Acompanhe nas redes sociais:

19 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 900 / 2016

06/12/2016 - 10:28:14

Um país propineiro

JOSÉ ARNALDO LISBOA

Para mim não deveria ser obrigatório o voto, como fazem os americanos. Esse negócio de dizer que devemos exercer a cidadania é conversa pra boi dormir. Eu já votei em inúmeras eleições e, em todas elas, sempre aconteceram safadezas, com mudanças e revogações de leis, quase sempre para beneficiar partidos ou candidatos. Já aconteceram eleições nas quais existiam 4 ou 5 partidos e já aconteceram eleições nas quais existiam apenas 2 partidos, como é nos Estados Unidos. Como a nossa Constituição já foi remendada e chafurdada várias vezes, atualmente estamos com 39 partidos políticos, nascidos da bagunça que existe nas nossas leis eleitorais. Nunca aconteceram eleições nas quais as regras fossem as mesmas, entre duas eleições. Houve um período no qual o presidente da República tinha um mandato de 4 anos. Anos depois, para beneficiar o sr. Fernando Henrique, passaram o mandato para 5 anos e, depois, voltaram para os 4 anos, novamente. No Brasil, as nossas leis eleitorais sempre foram bagunçadas. Agora já estão querendo voltar as eleições para os 5 anos de mandato para a Presidência da República. Desculpem, mas a melhor palavra que temos no nosso dicionário é a palavra esculhambação. Em termos de julgamentos, já tivemos muitos deles imorais, quando o Tribunal Superior Eleitoral permitiu que políticos bandidos se candidatassem, mesmo com as suas fichas sujas, devido as roubalheiras, os crimes de morte, as compras de votos e os enriquecimentos ilícitos. Tenho acompanhado alguns julgamentos no STJ e no STF, nos quais verdadeiros fichas-sujas, se candidataram e foram eleitos, tanto para governador, como para senador, deputados, prefeitos e vereadores. 

Num desses julgamentos dos nossos Tribunais,  houve uma votação entre os ministros para saberem se a Lei dos fichas-sujas seria ou não válida para as eleições que se aproximavam. Cinco ministros votaram pela constitucionalidade da lei e cinco ministros pela inconstitucionalidade. Um outro ministro foi resolver o desempate e disse que a lei para os fichas-sujas só seria usada nas próximas eleições. Foi uma das maiores safadezas com o povo brasileiro. A tal eleição foi tumultuada e, os fichas- sujas foram eleitos e ainda estão por aí, sem os julgamentos, pois, nessas ocasiões, o dinheiro entra em cena, deixando muitos julgadores ricos. Temos muitos fichas-sujas por aí, sem julgamentos. Os anos vão passando e muitos safados vão sendo beneficiados, já que as nossas leis eleitorais são feitas para beneficiar corruptos e facínoras. A safadeza é tão grande, que as leis são votadas pela madrugada, quando o povo está dormindo nos seus berços esplêndidos, como diz o nosso Hino Nacional. Nesta semana, o povo besta do Brasil deixou que os nossos deputados federais votassem matérias importantes e se aproveitassem da caída do avião para bagunçar as nossas leis, principalmente a nossa remendada Constituição Brasileira. Falam em vândalos que quebram e incendeiam, mas nós já sabemos o motivo de tudo que acontece, nesse Brasil propineiro. O mundo inteiro sofreu com a queda do avião, porém os deputados federais do Brasil aproveitaram a madrugada para uma nova sacanagem! 

Em tempo – Um amigo meu, o Ricardo Ferreira Barbosa, disse que o meu artigo no EXTRA é o primeiro a ser lido por ele. Que bom, Ricardo! Vejo que não prego no deserto!

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia