Acompanhe nas redes sociais:

19 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 885 / 2016

23/08/2016 - 10:14:38

Meio Ambiente

ANNA ELÍS LAURINDO

Saneamento básico

O Brasil concentra 20% da água doce do mundo, porém menos da metade da população tem acesso a saneamento.Apenas 39% das residências têm seus rejeitos tratados adequadamente. A falta de tratamento afeta saúde da população e polui fontes de recursos hídricos. No Brasil, água é fundamental para agricultura e setor de energia. Existem 100 milhões de pessoas sem acesso a sistemas adequados de saneamento na América Latina e 70 milhões não têm água encanada, segundo dados da ONU. 

Ciclone Azul

Pesquisadores da Universidade de Maryland nos Estados Unidos conseguiram reproduzir um novo tipo de fogo. O fenômeno recebeu o nome de “blue whirl”, algo como, “ciclone azul” ou “redemoinho azul”, e pode ter aplicações interessantes para o meio ambiente. Uma das ideias dos cientistas é seguir estudando o “ciclone azul” para conseguir controlá-lo e reproduzi-lo de maneira mais confiável e em escala maior. Caso atinjam esse objetivo, eles esperam poder usar o fenômeno para limpar, de maneira mais eficiente e ambientalmente correta, desastres ambientais como vazamentos de petróleo.

Mês mais quente 

De acordo com dados da Agência Espacial Americana (NASA), o mês de julho de 2016 foi 0,84ºC mais quente do que a média registrada entre 1950 e 1980, e 0,11ºC acima dos meses de julho mais quentes até então registrados, em 2011 e 2015. Os cientistas atribuem a alta das temperaturas principalmente às mudanças climáticas provocadas pela queima de combustíveis fósseis, além de uma intensificação do El Niño, que, com intervalo de alguns anos, provoca um aquecimento natural em regiões do Oceano Pacífico, modificando as temperaturas em todo o mundo.

Crimes ambientais

Está em análise na Câmara dos Deputados proposta que altera a Lei de Crimes Ambientais (Lei 9.605/98) para aumentar de R$ 50 milhões para R$ 500 milhões o valor máximo da multa aplicada nos casos de desastre ambiental. A medida está prevista no PL 4286/16, da comissão externa criada para acompanhar os desdobramentos do rompimento da barragem da região de Mariana (MG). Conforme o texto, a multa será estipulada a critério do órgão ambiental competente, podendo variar de acordo com o grau dos danos causados ao meio ambiente. O projeto ainda prevê que a multa simples seja convertida em serviços de preservação, melhoria e recuperação da qualidade do meio ambiente.

Preservação 

A mais nova reserva particular do patrimônio natural, a Juerana Milagrosa, protege 93 hectares de Mata Atlântica na Costa do Cacau, na Bahia. Com essa, são agora 662 RPPNs criadas por lei federal em todo o País. Os proprietários, Catarina Menucci e Zsolt Makray, decidiram transformar 93 hectares de sua fazenda, cuja dimensão total é de 170 hectares, em área protegida por lei federal. A meta do governo é ampliar ainda mais o número dessas reservas, cuja característica principal é a sensibilização do cidadão comum para a conservação da biodiversidade existente em sua propriedade particular.

Aplicativos 

Com as novas tecnologias, os smartphones têm se tornado grandes aliados na luta contra o desperdício. Diversas empresas do meio eletrônico estão apostando em aplicativos sustentáveis, que colaboram para a preservação do meio ambiente. Conheça alguns deles: o ‘Sai desse banho’ é um aplicativo que monitora o tempo do banho (baseado na média de 9 litros por minuto) e quando o limite de água é atingido, um alerta é emitido. 

Prédio movido a algas

A Alemanha testa o primeiro prédio do mundo movido a algas. A estrutura conta com biorreatores de vidro espalhados por toda a sua fachada. Além de fornecer eletricidade limpa, o formato ainda funciona como isolamento, impedindo a entrada do excesso de luminosidade e também de ruídos na área interna do edifício. Todo o sistema é controlado por uma central de gerenciamento de energia, que garante a eficiência do processo. Em declaração ao jornal britânico Daily Mail, Jan Wurm, líder de pesquisa da Arup na Europa, explicou que esta deve ser uma tendência nas áreas urbanas. O modelo é considerado um avanço na construção modular.

Acordo de Paris

O Brasil é um dos primeiros países a confirmar a participação no Acordo de Paris, um esforço mundial para conter as mudanças climáticas concluído no ano passado. A meta brasileira de redução de emissões de gases de efeito estufa prevê mudanças em todos os setores da economia. O objetivo é cortar as emissões de carbono em 37% até 2025, com o indicativo de redução de 43% até 2030 – ambos em comparação aos níveis de 2005.


Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia