Acompanhe nas redes sociais:

22 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 894 / 2016

24/10/2016 - 17:51:26

Mentes criminosas nada brilhantes

CLÁUDIO VIEIRA

Preciso, antes de tudo, esclarecer um ponto: não sou partidário de nenhum candidato nas eleições que se avizinham de uma solução em segundo turno. Nem milito qualquer dos partidos políticos em atividade, até porque são meras agremiações sem qualquer substância programática; em suma, visam todas apenas o poder pelo poder.

Sou dono do meu voto, e o dedico a quem melhor poderá representar-me, enquanto eleitor e cidadão da minha Cidade, do meu Estado, do meu País. Malgrado o distanciamento que mantenho da política partidária, e dos políticos, jamais deixo de manifestar a minha vontade cidadã, seja em escritos, oralmente ou pelo voto que reputo consciente. Assim, ao votar – e como não o faço com respeito ao discurso programático vazio dos partidos – busco perquirir sobre a personalidade do candidato, suas intenções manifestas, seja pelo trabalho já realizado, ou pela seriedade de suas propostas. Eis então que estou sempre atento ao desempenho dos pleiteantes, exercendo a crítica, avaliando a sinceridade que deve exsudar de suas palavras. Por exemplo: não posso, em sã consciência, acreditar em quem se diz escolhido por Deus para exercer determinado cargo político, pois só um safardana pode cometer tamanho absurdo eleitoreiro; da mesma forma, deploro o sujeito que se arvora em construtor de tudo, de todas as obras de nossa Cidade, inclusive tentando impingir-nos a ideia de que o beneficiamento da orla de Maceió é exclusiva obra sua, quando todos sabemos que foi de várias administrações municipais, tendo sido iniciada no início da década de l970, quando foi prefeito João Sampaio. O sujeito que divulga tais coisas em seu benefício não merece a minha credulidade.

Agora, as aleivosias enveredaram para a senda do crime. Fraudaram a marca deste hebdomadário, montando suposta entrevista com o prefeito Rui Palmeira, candidato à reeleição. Talvez tivessem pensado, marqueteiros ou avulsos, realizar ato de propaganda negativa brilhante, daquelas que definem uma eleição em favor de algum candidato. Estupidez das estupidezes! Afinal, quem acreditará que um candidato a prefeito, às vésperas de um pleito que disputa, saia divulgando que não cuidará dos interesses dos funcionários públicos municipais, que não cumprirá com aquilo que é mais comezinho dos deveres, o pagamento em dia dos salários? O “gênio” que engendrou o absurdo, deveria estar preso, não apenas pelo crime eleitoral que cometeu, mas pela estultice, burrice mesmo. Bem, como a Polícia Federal deverá investigar a fraude – e por mais encoberto que tente ser o crime cibernético a PF tem dado demonstrações que chega ao criminoso - esperemos que o autor da molecagem idiota sofra o devido castigo. 

A essa altura, claro está em quem não votarei.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia