Acompanhe nas redes sociais:

20 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 888 / 2016

11/09/2016 - 17:06:48

A música que harmoniza com o estilo do restaurante

JANIO FERNANDES

A origem da palavra restaurante refere-se a palavra restaurar, que aos poucos ganhou outro significado, relacionando a restauração do corpo por meio da alimentação. Sem querer entrar muito na história, nem na semântica, gosto muito da ideia de gerar restauração em um lugar, mas não apenas do corpo. Como diz o meu amigo e maestro Heraldo França, também neste lugar se restaura a alma. E é assim que entendemos que existem restaurantes onde você se sente bem ao estar lá, pela atmosfera e pela decoração, sem esquecer do nível do atendimento, da iluminação e principalmente pela música. A música no restaurante. 

A música é um elemento que a indústria hoteleira todavia não dá a devida importância. Sem dúvida ela é um aspecto importante que pode influenciar a experiência dos comensais, tanto de modo positivo como de forma negativa. 

O tipo de música deve fazer parte do conceito do restaurante ou do bar. Mas poucos estabelecimentos atentaram para este fato. A história é simples, dependendo do tipo de bar ou restaurante, normalmente são os próprios funcionários que escolhem as músicas conforme seus gostos. Porém, uma música inadequada pode criar experiências negativas para os clientes. E o que poderia ser um almoço ou jantar agradável, acaba tornando a experiência estressante porque a música afeta o ambiente, tanto no sabor da comida, como no apetite. 

Sempre comento que um restaurante reflete o estilo de seus clientes através dos seus pratos, mas existem outros recursos, como a decoração do ambiente, o trato que recebem dos atendentes e, obviamente, a música. Por essa razão, a música não pode ser escolhida apenas pelo gosto pessoal, mas deve seguir também um critério mercadológico, que traduza a imagem de um lugar onde o cardápio foi pensado, a decoração planejada e onde até os objetos e cores foram escolhidos criteriosamente. A música pode definir o perfil de lugar. Música exige uma seleção prévia. 

Me chocam os lugares que oferecem música ao vivo sem exigir do profissional contratado um repertório adequado e o controle do volume do som. Por esse motivo muitos clientes não retornam a lugares em que a música ao vivo não foi uma eleição meditada. 

Independentemente do estilo de música (eletrônica ou ao vivo), acredito que qualquer um pode ser valido. O importante é que a música cumpra sua função principal (tapar o silêncio), preencher os espaços e proporcionar calidez ao ambiente. Num restaurante, a atenção deve centrar-se na comida, no serviço, na decoração, não em uma discoteca onde se procura a emoção através dos decibéis. No restaurante o som deve ser nítido e suave. Deve permitir que se converse sem a necessidade de levantar a voz. A música deve passar despercebida, exceto em momentos de silêncio.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia