Acompanhe nas redes sociais:

26 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 892 / 2016

10/10/2016 - 17:18:45

Cuidado com os lobos vestidos de ovelhas

JOSÉ ARNALDO LISBOA

Depois de duas breves passagens da minha vida, vou fazer um fuxico ao governador sobre governadores. Na minha idade de jovem e já como testemunha da vida política de Alagoas, eu lembro-me que os governadores eram figuras de destaque e que muito chamavam a nossa atenção, às vezes devido ao cerimonial, quando eles apareciam em público, tanto em solenidades como em festas. Alguns que conheci eram pessoas simples, como foram os governadores Lamenha Filho e Teobaldo Barbosa. Com o governador Lamenha  eu tive uma certa aproximação, através do Dr. José Alves de Oliveira, seu secretário de Administração, quando fui convidado para ser o superintendente da FIAM – Fundação Instituto de Administração Municipal. Anos depois, quando o senhor Lamenha já não era governador, eu o convidei para que ele fosse padrinho de batismo do meu filho Petras, embora ele tenha dito: “Dr. Arnaldo, o senhor está lembrado que eu não sou mais governador?” Eu disse: “Foi por isso mesmo, governador que eu o convidei, pois eu queria um amigo para ser padrinho do meu filho, e não um governador”. Houve o batizado e o ex-governador com a sua esposa, a Sra. Dona Marina, ficaram nossos cumpadres e amigos. 

Com o ex-governador Teobaldo minha amizade foi quando ele convidou-me para ser secretário do Conselho de Energia de Alagoas, ele na qualidade de vice-governador. Ao assumir o Governo de Alagoas, o governador mandou que eu voltasse para o DER, como diretor da Divisão de Trânsito. Depois, todos os meses, nós nos reuníamos na chácara do Dr. Cláudio Davino, com a presença do governador Teobaldo e seus secretários, como Dr. Enio Barbosa, Dr. Cleyton Sampaio, coronel Theodomiro, jornalista José Alberto, coronel Edson Gomes, Dr. Luciano Chagas, Eng. Wellington Gustão, etc. 

Hoje em dia, os governadores são mais populares, pois estão diariamente dando entrevistas em rádios de Maceió. Inclusive, um desses radialistas diz que fala com o governador na hora que quiser, pois o governador fica chamando-o para entrevistas. Eu acho muito importante a comunicação de um governador com o povo, contudo, deveria haver mais respeito e consideração, sem a intimidade para chamá-los de “você” ou dar demonstração de que é muito amigo dele, ou até mesmo íntimo. Eu sou por um tratamento respeitoso a qualquer pessoa e se essa pessoa for uma autoridade, eu saberei tratá-la como tal, sem dar demonstrações de intimidade. Tem gente que não sabe distinguir o que é ser amigo e o que é ser bajulador. Há certas horas que eu lembro-me do livro do ex-prefeito Sandoval Caju, intitulado de “O conversador”. 

Seria bom que o governador tivesse muito cuidado com os lobos vestidos de cordeiros! Seria bom que ele mandasse que os lobos, pelo menos, soubessem como se comportar, quando no cargo de um governador. Seria bom que ele notasse muita gente fingindo ser seu amigo. Às vezes a gente ouve e se cala, para não aumentar as chamas do inferno de certas pessoas. Cuidado Excelência!

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia