Acompanhe nas redes sociais:

15 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 891 / 2016

30/09/2016 - 09:15:51

Sindicato dos Professores denuncia calote do prefeito Zé do Pedrinho

Chefe do executivo também é acusado no MP de apropriação indébita

João Mousinho [email protected]
Zé do Pedrinho

No último dia 6 de setembro a direção do Sindicato dos Educadores de Atalaia encaminhou para o Ministério Público Estadual (MPE) a denúncia de salários atrasado de professores em atividade e aposentados. O documento na época já relatava um atraso de 66 dias, um dos trechos pede a intervenção do órgão ministerial junto ao Executivo,pois “tais servidores estão literalmente passando fome”. 

Outra problemática narrada ao MP é falta do pagamento do décimo terceiro salário dos servidores desde março, já que a Lei Orgânica do Município estabelece que o décimo deve ser pago no mês de aniversário. O descumprimento vem gerando ônus para o servidor, que se programou financeiramente com a prática de pagamento estabelecida por Lei.

O presidente do Sindicato dos Professores de Atalaia, Fábio Cirilo Montenegro de Lima, ressaltou que estranhamente em ano de eleição atrasos salariais e descumprimento da Lei de pagamento do décimo terceiro salário vem sendo burlada. “Ao que parece o dinheiro de nós educadores está sendo investido na política”, expôs. 

O Sindicalista contou que enviou inúmeros ofícios para o chefe do executivo para que as problemáticas fossem sanadas, mas nada foi feito. “O desrespeito contra os professores de Atalaia é um absurdo. A educação não é tratada como coisa séria, como prioridade por parte do gestor”, contou o sindicalista. 

Mais problemas 

Outro fato que vem ocorrendo em Atalaia e está causando a revolta de servidores é o não rapasse dos empréstimos consignados por parte da prefeitura para o referido banco. Dezenas de professores e pensionistas realizaram empréstimos e tiveram seus descontos mensais em seus contracheques, mas os valores não foram repassados para a Caixa Econômica Federal.  

A denúncia de apropriação indébita realizada pelo Sindicato dos Professores de Atalaia foi encaminhada para o Ministério Público Federal e Polícia Federal, uma vez que o banco é da União e os proventos dos educadores são destinados pelo Fundeb. “Hoje os professores recebem carta de cobrança, ligações, sms, tudo isso causando constrangimento”, destacou o diretor do Sindicato, José Albuquerque de Almeida. 

O Sindicalista também adiantou que muitos professores estão tendo seus nomes negativados e a gestão do prefeito Zé do Pedrinho não se posicionou sobre o tema, causando a revolta do funcionalismo.

Intimidações 

O presidente do Sindicato dos Educadores de Atalaia, Fábio Cirilo, contou que recentemente uma professora foi agredida por se negar a entrar em sala de aula, devido os salários atrasados. Reprovando a postura da educadora, a diretora adjunto, Edla Brasil, agrediu a mesma lhe forçando a ir para sala de aula. 

“Essa diretora adjunto exerce o cargo por indicação do prefeito, então ela se viu nas vezes de forçar a professora a dar aula mesmo sem receber o que é seu por direito. A professora não realizou Boletim de Ocorrência temendo sofrer represálias, mas expomos o nome da agressora para que isso não se repita mais”, destacou Fábio.  

O prefeito Zé do Pedrinho através de sua assessoria de comunicação negou todas as acusações dos sindicalistas e colocou que os salários seguem rigorosamente em dia. Ainda segundo assessoria a inciativa é eleitoreira, a fim de prejudicar sua eleição.

Supersalários

O jornal EXTRA teve acesso a documentos encaminhados ao juiz de Atalaia que revela superadicionais na folha de pagamento da prefeitura. Segundo a diretoria do  Sindicato dos Educadores de Atalaia a manobra é realizada para lavar o dinheiro da prefeitura.

Os educadores disseram que o rombo dos cofres públicos é incalculável e a bandalheira rola à solta, pois o portal da transparência não é atualizado como deveria, está há meses sem o abastecimento de suas informações. 

“A Prefeitura de Atalaia é uma caixa-preta, mas está nas mãos do MP e do judiciário tomarem as medidas cabíveis contra as irregularidades praticadas por Zé do Pedrinho e seu grupo político”, finalizou Fábio Cirilo Montenegro de Lima. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia