Acompanhe nas redes sociais:

20 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 896 / 2016

08/11/2016 - 07:04:40

Sururu

Triste fim de um banco

Da Redação

O governo de Alagoas está concluindo a venda do espólio do Produban, o finado banco oficial do Estado, vitimado por calotes milionários de usineiros desonestos e empresários incompetentes de outros setores da economia. 

A venda dos restos do “de cujus” também enterra a possibilidade de mandar para a cadeia alguns espertos que enriqueceram ilicitamente na gestão da massa falida, com alienação de imóveis e venda de outros ativos da instituição.  

No primeiro caso, a dilapidação correu durante o governo clientelista de Divaldo Suruagy, enquanto o botim se deu no governo socialista de Ronaldo Lessa. Coube agora ao governo otimista de Renan Filho a missão de sepultar os restos mortais do que sobrou do banco dos alagoanos. 

O vai-e-vem do Ciço

Mal se encerrou o processo eleitoral de 2016 e o candidato derrotado Cícero Almeida já anunciou que disputará uma vaga de deputado estadual na eleição de 2018. Eleito deputado federal em 2014, Almeida abandonaria a Câmara na metade do mandato, caso obtivesse êxito na disputa pela Prefeitura de Maceió.  

Baixo clero 

Nesses dois anos no cargo de deputado federal, não se conhece um só projeto de lei de autoria de Cícero Almeida que justifique o mandato popular. Talvez isso justifique a pressa do parlamentar em abandonar Brasília, onde foi preterido até pelo “baixo clero”. 

Máfia do Lixo

Performance idêntica Almeida obteve nos dois anos como deputado estadual, quando abandonou o mandato para ser prefeito de Maceió. Passou oito anos na Prefeitura e de lá saiu acusado de comandar a chamada “Máfia do Lixo”, que desviou mais de R$ 200 milhões dos cofres públicos. 

Condenado

Durante seu meio-mandato de deputado estadual, Almeida se aliou ao que existia de pior na Assembleia Legislativa para montar um esquema mafioso que desviou R$ 300 milhões do erário. Pelo crime, deve ser condenado em segunda instância junto com outros colegas “taturanas”.

Barrado nas urnas

Ciço também teve desempenho pífio como vereador de Maceió, quando trocou a Câmara pela Assembleia no meio do mandato. Agora, barrado pelo povo de Maceió na pretensão de suceder Rui Palmeira, Almeida anuncia sua volta à Assembleia estadual. De novo, faltou combinar com os eleitores. 

Deus tá vendo!

Quando formalizou sua candidatura a prefeito Cícero Almeida informou ter falado com Deus, de quem teria recebido a missão de voltar a comandar os destinos de Maceió. Derrotado nas urnas, não falou mais nisso. Conclusão: ou mentiu aos eleitores, ou foi reprovado pelo divino por mau comportamento. 

Castigo do inferno

Ao mentir em campanha, Ciço esqueceu o risco de purgar seus pecados no Inferno de Dante, ou mais precisamente no nono ciclo, reservado aos infiéis, traidores e mentirosos. Agora na condição de condenado por corrupção, Cícero também enfrentará outros ciclos do inferno dantesco onde espiará seus pecados terrenos. 

Dia de Finados

Muitos brasileiros, com o feriado, podem ter perdido as últimas informações sobre Jonas Suassuna, o operador de Lula, Lulinha e Luleco.

Mas o Antagonista descobriu que Jonas Suassuna bancou despesas de aluguel e condomínio das salas ocupadas pelas empresas de Lulinha e Luleco.

A turma do Diogo Mainard descobriu igualmente que a Lava Jato investiga centenas de repasses feitos pelas empresas de Jonas Suassuna à pessoa física de Jorge José da Silva, que seria uma espécie de office-boy de luxo do empresário.

Está chegando a vez de Lula. Está chegando a vez também de Lulinha, de Luleco e de sua rede de laranjas.

Volta, FHC!

Xico Graziano, assessor de Fernando Henrique Cardoso, já está em campanha.

Ele publicou na Folha de S. Paulo:

“Qual liderança poderá recolocar o Brasil nos trilhos do desenvolvimento? Como fazer a reforma política tão desejada? Quem conseguirá estabelecer conexão com a sociedade organizada nas redes? É o que todos querem saber.

Creio que somente o ex-presidente FHC se legitima, pela vasta experiência, sensatez e sabedoria, para nos conduzir nessa difícil travessia”. (Diogo Mainard) 

Faltam 6 dias para o fim do mundo

Matheus Leitão, do G1, ouviu a mesma coisa que O Antagonista:

“O acordo de delação premiada da Odebrecht deve ser assinado até o final da semana que vem”.

Neste momento, os advogados da empreiteira estão transformando os anexos em depoimentos escritos. Em seguida, eles serão analisados pelos procuradores da Lava Jato e assinados. (O Antagonista) 

Prefeito rico

Quem fala que advocacia não dá dinheiro certamente não conhece o advogado Flávio Almeida da Silva Júnior, conhecido como Dr. Flávio, novo prefeito de Pão de Açúcar. É o quarto prefeito eleito mais rico de Alagoas, com patrimônio de R$ 3,7 milhões. E ainda faltou declarar a vinícola que tem em Portugal. 

Povo pobre

O agrônomo Marcelo Lima, de Quebrangulo, é o primeiro da lista dos prefeitos mais ricos de Alagoas, com patrimônio declarado de R$ 14,4 milhões. Em uma cidade de extrema pobreza, e devastada pela última enchente do Paraíba, bem que o prefeito poderia ser mais generoso com seus conterrâneos. Marcelo já governou Quebrangulo por duas vezes; foi vice e agora volta a comandar o município pela 4ª vez.

Lula lá

Os rumores sobre uma possível fuga do ex-presidente Lula para o Uruguai ganharam novos contornos nos últimos dias. Além da ida de seu filho caçula para o país vizinho, através de uma controversa contratação de um time local, surgiram novas suspeitas de que um imóvel de luxo na badalada Punta Del Este pertença ao ex-presidente.

O imóvel está cravado em um terreno de 7,5 mil m2 na Calle Timbó, conhecida por Villa Regina, com valor estimado em US$ 2 milhões, segundo corretores locais. (Imprensa Viva)

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia