Acompanhe nas redes sociais:

19 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 893 / 2016

17/10/2016 - 18:16:19

Aviso aos navegantes: um recado direto

MAURÍCIO MOREIRA

A histórica decisão do Supremo Tribunal Federal sobre a prisão em segundo grau, foi uma decisão esperada pela grande maioria da sociedade brasileira, que vem assistindo estarrecida diversos tipos de crimes nunca vistos em nossa história. Tenho certeza que o que aparecerá, ao longo do tempo, não só vai estarrecer o nosso Brasil, mas também o mundo, numa sociedade que é globalizada. 

Mas o que mais me impressionou, no bom sentido, foi a fundamentação do voto do ministro Gilmar Mendes, em um momento, posso dizer, único e histórico, em que  mandou um recado duro e direto para o Brasil, mostrando claramente o que vem acontecendo aqui, no nosso sofrido estado de Alagoas. Na ocasião o ministro disse “que Alagoas tem o pior judiciário do Brasil e que é o paraíso do crime de mando”. O recado do ministro do STF durante julgamento mostra claramente o que estar nos processos que correm em segredo de justiça. Eu mesmo escrevi diversos artigos, publicados na imprensa alagoana, em especial no Semanário Extra, sobre a alta brutalidade apoiada pelos poderosos de plantão, que usam e abusam de uma minoria do poder judiciário e da Polícia, faço questão de destacar, que a maioria desses setores são compostos de pessoas de bem, que também se tornam vítimas dessa minoria bárbara e criminosa. Eu mesmo já sofri na pele a brutalidade dessa minoria, com manobras feitas para explorar e liquidar um cidadão de bem. Inclusive enviei para algumas autoridades, ao longo de mais de doze anos, documentos que mostram claramente como é difícil sobreviver em um estado de coisas como essas. Pois o crime de mando em que o ministro Gilmar Mendes se referiu é gerado por diversos interesses escusos, inconfessáveis e por motivos de origem política, interesses financeiros,  econômicos e pessoais que muitas vezes não vêm a aparecer a luz do dia, porque são disfarçados por intrigas pré fabricadas, para criar e fragilizar pessoas inocentes, para com isso, tomar e saquear, usando o poder, criando situações e cortinas de fumaças para ocultarem seus crimes através de chantagem, terror, amedrontamento, abuso explícito de autoridade e criando nos bastidores malefícios pré fabricados para fazer valer os interesses escusos de poderosos de plantão, que quando não pecam pela omissão, pecam pelos interesses altamente frios, calculistas e diabólicos. E o que venho escrevendo exaustivamente, ao longo dos anos, é que os olhos de Deus estão em todo lugar e creio que ao longo das diversas investigações da Polícia Federal em nosso Estado, que muitas vezes foram para investigar crimes de origem federal, como desvios de dinheiro público e de royalties e com essas investigações descobriram outros tipos de crimes, como vendas de sentenças, crimes de mandos, leilões falsos e criminosos bem como outros tipos de crimes que em breve  aparecerão, mostrando claramente que o crime não compensa. Finalizo citando um enigma holístico que diz que quando nada é certo, tudo é possível.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia