Acompanhe nas redes sociais:

24 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 890 / 2016

26/09/2016 - 18:38:08

Somos os problemas do governador

JOSÉ ARNALDO LISBOA

Eu fui contratado pelo DER/AL no governo do Major Luiz Cavalcante e, dois anos depois, passei a fazer parte do quadro efetivo, no governo do General Tubino. Dentre os diversos colegas, eu encontrei pessoas abnegadas ao rodoviarismo, muitos deles competentes, tanto como engenheiros, como técnicos, assessores e funcionários de um modo geral. Encontrei burocratas no meio de pessoas de mãos calejadas, no meio de peões, motoristas, caçambistas, tratoristas e trabalhadores braçais, todos conscientes de que somos importantes para o progresso de Alagoas quando abrindo, construindo e pavimentando as rodovias. Nunca fizemos greves e sempre tivemos “relógios de ponto”. Nesta semana que vai findar, pela primeira vez, eu soube que o DER estava em greve de advertência, já que lutamos muito para que os governadores nos dessem os justos aumentos salariais. Compareci a mais de dez reuniões com nossos colegas e, em algumas delas, tivemos esperanças de recebermos salários justos, pois o único órgão do Estado que está sem aumentos é o nosso DER/Al. Já estamos há 14 anos sem aumento, mesmo já tendo falado com deputados e secretários. Inclusive, já apresentamos estudos para uma tabela, pois já estamos com colegas passando fome. 

Dizem que “a esperança é a última que morre”, mas a nossa já foi torturada, espezinhada e assassinada, quando o governador Renan Filho disse para todo o Brasil ouvir e, principalmente, para Alagoas, que “os aposentados do DER, são verdadeiros problemas para ele”. Disse que temos 1.200 aposentados e que na ativa são apenas 300 servidores. Parece até que no mundo inteiro só existe aposentados no DER e que esses é que são os verdadeiros problemas para o governador de Alagoas. Ora, o pronunciamento do Excelentíssimo Senhor Governador foi ouvido e, imediatamente, muitos colegas sofredores, faltando poucos dias para as eleições, disseram que não irão votar no candidato apoiado por ele. São em torno de 20.000 eleitores, entre os aposentados, seus filhos, tios, genros, netos e outros familiares. Eu ouvi colegas dizendo que, no caso de uma derrota do seu candidato, a culpa será dele. Os 20.000 eleitores que são os problemas para o governador podem até perdoar Sua Excelência pelo seu inconveniente pronunciamento dias antes das eleições. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia