Acompanhe nas redes sociais:

25 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 883 / 2016

08/08/2016 - 08:28:06

Meio Ambiente

Da Redação

Descoberta 

A Floresta Nacional (Flona) de Nísia Floresta, unidade de conservação (UC) administrada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) no Rio Grande do Norte, agora conta com uma nova espécie identificada e registrada: o Pseudopaludicola jaredi, um pequenino sapo que mede cerca de 2 cm (cabe em uma moeda de 5 centavos). Até o momento, esse sapinho só foi encontrado na Flona de Nísia Floresta e no município de Viçosa do Ceará. A descoberta da espécie é fruto de um trabalho de pesquisa focado em répteis e anfíbios coordenado pelo professor doutor Adrian Garda, do Laboratório de Répteis e Anfíbios da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Incêndios florestais 

Antes mesmo do auge da temporada seca no Brasil, o foco de incêndios em todo o território desde o começo do ano foi 57% maior que no mesmo período do ano passado. Com 40.765 focos detectados até dia 26, é a maior taxa desde o início da série histórica em 1998, segundo levantamento divulgado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). A análise é que se trata de um reflexo do intenso El Niño que atinge o planeta desde o ano passado levando a um ressecamento do solo na região. É bom lembrar que as queimadas não são um fenômeno natural; por trás tem sempre a ação humana. Não é recomendado colocar fogo para limpar terreno, jogar guimba de cigarros nos chão, acender vela no mato e soltar balões. Todas essas ações contribuem para queimadas.

Animais Marinhos 

A Justiça Federal determinou que volte a vigorar a Portaria nº 445 de 2014 do Ministério do Meio Ambiente – também conhecida como a Lista de Espécies Aquáticas Ameaçadas de Extinção. A portaria estava suspensa temporariamente mas no último dia 22 a juíza federal Liviane Vasconcelos, do Tribunal Regional Federal (TRF) em Brasília, julgou improcedente o pedido de revogação da lista, que havia sido solicitado por entidades do setor pesqueiro. Embora a decisão da juíza não finalize o processo, ela garante que as medidas de proteção voltem a valer no território brasileiro. Tubarões e raias, cavalos-marinhos, garoupas e centenas de outras espécies marinhas e de água-doce, estavam desprotegidos e correndo o risco de desaparecer.

Prevenção 

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) começou a monitorar os cerca de dois mil embarques e desembarques de voos internacionais previstos para ocorrer durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. No alvo principal do Ibama estão o tráfico de animais silvestres, o transporte de exemplares da flora brasileira, a exportação de componentes do patrimônio genético e a circulação de substâncias químicas controladas pelo Instituto, além do porte de artefatos que usam fragmentos de animais nativos protegidos, como cocares indígenas, quadros de borboletas e adornos com penas, ossos e dentes, entre outros. A operação prosseguirá até o fim dos Jogos Paralímpicos, em setembro.

Fauna Brasileira 

A arara-azul-de-lear (Anodorhynchus leari), ganha uma nova chance de subsistência. Uma ação do Centro Nacional de Pesquisas e Conservação de Aves Silvestres (Cemave) vai coordenar o processo de transferência das araras entre criadouros e zoológicos nacionais e internacionais para a formação de casais e reprodução de filhotes. A meta da entidade, vinculada ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), é formar 26 casais até 2017. Em seguida, serão feitas solturas para estudos e ampliação da população na natureza.

Aves limícolas 

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) publicou portaria no Diário Oficial da União (DOU), atualizando o Plano de Ação Nacional para a Conservação das Aves Limícolas Migratórias. Limícolas são aves geralmente associadas a zonas úmidas costeiras, como estuários e lagunas.Para atingir o objetivo geral, foram definidas 27 ações distribuídas em objetivos específicos , como prevenir e reduzir os impactos resultantes da implementação de infraestrutura e das atividades de exploração de recursos naturais para fins comerciais e de subsistência; reduzir a caça e coleta de ovos de aves limícolas; e, desenvolver pesquisas que subsidiem a conservação das aves limícolas.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia