Acompanhe nas redes sociais:

19 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 887 / 2016

10/09/2016 - 07:41:06

Gabriel Mousinho

Golpe baixo

Gabriel Mousinho

Quem conhece bem a família Palmeira, especial Guilherme e o Rui, sabe que ela é avessa à violência. Alguém imaginaria o prefeito andar protegido por seguranças armados até os dentes? Só na cabeça de seus adversários.

Não é de agora que Rui Palmeira visita bairros e acompanha a execução de obras e faz contatos com o povo. Alguém já denunciou o prefeito de andar pela cidade com um grupo armado? Essas visagens só podem acontecer mesmo numa campanha política quando o desespero bate à porta dos adversários.

Essas acusações e outras que por certo estão por vir são a estratégia de golpes baixos para tentar fragilizar uma campanha que é feita com trabalho e respeito ao povo de Maceió e que por isso mesmo vem liderando as pesquisas de opinião.

Quem estiver incomodado com as caminhadas do prefeito e achar que alguém armado possa se infiltrar no meio da população, que procure a polícia. No mais o prefeito faz a sua parte com uma campanha até agora limpa, se defendendo de ataques, mostrando o trabalho que fez e o que poderá vir a fazer na capital do estado.

Rui Palmeira nem é delegado de polícia, nem tampouco agente ou militar, para sair por aí revistando quem participa de sua caminhada. Quem lhe acompanha nos bairros é o povo, que vê nele um candidato decente, honesto, trabalhador e competente. 

Mau exemplo

Nem a demissão de Flávia Cavalcante do Procon sensibilizou o seu pai, deputado em exercício Cícero Cavalcante. Algumas horas depois de ter recebido a notícia, eis que o parlamentar foi visto em São Luiz do Quitunde fazendo sua campanha com o governador Renan Filho.

O deputado demonstrou fraqueza, insensibilidade e acima de tudo puxa-saquismo com os Calheiros, que não moveram uma palha para que ele assumisse o mandato na Assembleia Legislativa. Tudo isso porque Flávia Cavalcante, esposa do presidente da Câmara, Kelmann Vieira abraçou a candidatura em Maceió do prefeito Rui Palmeira.

Se o próprio parlamentar não se importa com o que pode acontecer com sua filha e seu genro, imagine com os outros pobres mortais. Cícero Cavalcante deu uma demonstração de que é melhor estar junto do poder, mesmo que não receba gestos generosos, do que ficar ao lado de sua família.

Ele é diferente

Diferentemente do pai que administra os problemas com diplomacia, o governador Renan Filho adota a postura do bateu-levou, até mesmo com pessoas que sempre lhes foram fiéis. Quem estiver no governo e tenha tendência de votar em Rui Palmeira, vá se preparando e passe a ler diariamente o Diário Oficial do Estado.

Governo é punido

Na semana passada o juiz Helestron Silva da Costa, da 17ª Vara Cível da capital, mandou bloquear 8 milhões e 800 mil reais da conta do Estado para que fosse regularizado o estoque de medicamentos de fornecimento obrigatório. O pedido foi feito pela promotora Micheline Tenório, que sugeriu o bloqueio a partir da verba da Secretaria de Comunicação, que abriu crédito suplementar para aumentar, segundo ela, o número de peças publicitárias em ano eleitoral.

O pau está quebrando

Enquanto o candidato Cícero Almeida explora os problemas da saúde no município, omitindo, é claro, os do governo do Estado, Rui Palmeira contra-ataca com a Máfia do Lixo. Novos lances estão previstos para os próximos capítulos.

Assim é difícil

O governo não tem dinheiro para compra de medicamentos para a população e outros insumos para o Hospital Geral do Estado, Samu e outras instituições de saúde, mas torra milhões de reais em propagandas com o objetivo de ajudar seu candidato a prefeito. Desde a semana passada que os cofres do Estado têm sido bastante generosos com os órgãos de comunicação.

Alto lá

O Ministério Público deve ficar de olhos nos gastos excessivos com propaganda do governo, enquanto outros setores da administração pública estadual estão a pão e água.

Promessas                de campanha

Chegou a hora de propostas mirabolantes no Guia Eleitoral. O candidato Cícero Almeida promete agora construir oito clínicas para a mulher em vários bairros da capital, o que não fez durante oito anos de mandato. Melhor seria que prometesse não faltar médicos nem remédios nas Upas que foram inauguradas.

Meia volta

O PMDB comemorou a ida do vereador Antônio Holanda para o palanque de Cícero Almeida, depois de muita resistência. Holanda não resistiu à pressão.

Expansão do VLT

A CBTU Maceió assina na próxima segunda-feira com a Construtora Valmar Logística a ordem de serviço para a expansão do VLT até o bairro de Jaraguá. A obra de reconstrução de toda a via está orçada em 4 milhões de reais e será iniciada imediatamente. A ordem de serviço será assinada às 10 horas, será aberta ao público na antiga Estação Ferroviária do bairro de Jaraguá no prolongamento da rua Buarque de Macedo e terá a presença do presidente nacional da CBTU, José Marques, do senador Benedito de Lira e de executivos do Ministério das Cidades.

CPI enterrada

Uma CPI criada na Câmara dos Deputados e enterrada meses depois, tinha objetivo, de acordo com denúncias de milhares de estudantes pernambucanos, de prejudicar pequenas e médias faculdades de formação superior em vários estados do Brasil. Na denúncia dos estudantes, que quase foram ao desespero, os grandes grupos educacionais trabalham para monopolizar o setor. O Ministério Público Federal já foi acionado para proceder investigações que podem chegar até em esferas do governo.

Excesso de confiança

De um observador político sobre a campanha a prefeito de Cícero Almeida: ´´O Ciço não está preocupado com o apoio de lideranças ou de candidatos a vereador, está confiante mesmo é no apoio do governador Renan Filho´´.

A hora é agora

A maior torcida de Alagoas espera comemorar em grande estilo a passagem do CSA para a série C do campeonato brasileiro na última partida de acesso com o Ituano, de São Paulo, nesse domingo. Basta um empate ou até perder por 1 a 0 que segue em frente. Isso é fruto do trabalho de uma diretoria competente que investiu muito para resgatar o nome do maior clube de Alagoas que estava jogado às traças.

Aqui é outra coisa

Os três senadores Renan Calheiros, Biu de Lira e Fernando Collor votaram pelo afastamento definitivo de Dilma. Mesmo assim o presidente do Senado pode ganhar o apoio do deputado Paulão para Cícero Almeida num eventual segundo turno em Maceió.

Agora pega fogo

Depois das atenções voltadas para o impeachment da presidente Dilma, a tropa de elite da política alagoana volta seus olhos para as eleições em Alagoas e principalmente em Maceió. Subirão ao palanque de Rui Palmeira Benedito de Lira, Maurício Quintella, José Thomaz Nonô, Ronaldo Lessa e Téo Vilela além de deputados e vereadores. No palanque de Cícero Almeida estarão o governador Renan Filho, o senador Renan Calheiros e alguns deputados e vereadores.

Fim de linha

Dilma Rousseff caiu e levou junto o PT.

Mágoa

Não convidem para a mesma mesa o ex-governador Téo Vilela e o ex-cabo, vereador e deputado estadual Luiz Pedro. A comida pode ser indigesta. No último encontro dos dois o velho cabo descarregou uma série de impropérios para o tucano.

Preparando o terreno

Depois de alguns meses sumido, Téo Vilela voltou com toda força na campanha deste ano. Não perde nem aniversário de boneca. Com seus assessores mais antigos, Vilela tem viajado frequentemente ao interior e participado de caminhadas em Maceió.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia