Acompanhe nas redes sociais:

15 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 887 / 2016

10/09/2016 - 07:50:57

Só ela?

Alari Romariz Torres

Não votei no Lula. Não votei na Dilma. Não votei no PT. 

 Assisti ao processo do impeachment da presidente e fiquei assustada com os juízes que vi. Boa parte dos senadores participantes do processo ou estão sendo investigados ou já tiveram seus nomes envolvidos em escândalos.

Fico sempre em dúvida a respeito de propina e verba de campanha. As eleições no Brasil, há vários anos, com honrosas exceções, são patrocinadas com dinheiro público, além do fundo partidário. Imaginem vocês, prezados leitores, quais os candidatos a deputado estadual, federal, senador, que patrocinam suas campanhas com verbas próprias?

Aqui em Alagoas, há políticos de origem pobre, que fazem propagandas eleitorais caríssimas e se elegem. Ninguém sabe de onde vem o dinheiro. Outros, ditos ricos, entram na mesma dança e também se elegem. O político, em nosso estado, que pretende ganhar votos por idealismo, com um bom discurso e pelo contato com o eleitor, dificilmente sairá vitorioso. Os cabos eleitorais quase sempre são assessores de políticos, pagos com dinheiro público.

Os escândalos se sucedem: mensaleiros, taturanas, sanguessugas e a Lava Jato continua andando. Poucas sãoas exceções.

Ministros do atual governo e da Dilma estão sendo investigados pela Polícia Federal. Outros estão até indiciados. Foram substituídos, mas continuam trabalhando nos bastidores.

Esta semana ouvi um senador dizer da tribuna, que o relator do processo de afastamento da Dilma cometeu em Minas Gerais, quando governador, erros idênticos aos da presidente afastada. E o senador acusado ouviu tudo, calado e sério. Nada replicou! E é juiz da Dilma.

 Os 3 senadores por Alagoas, investigados pela Polícia Federal na Operação Lava Jato, são juízes da Dilma.

Os senadores e senadoras que defendem a Dilma também são pecadores. Um deles já teve os bens bloqueados. Outra quase foi indiciada e o marido preso. E são juízes de Dilma!

 O presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas, ex-deputado estadual, foi afastado do cargo por várias denúncias enviadas ao Conselho Nacional de Justiça. Um conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, também ex-deputado foi afastado do cargo por irregularidades. Só Deus sabe quando serão julgados. Um era juiz do povo, outro, juiz das contas dos municípios.

 Na Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Alagoas há “taturanas”. Cheios de poder, perseguem servidores ativos e inativos, não publicam a folha de pagamento e administram a Casa de Tavares Bastos como propriedade particular, sem temor a nada e a ninguém.

Alguns prefeitos de Alagoas estão sendo afastados por má administração do dinheiro público. Não podem nem ser candidatos à reeleição. Vários ex-prefeitos respondem  a processos por corrupção.Mas estão todos soltos!

A Mesa Diretora da Câmara Legislativa de Brasília foi afastada. Chovem notícias de irregularidades praticadas por seus componentes.

Se formos percorrer o Brasil inteiro, acharemos casos semelhantes. 

O presidente do Senado, alagoano de “quatro costados”, declarou, publicamente, que salvou a senadora Gleisi das garras do Supremo Tribunal Federal. Escândalo nacional! Quem o salvará mais adiante? 

Em nosso estado, políticos famosos não conseguem dormir com medo de acordarem com a Polícia Federal em sua porta. Outros já estão sendo processados no STF com novas denúncias. O País está num buraco negro.

Pergunta que não quer calar: num país onde a maioria dos políticos está envolvida com desvio de dinheiro público; empresários praticando, há anos, distribuição de propinas nas eleições e fora dela; a Lava Jato descobre, a cada semana, envolvimentos de novas personagens em enormes escândalos; por que só a Dilma vai ser punida? 

E os outros?

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia