Acompanhe nas redes sociais:

13 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 894 / 2016

24/10/2016 - 17:47:36

Montagem com o nome do EXTRA é investigada pela PF

Internautas usam o nome do jornal para difamar candidato

José Fernando Martins [email protected]
Montagem grotesca foi feita usando a marca do EXTRA; jornal notificou a PF sobre o crime

A Polícia Federal está investigando a denúncia encaminhada pelo EXTRA ALAGOAS após o site do veículo de imprensa ser envolvido em jogo eleitoreiro para prejudicar a campanha do candidato à reeleição Rui Palmeira (PSDB) à Prefeitura de Maceió. No último domingo, 16, o diretor geral do periódico, Afrânio Bastos, foi surpreendido por uma montagem que utilizava o portal NOVO EXTRA como pano de fundo para promover uma entrevista fictícia na qual Rui Palmeira declarava que em 2017 os servidores municipais receberiam os salários por meio de parcelamento. 

Porém essa entrevista nunca foi dada, pelo menos não para o EXTRA ALAGOAS. Como forma de orientar os leitores e internautas foi publicada uma nota informando que o material que circulou nas redes sociais, principalmente no WhatsApp, “tratava-se de montagem grosseira utilizando a logomarca do jornal e de seu site – novoextra.com.br – cujo conteúdo é totalmente inverídico e completamente destoante dos padrões de design adotados pelo jornal e pelo site, bem como repleto de erros no que se refere à língua portuguesa”.

Segundo o delegado regional executivo da Polícia Federal (PF) em Alagoas, André Costa, as denúncias que chegam até a instituição passam por uma espécie de triagem. “Isso é para definir o que se transformará em inquérito, ou não, na Polícia Federal ou em outro órgão competente”, explicou. A denúncia do EXTRA ALAGOAS encontra-se em fase de análise. 

MÁ FÉ 

Outros órgãos de imprensa passaram por situação semelhante. É o caso do portal Gazetaweb. Em matéria falsa utilizando o nome do grupo, Rui Palmeira “aparece” em cerimônia religiosa afrodescendente na Bahia. O portal também precisou lançar mão de nota para informar os leitores. Já a Tribuna Independente foi usada para dar credibilidade a notas sobre os municípios de Maragogi e Pilar. 

A nota de Maragogi supostamente publicada pelo jornal Tribuna Independente no dia 28 de setembro diz que o candidato à prefeitura do município, Marcos Madeira, estaria abandonando a disputa. A nota conta com posicionamentos que não condizem com a linha editorial de reportagem do jornal.  

O caso de Pilar foi ainda mais grave. Além de produzir a falsa matéria sobre o candidato Renato Filho, foi elaborada uma imagem com uma nota com a logo do jornal Tribuna Independente e que teria sido assinada pelo editor geral, o jornalista Ricardo Castro. 

Conforme o chefe de cartório da 54ª Zona Eleitoral, José Carlos Cardoso, “as montagens só configuram crime eleitoral quando um dos citados se sente prejudicado e aciona a justiça”. Sobre os órgãos de imprensa usados como meio de propagar material calunioso, ele informou que cabe ao setor jurídico da instituição analisar a melhor medida para preservar a empresa.  

TUDO PELA  PREFEITURA

Montagens seriam estratégia para  prejudicar Cícero

O advogado da coligação “Pra Maceió Voltar a Crescer”, Luciano Guimarães, negou na segunda-feira, 17, que o candidato à prefeitura, Cícero Almeida (PMDB), esteja por trás das ligações telefônicas que acusavam o também candidato Rui Palmeira (PSDB) de participação no esquema da Lava Jato, assim como as montagens que circulam a internet. 

Em conversa com a imprensa, Guimarães informou que a assessoria jurídica desconhece qualquer atuação do tipo. “É ingenuidade achar que atos que possam prejudicar um candidato só venham do lado do opositor. 

Rui Palmeira aciona  a Justiça para explicações

A assessoria do prefeito Rui Palmeira emitiu nota sobre as falsas notícias que circulam nas redes sociais. Confira a íntegra:

O prefeito de Maceió e candidato à reeleição, Rui Palmeira (PSDB), repudia a baixaria de quem, em vez de apresentar propostas para o desenvolvimento de Maceió, tenta desqualificar a campanha e os adversários, espalhando boatos e mentiras. 

A Justiça Eleitoral já está informada sobre a propagação de informações caluniosas, que têm baixado o nível da campanha eleitoral, na tentativa de prejudicar os adversários.

A população de Maceió conhece os candidatos à Prefeitura e sabe diferenciar quem tem propostas para o crescimento da cidade de quem só sabe difamar e caluniar. 

Rui Palmeira é um político ético, que acredita nas instituições e na Justiça, que, esta semana, lhe concedeu direitos de resposta contra a disseminação de fatos caluniosos. Rui seguirá fazendo política limpa. A Justiça e os maceioenses darão a resposta contra a baixaria.


Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia