anos de prisão em regime fechado.

É a primeira decisão do TJ nesse sentido depois que o Supremo Tribunal Federal determinou a prisão de réus condenados em segunda instância, mesmo sem que o processo tenha transitado em julgado. Ou seja, esgotados todos os recursos judiciais. Os sentenciados têm direito a recorrer ao STJ, mas aguardarão julgamento do recurso na cadeia.

 O TJ também redimensiou a pena dos condenados. José Nilton Cardoso Ferro e Wanderley Macedo Cardoso Ferro, que haviam recebido pena de 11 anos, 11 meses e dez dias, deverão cumprir agora 10 anos de reclusão. Wagner Macedo Cardoso Ferro, antes condenado a 12 anos, nove meses e 10 dias, deverá cumprir 11 anos e três meses. Já o réu Jackson Cardoso Ferro, condenado a 14 anos, 10 meses e 10 dias, teve a pena redimensionada para 11 anos e três meses.

Todos eles estão foragidos desde que foram julgados e condenados pelo júri popular em fevereiro de 2014. O único que estava preso era o sobrinho Jackson Cardoso Ferro, filho da atual prefeita de Minador do Negrão, Socorro Ferro. Ele estava na penitenciária de Augustinópolis (TO), após ser detido por porte ilegal de armas com numeração raspada, suspeito de assalto a banco na cidade de Axixá, também no Tocantins. Um dia antes de ter sua sentença confirmada pelo TJ, Jackson foi solto por determinação do juiz da comarca de Axixá.

RELEMBRE O CASO

O bando foi condenado pela fracassada tentativa de assassinato contra o então deputado Cícero Paes Ferro (atual suplente de deputado) e primo de Zé Nilton Ferro. A emboscada ocorreu em janeiro de 2004 quando Cícero Ferro se dirigia à sua fazenda em Minador do Negrão e foi surpreendido por um grupo armado que disparou mais de 200 tiros contra sua picape. Ferro e o motorista escaparam por sorte, mas saíram gravemente feridos do atentado. A rixa familiar tem origem na disputa pelo comando político de Minador do Negrão. 

Dez anos depois, o bando foi condenado a 52 anos de prisão e recorreu em liberdade. O TJ confirmou a sentença, mas reduziu as penas e decretou a prisão preventiva de todos, também acusados de crimes em outros estados. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia