Acompanhe nas redes sociais:

26 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 895 / 2016

01/11/2016 - 09:14:02

Eu já sei quem será o prefeito de Maceió

JOSÉ ARNALDO LISBOA

Depois que fui aposentado do DER-AL, como sempre gostei de trabalhar, achei que o pijama ainda não estava na hora. Abri uma microempresa, com o nome de DICA’S - Distribuidora de Informações Comerciais e Assessoria em Serviços. Já se foram 19 anos, com mais de 1.200 pesquisas eleitorais, sociais, de opinião e de mercado em Alagoas, Sergipe e Pernambuco. Com uma pesquisa criteriosa, junto aos meninos de rua, podemos saber as causas que os levaram para as ruas, porque eles consomem o “craque”, onde estão seus pais, etc. etc. Numa pesquisa de mercado, podemos saber porque uma cerveja é a preferida e a mais pedida em restaurantes e bares. Uma pesquisa detecta o que seus moradores mais desejam de um prefeito, se uma creche, uma praça, uma escola, um posto de saúde ou melhoria do transporte coletivo. Sem pesquisa, um industrial não fica sabendo porque seu produto não é bem aceito e o que deve ser feito para vender mais. 

A pesquisa eleitoral ajuda muito no planejamento e não é aconselhável a sua divulgação, mesmo o resultado sendo favorável a quem a contratou, “para não dar ouro ao bandido”. Muitos candidatos

gastam com santinhos, cartazes e carros de som, sem antes saberem onde eles devem ser distribuídos e quais os melhores locais para comícios.

Dias antes das eleições, fomos contratados pelo deputado Marcos Barbosa para uma pesquisa em Maceió, onde entrevistamos 1.000 pessoas nos 10 bairros de maior densidade eleitoral e ouvimos 100 pessoas em cada um dos bairros. Assim sendo, nós já sabíamos o nome do provável prefeito e alguns vereadores. Também já sabíamos os mais rejeitados pelo povo. Os comícios, as campanhas, os horários de televisão e rádios pouco adiantam para certos candidatos. O deputado Marcos Barbosa viu que tudo aconteceu como disse a nossa pesquisa. Nossas pesquisas não são registradas no TRE e, consequentemente, não serão divulgadas. Alguns institutos estão blefando, com diferenças imorais, pois pesquisas são científicas, porém, esse negócio de 2 pra mais ou para menos, é para enganar o povo. Não é necessário, pois, isso acontece no mundo inteiro, como dizem todos os manuais. Os resultados de Delmiro Gouveia, Palmeira dos Índios, Arapiraca e outros enganaram o povo com números imorais. Vejam os resultados que foram divulgados, cinicamente e, depois, vejam os resultados reais, muito diferentes.

Mentiram e mentiram e, ninguém vai ser punido, pois, tem muito dinheiro no jogo!

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia