Acompanhe nas redes sociais:

21 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 887 / 2016

10/09/2016 - 07:46:38

S.O.S Alagoas

Cunha Pinto

Campanha nas ruas

Setembro é o último mês da contagem regressiva às eleições de outubro. Ou mais explicitamente, candidatos não vão poder fazer carreata, distribuir “santinhos” e nem pichação. Mas conversas de “pé de ouvido” têm muitas e quem vota não esconde segredo. 

Propostas tucanas

 PSDB-AL conduz como bandeira de campanha propostas em defesa do fortalecimento e desenvolvimento das cidades. É uma bandeira lançada no primeiro semestre e com apoio do ex-governador Teotonio vilela.

Tirar dúvidas

Das conversas, ainda no ninho tucano, assunto foi um seminário recente promovido pelo partido para tirar dúvidas de candidatos sobre a legislação eleitoral e, óbvio, ampliar o fortalecimento do partido. Foi realizado no Instituto Teotonio Vilela (ITV).

E sobre o partido:

No PSDB filiados analisam o partido como “bem” em Maceió e também cresceu no Estado em filiados e tem bancada expressiva na Assembleia, Câmaras de Vereadores e significativo número de prefeitos, vice-prefeitos, vereadores e chance de reeleger Rui em Maceió.

Opinião popular

O impeachment de Dilma é fato consumado e Michel Temer, vice dela e efetivado presidente é “gato escaldado” na vida pública. Mas eleitores acham que ele terá de mostrar serviço para tentar a reeleição. É ainda a oportunidade para sair da sombra de Dilma. 

Disque-denúncia

Deputados, na Câmara Federal, avaliam propostas obre a criação do disque-denúncia contra fraudes trabalhistas e previdenciárias. Está, inclusive, inserida no projeto de lei 4766/16 que tramita no na Câmara e, aprovado, terá os rigores extensivos também aposentados e pensionistas.

Previdência

E mais sobre Câmara Federal: opiniões que ainda divergem têm a ver propostas contidas na reforma da Previdência e dentre elas cerca de 72,5% brasileiros no Regime Geral da Previdência e 52 milhões contribuintes. Somados, chegam a 32 milhões.

Gás natural 

Repercutiu positivo e pontuação favorável, o público de todo o país presente no 25º Fórum de Equalização de Editais. Evento foi dos dias 24 a 26 últimos no Hotel Jatiúca, organizado pela Algás e apoio da Mitisui Gás Energia do Brasil e Gaspetro.

Motivação 

Deputado Ronaldo Medeiros, vice-presidente da Assembleia Legislativa, define  a audiência pública como “importante e também a presença da juventude na casa”. Acrescenta: “Todos precisam ser ouvidos e o Legislativo contribuir”.

Da proposta

“Convidados para audiência são os representantes dos órgãos públicos que cuidam da questão da juventude nos governos federal e estadual, secretaria estadual do Trabalho e Emprego, Ministério do Trabalho e também associações e instituições que trabalham com os jovens em Alagoas”. De Ronaldo Medeiros. 

Pauta dos debates

O encontro promovido pela Braskem teve como pauta a Nova Lei das Estatais, critérios e normas para aquisição de materiais e de serviços pelas empresas de economia. Presentes representantes da Algás, Bahiagás, Cegás, Compagás, Copergás, Gasmar, Mesagás Pbgás, Potigás, Segas e Sulgás.

Palestrante

De Edson Tamasci: “Não basta ser empresário, é preciso ser empreendedor, aquele que além de ser criativo aceita riscos, confia na própria capacidade, tem persistência, proatividade, otimismo e nunca desiste nas dificuldades. É uma pessoa que visualiza o futuro e se propõe a construí-lo“. E no final aconselhou: “Não adianta também falarmos de crise”.

Notas falsas

Sindicato dos Comerciantes de Arapiraca adotou como medida preventiva orientar, inclusive, com a presença de técnicos, aos filiados, a identificar notas de dinheiro falsas. Foi decisão tomada após denúncias sobre notas falsas aparecendo na área comercial 

Audiência pública

Assembleia Legislativa, define agenda para às sextas-feiras, a partir das 9 horas, haver audiência pública no plenário e pauta temas sobre políticas públicas. Proposta aprovada em plenário foi apresentada pelo deputado Ronaldo Medeiros (PMDB). 

 Mais dor no bolso

Superior Tribunal de Justiça (STJ) dá também como despesa para quem compra um imóvel pagar taxa de corretagem à construtora. Mas adverte: “O cliente deve ser informado previamente, logo que o cidadão negocia o imóvel e não após estar fechado”.

Outra decisão

STJ, na análise, decidiu pelo prazo de três anos para comprador questionar na justiça abusividade da cobrança e esclarece que “não mais aceitará novos recursos e nem posição contrária ao entendimento”, que foi firmado na quarta-feira da semana passada.


Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia