Acompanhe nas redes sociais:

20 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 884 / 2016

16/08/2016 - 10:26:31

Jorge Oliveira

Xô, Dilma

Jorge Oliveira

Para quem ainda duvidava, a votação no Senado não deixa mais dúvidas: Dilma realmente será afastada da Presidência da República. O resultado só não chegou aos sessenta votos, como previam os senadores, porque Renan preferiu não votar.

O impeachment da Dilma acontece no pior momento político para o PT. Centenas de candidatos a prefeito do partido já anunciaram a desistência nessas eleições. Além da rejeição dos eleitores, o partido não dispõe de recursos para bancar as campanhas que agora impede que empresas participem do pleito com recursos. Não é difícil imaginar que o PT caminha a passos largos para o cadafalso. Depois de uma de uma década no poder, o partido vai encolher e pode até desaparecer. Já há na cúpula quem defenda o fim da sigla e a criação de outra para agregar os petistas que não se envolveram na sujeira da dupla Dilma/Lula.

A Dilma não vai apenas deixar a presidência, mas também ter seus direitos políticos cassados por oito anos, detalhe insignificante para ela que não tem voto nem para síndico de prédio quanto mais para disputar uma eleição majoritária no futuro. 

Afastada da presidência, a Dilma perde todos os poderes e consequentemente as mordomias, coisa que ela simplesmente adora. Certamente agora volta para Porto Alegre para reabrir a loja de R$ 1,99 que ela tinha na cidade e fechou por incapacidade de administrá-la. Foi com essa experiência desastrosa de empresária que ela chegou ao poder para comandar o Brasil, uma das maiores economias do mundo.

Dilma vai passar para a história como o pior presidente da República de todos os tempos. Confusa mentalmente, atrapalhada e desastrada, a futura ex também carrega a medalha de ouro de presidente mais corrupta. Junto com Lula, seu comparsa de propinas, permitiu que os petistas assaltassem os cofres públicos em bilhões de reais. Deixou a Petrobras pré-falimentar e outras empresas estatais de pires nas mãos.

Lembrança

Dilma será lembrada como a presidente da mandioca e tantas outras besteiras que soltou pelo país afora. Alguns de seus discursos vão entrar para o anedotário. Outros simplesmente serão jogados no lixo pela insignificância histórica para o país.

Esquecida

Depois que acusou o presidente do PT, Rui Falcão, de ser o responsável pelo caixa dois da campanha, segundo denúncia do marqueteiro João Santana, foi jogada às traças pelo partido. Abandonada, não recebe visitas e está isolada dentro do Palácio da Alvorada. Deprimida, vive lá dentro com a sua “mania de presidente”. Assistiu, durante a votação do impeachment, alguns sindicalistas petistas, gatos pingados, ocuparem algumas praças com o grito de guerra de “Fora Temer”. Em sua defesa, quase nenhuma reação pelo país. É o fim do poder, o ostracismo, e a ruína de quem passará para a história como o presidente mais nocivo ao Brasil.  

Xô, Dilma.  

O bote 

O Meirelles, da Fazenda, está igual a uma cascavel faminta que se encolhe no mato para dar o bote no calcanhar do caçador (o contribuinte). O ministro vem anunciando que remédios amargos virão para corrigir os rumos da economia e provocar a retomada do crescimento, se a receita não melhorar. Para isso, é obvio,o contribuinte vai ser convocado para compensar a incompetência do governo, o que mostra que o novo comandante da Fazenda procura o caminho mais fácil para reduzir o deficit fiscal: aumentar impostos e sacrificar o trabalhador à semelhança do que fizeram outros governos. Se é para continuar apertando o cinturão do povo que se mude a estratégia – ou quem sabe, o próprio ministro.

Leilão

O ministro também fala em vender estatais, desinchar a máquina pública e queimar as gorduras. Até concordo, desde que não entregue o filé mignon das empresas aos estrangeiros. Se é para modernizar a economia, que a tire das amarras do Estado, o monstro perverso do subdesenvolvimento e do atraso. A formação de banqueiro de Meirelles o remete à insensibilidade social. Ele pensa e age como autêntico capitalista: frio, pragmático e sagaz. Portanto,o Brasil precisa ficar de olhos bem abertos na sua intenção de reorganizar a economia destroçada, herança maldita do PT.

Impostos

A cascavel ainda está enroscada no próprio corpo, mas já dá sinais de que a qualquer momento pode atacar. Acredito que isso deverá ocorrer ainda este mês quando o Michel Temer se firmar como presidente, depois da votação final do impeachment. O brasileiro, que já trabalha quatro meses do ano para pagar impostos, certamente não vai aceitar que a cobra devore o seu salário e esvazie o resto da comida que ainda existe no prato.

Veneno

O réptil venenoso não está brincando quando faz a ameaça de aumentar os impostos. Veja como ele se prepara para o bote: “Vamos analisar primeiro as receitas públicas previstas para ocorrer no ano que vem e o possível ingresso de recursos com privatizações, concessões e outorgas. Se necessário, em último caso, nós faremos aumentos pontuais de impostos que sejam de fato, de verdade, temporários, porque a carga tributária é muito elevada. Temos até o dia 31 de agosto para apresentar a proposta do orçamento”.

Incompetência

O Brasil não precisa de ministro para aumentar tributos.Qualquer burocrata, sem ideia ou iniciativa, de cabeça vazia, é capaz de fazer isso. Basta uma canetada e pronto. O governo precisa, sobretudo, modernizar o Estado,frear a corrupção, cortar custos, demitir comissionados, reduzir o custeio e otimizar as empresas públicas, muitas delas paquidermianas, cabides de empregos para os apaniguados de políticos.Para adotar essas medidas tão elementares não é preciso ser graduado em Harvard ou ter PHD em economia. Qualquer estagiário sabe fazer isso

Cadê?

Tenho dito que o Temer precisa ser mais criativo nas mudanças para não parecer apenas o vice da Dilma no comando do governo. E uma ação efetiva evidentemente não passa por aumento de impostos, pelo reajuste do Bolsa Família nem pelo aumento do servidor público, especialmente do poder Judiciário numa clara cooptação da Justiça. Até o momento o Brasil não viu nenhuma atitude mais arrojada de Temer que leve os brasileiros a acreditarem numa mudança radical em relação ao governo corrupto do PT. As estatais ainda são administradas pela mesma organização criminosa que devorou o dinheiro público e mantém todos os cargos de primeiro e segundo escalões. Se não fizer uma cuidadosa assepsia, o cancro da corrupção ainda vai corroer os cofres públicos porque os petistas continuam ativos no comandado das licitações que envolvem uma montanha de dinheiro.


Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia