Acompanhe nas redes sociais:

21 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 888 / 2016

09/09/2016 - 06:48:21

Sururu

Impunidade

Da Redação

Os três desembargadores da 3ª Câmara Cível, que irão julgar Cícero Almeida, Paulão e Arthur Lira, além de outros cinco “taturanas”, estão sofrendo pressão de todos os lados para salvar a cara dos acusados. É assédio moral irresistível. Senão vejamos: 

1 - Domingos de Araújo Neto, Celyrio Adamastor Accioly e Fernando Tourinho Filho deveriam ter julgado nessa quinta-feira, 8, um recurso dos condenados e assim decidir um processo que se arrasta há quase 10 anos. 

2 - Entre os “taturanas” já condenados em primeiro grau estão os deputados federais Cícero Almeida, Paulo Fernando dos Santos, o Paulão, e Arthur Lira. 

3 – Desses, Almeida e Paulão são candidatos a prefeito de Maceió. Se o TJ mantiver a sentença do primeiro grau, perderão o mandato e ficarão inelegíveis por 10 anos, como os demais. 

4 – Além desses, outros “taturanas” envolvidos no mesmo assalto aos cofres públicos também usam todo tipo de pressão para escapar do processo. Entre esses estão Antônio Albuquerque, João Beltrão, Cícero Ferro, Gilberto Gonçalves, Dudu Albuquerque e outros. 

5 – Além dos próprios acusados, o governador Renan Filho, os senadores Renan Calheiros e Biu de Lira e toda Assembleia têm interesses em deixar tudo como está. Na impunidade. Mas o MP e a sociedade estão de olho nesse escândalo. 

6 – Por tudo isso, não se deve estranhar que os magistrados “adoeçam” na véspera do julgamento. A próxima sessão será  dia 22, mas ninguém acredita que os “taturanas” sejam julgados antes das eleições.  

Debandada do PT

O rompimento do finado PT com o governo de Alagoas levará Renan Filho a fazer alterações em sua equipe de governo que, aliás, precisa mesmo de uma mexida. 

Mesmo com o PT fora do governo, o secretário estadual do Trabalho, Joaquim Brito, vem se oferecendo para continuar no cargo, mas o governador quer distância do petista, de atuação pífia. 

No Serveal (Serviço de Engenharia de Alagoas), o competente Judson Cabral – se quiser – pode ficar, mas o petista - que jamais se oferecerá - deve sair por questões éticas, coisa rara no PT. 

Mas Judson não ficará desempregado por muito tempo. Em breve, assumirá o cargo de deputado estadual na vaga de Marquinhos Madeira, que deverá ser cassado por corrupção eleitoral.  Eleito pelo PT, também deveria perder o mandato por sua nulidade como parlamentar.  

A dúvida é saber onde o deputado Paulão vai botar tantos petistas hoje arranchados no governo do Estado. A menos que ele se eleja prefeito de Maceió, o que é mais difícil. 

Ninguém segura                a Lava Jato

Os advogados das empreiteiras, alguns meses atrás, espalharam para a imprensa que a Odebrecht delataria Dilma Rousseff e a OAS delataria Lula.

Plano deu errado

A OAS, antes que Rodrigo Janot mandasse rasgar os mais de 90 anexos de sua proposta de acordo com a PGR, já havia delatado Dilma Rousseff, Aécio Neves, José Serra e dezenas de outros políticos - além de Lula, é claro.

E a Odebrecht, como O Antagonista publicou ontem, delatou Lula, revelando seu esquema nas obras do estádio do Corinthians, o Itaquerão.

Sem controle

O fato é que ninguém consegue segurar a Lava Jato.

Lula, que até recentemente parecia ser intocável, agora tem uma lista de acusadores, de Delcídio Amaral a Renato Duque, passando por João Santana e sua mulher, Dona Xepa.

Dilma a caminho 

da cadeia

O trabalho dos procuradores da Lava Jato acabou de ser estendido até 8 de setembro de 2017. O Brasil ainda vai mudar muito nesse ano. (Diogo Mainardi). 

Clube do                Luleco

A Lava Jato abriu nova frente de investigação sobre Luleco, segundo o Estadão, por causa do pagamento feito pela HZ Administração e Participações, empresa de um sócio do caçula de Lula, à JNobre Consultoria e Engenharia.

A JNobre era usada pela Andrade Gutierrez para pagar propina a Othon Pinheiro da Silva.

Luleco e Lulinha parecem clubes de tantos sócios que têm.

Cassação de Cunha

A votação que pode cassar o mandato de Eduardo Cunha está marcada para as 19h da próxima segunda-feira. 

O Globo divulgou um placar em que 238 deputados dizem que votarão contra Cunha -- são necessários 257 votos para ele ser derrotado.

Três admitiram que votarão pela absolvição: Arthur Lira, Carlos Marun e João Carlos Bacelar.

Viúvas do PT 

O publicitário paulista Elsinho Mouco criou um novo slogan para combater o “Fora, Temer”, usado pelas viúvas do PT. É o “Fora, ladrão”. “Não há “vacina melhor contra os desaforos dos petra-lhas”, diz o publicitário, que é ligado ao PMDB de Michel Temer.

 Deu no Radar

“Rodada da Paraná Pesquisas sobre a expectativa de voto em Maceió mediu também a influência dos senadores Renan Calheiros e Fernando Collor nas eleições.

Para 23,6% dos entrevistados, o apoio de Renan a um candidato o prejudicaria. Outros 17,4% dizem que o apoio seria positivo.

Em relação a Collor, 32,6% disse que o apoio prejudicaria o candidato e 20% que o auxiliaria”.

Murici

O candidato a prefeito pela oposição em Murici, Caubi Freitas, caiu mesmo no gosto popular. O comentário na cidade é que a pesquisa realizada pelos Calheiros não trouxe boas notícias para seus aliados. Dizem até que reuniões e outras práticas já começaram pelas bandas de lá.

Festa na Assmal

A Associação dos Subtenentes e Sargentos Militares de Alagoas (Assmal) promove hoje seresta em seu novo espaço de eventos. A festa acontece na sede do clube, no Trapiche da Barra, a partir das 20h30. A animação ficará por conta de Ivana Pink e banda. A noite promete ainda muito forró.

Entrevistas

A partir deste sábado, o site do EXTRA - www.novoextra.com.br - trará entrevistas com os candidatos à Prefeitura de Maceió. Elas serão publicadas a cada sábado e domingo e no feriado do dia 16.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia