Acompanhe nas redes sociais:

14 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 890 / 2016

26/09/2016 - 18:36:35

Gabriel Mousinho

Última cartada

Gabriel Mousinho

O governador Renan Filho está perplexo com a queda do seu candidato Cícero Almeida nas pesquisas do Ibope e deve preparar na última semana uma cartada decisiva para tentar reverter o quadro eleitoral. Talvez seja o reaparecimento do senador Renan Calheiros, que se afastou um pouco da campanha para mergulhar nos problemas que lhes chega às mãos em Brasília.

Cícero Almeida vai ter apenas uma semana para tentar recuperar o tempo perdido, embora tenha ocupado bom espaço no guia eleitoral e contado com a ajuda do governo em obras na capital.

O clã dos Calheiros sabe perfeitamente, que não conquistando a prefeitura de Maceió, terá dificuldades em 2018. É essa preocupação que tem tirado o sono de Renan Filho e Renan pai, que enfrentarão novas batalhas políticas nas suas tentativas de reeleição.

Na hipótese de Rui Palmeira ser reeleito, será um forte candidato para disputar o governo de Alagoas com Renan Filho, apoiado por várias forças políticas a exemplo de Benedito de Lira, Téo Vilela, Maurício Quintella e até mesmo da possibilidade de engajamento do senador Fernando Collor. Por isso mesmo que nesses últimos dias de campanha Renan e sua equipe deverão entrar em campo para tentar decidir à parada. O que, convenhamos, não será nada fácil.

Só impressão

A eleição de Renan Filho para o governo do Estado dava a impressão que o seu grupo dominaria a política alagoana. Mas parece que não é bem assim. Os municípios estão divididos e a oposição cresce a cada dia.

JHC subindo

A surpresa nessas eleições pode ser a subida de JHC, que vem gradativamente alcançando bons números nas pesquisas de opinião. Ele terá mais uma semana para tentar desbancar Cícero Almeida e disputar um segundo turno com Rui Palmeira, embora tenha perdido uma grande oportunidade de deslanchar durante o debate na TV Mar.

Desgaste

A violência que tomou conta do Estado, os péssimos índices na área de saúde e a grande crise financeira, contribuiu para o desgaste do candidato do governo, Cícero Almeida, embora ele insista no guia eleitoral de que vai resolver os graves problemas do município. Renan Filho, diga-se de passagem, tem feito a sua parte. O problema é que o seu candidato aumenta a rejeição junto ao eleitorado.

Efeito PT

O deputado Paulão está sentindo os efeitos das denúncias contra o partido em nível nacional e que tem afetado duramente em Alagoas. Agora, com as denúncias do Ministério Público contra o ex-presidente Lula, o desgaste será ainda maior. Paulão vai aproveitar os últimos dias do guia eleitoral para aparecer, mostrar serviço e preparar sua campanha de reeleição à Câmara Federal.

Sem efeito

Nem a publicidade do governo anunciando obras em Maceió tem melhorado a situação de Cícero Almeida nas pesquisas. O desconforto é total no Palácio do Governo que já começou a intervir na campanha.

Indiferença

Muitos auxiliares do governador Renan Filho estão na lista negra porque não se engajaram como devia na campanha de Cícero Almeida. O caderninho do governador está recheado daqueles que não aderiram à campanha do Ciço.

Linha de frente

Depois de contratar novo marqueteiro de campanha e observar que a vaca está indo pro brejo, os Calheiros tomaram a frente da campanha de Cícero Almeida. Só não puderam substituí-lo nos debates.

Tirando o corpo

Acuado por seus adversários, principalmente Fernando do Village, JHC preferiu não se prolongar nas respostas de denúncias e questionamentos sobre seu volumoso patrimônio em tempo recorde. Preferiu passar por longe do assunto, assim como da decisão da Justiça Federal sobre seu pai que foi condenado no processo da Sanguessuga. E demonstrou que não é bom de debate.

Fraco

De um observador sobre o comportamento de JHC no debate na TV Mar: ´´em matérias produzidas no guia eleitoral ele é bom. No debate que participou ao vivo na televisão, muito fraco´´.

Tropa de                  choque

Benedito de Lira, Maurício Quintella, Téo Vilela, Ronaldo Lessa e outras lideranças políticas entram em campo pra valer na última semana de campanha em Maceió, mas sem se descuidar dos grandes municípios a exemplo de Arapiraca, Palmeira dos Índios, São Miguel dos Campos, União dos Palmares e Rio Largo. 

Alerta total

A Polícia Federal está de prontidão para flagrar quem anda comprando votos em Maceió. Depois das denúncias de Galba Novaes e do pastor João Luis, está mais fácil de descobrir onde os malas pretas atuam. Nada mal se os dois deputados dessem uma mãozinha aos federais e ajudassem a prender essa turma.

Com o rabo         de fora

O deputado e candidato a prefeito Cícero Almeida, com certeza vai ter que se explicar sobre os apartamentos que possui e não foram declarados à Justiça Eleitoral, conforme denúncias feitas na imprensa nos últimos dias. É mais uma complicação para Almeida, que já anda enrolado em alguns processos.

Duas vias

Enquanto o governo do Estado corre para anunciar novas obras, a Polícia Civil denuncia que os coletes à prova de balas estão com prazo de validade vencido. É pena que essas denúncias ocorram sempre próximas às datas de reajustes salariais. 

Arrumando as gavetas

Insatisfeito com o desempenho de muitos dos seus secretários, o governador Renan Filho só está esperando passar as eleições para fazer mudanças na sua equipe. A justificativa é antiga, como, por exemplo, secretários que não estão correspondendo. Dizem por aí que a degola vai ser grande.

O caso é sério

Nas inserções do PMDB nesta semana na televisão, só deu Renan Filho. É a nova estratégia do partido, cujos dirigentes andam muito preocupados com a subida de Rui Palmeira nas pesquisas.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia