Acompanhe nas redes sociais:

25 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 883 / 2016

05/08/2016 - 07:54:14

Sururu

Salvem a orla

Da Redação

1 – A prefeitura precisa agir rápido para evitar que a Ponta Verde, cartão postal da cidade, se transforme em reduto de trombadinhas e drogados, sobretudo aos domingos, quando a área é fechada para atividades de lazer. 

2 - A concentração de marginais em vários pontos da Av. Sílvio Vianna está afugentando as famílias e os turistas que ocupam a “rua fechada” em busca de lazer para seus filhos. 

3 – Hoteleiros e empresários de bares e restaurantes da orla já cansaram de reclamar, em vão, junto à SMCCU, e os próprios moradores da área estão assustados com a onda de roubos, consumo de drogas e até cenas de sexo explícito.  

4 – A Constituição garante o acesso de todos aos espaços públicos, inclusive de trombadinhas e baderneiros. Mas não se pode permitir que o direito de uns acabe solapando o direito de todos. 

5 – Como lembra o professor Carlos Mero, “não há direito contra a ordem, a segurança e a paz públicas; contra o decoro e contra a prevenção dos bens coletivos”. 

6 - Com a palavra o prefeito Rui Palmeira. 

Capitania dos Beltrão

Pela primeira vez em mais de 20 anos a oposição tem chance de vencer uma eleição em Coruripe, município comandado pelos Beltrão como se fosse propriedade da família. 

n Dois candidatos disputarão a prefeitura com o atual prefeito Joaquim Beltrão, que concorre ao quarto mandato, Zé Enéas, pelo PPS, e Edinho do Hélvio, pelo PP.  

n Eles são filhos de Enéas Gama e de Hélvio Castro Reis, os dois últimos prefeitos eleitos democraticamente antes de a família Beltrão tomar o poder em Coruripe. 

n Zé Enéas é um eterno candidato, sem qualquer chance de sucesso. Edinho do Hélvio disputa o cargo pela primeira vez e pode até surpreender. 

n O candidato do PP tem penetração em todas as camadas eleitorais e conta com o apoio do senador Biu de Lira, hoje um nome forte junto do Governo de Michel Temer. Só falta a reação corajosa do povo de Coruripe.  

Capitania dos Calheiros

Outra cidade que virou propriedade familiar é Murici, há três décadas comandada pelos Calheiros, e que pela primeira vez terá um candidato de oposição. Seu nome é Caubi Freitas (PSB), ex-vereador e um dos políticos mais respeitados da região. 

Mas derrubar os Calheiros não será tarefa fácil, e ao que tudo indica a prefeitura continuará com o mesmo grupo político, desta vez sob o comando do jovem Olavo Calheiros Neto, em início de reinado. 

E para não correr nenhum risco, o vice também deve ser  da família: Odilon Marques Filho, primo de Olavo Neto.  É para garantir a continuidade do feudo. 

Segura essa, Renan!

Na briga por cargos federais, o deputado federal por Pernambuco, Gonzaga Patriota, está exigindo a Supe-rintendência do INSS em Alagoas, cargo ocupado por um afilhado do senador Renan Calheiros. O superintendente atual, Edgard Barros, além de servidor de carreira, tem relevantes serviços prestados ao Estado. 

Falcatruas

Na convenção partidária que oficializou sua candidatura à reeleição, o prefeito Rui Palmeira lembrou ter tirado Maceió das páginas policiais. Referia-se às manchetes semanais sobre falcatruas atribuídas ao antecessor. 

Máfia do lixo

Além de envolvido em crimes partidários, o deputado Cícero Almeida é acusado de comandar a “máfia do lixo” que teria desviado mais de R$ 200 milhões dos cofres do município. Esse e outros processos tramitam contra ele no STF. 

Candidato bichado

No momento em que o Brasil está sendo passado a limpo é difícil entender a decisão do governador Renan Filho de avalizar um candidato bichado pela corrupção. Onde foi parar seu discurso da moralidade na coisa pública?

Escândalo

Alagoas é o Estado mais pobre da federação, mas cobra as maiores taxas de cartórios do país, e pior, com aval do Poder Judiciário. Para discutir a questão, o setor da construção civil se reunirá com os cartórios para definir taxas mais civilizadas.  

Cai o mito

Cassino Trump Taj Mahal (New Jersey), “oitava maravilha do mundo”, vai fechar em setembro após múltiplas concordatas e prejuízos milionários.

(Caio Blinder) 

Ficha-suja poderoso

Mesmo integrando o time dos fichas-sujas, Joãozinho Pereira quer garantir mando em duas prefeituras na eleição deste ano. O ex-deputado tentará reeleger a irmã Pauline, em Campo Alegre, e a esposa Isabele, em Teotônio Vilela. 

Mas há um impasse com a esposa, que impôs condições para ser candidata a prefeita: exigiu do maridão um apartamento de cobertura na Ponta Verde e um luxuoso carro importado, marca Land Rover, blindado.

Ameaça collorida

A “ameaça” de Collor sair candidato a prefeito de Maceió é um recado aos Calheiros pelo descaso que pai e filho tiveram com o senador na sucessão municipal. 

Uma candidatura de Collor seria devastadora para Almeida, já que tanto Collor como Almeida transitam na mesma faixa de eleitores.

Até agora sua candidatura é apenas uma ameaça, mas ninguém sabe até onde Collor pode ir. Ninguém mesmo. 

(Coluna Labafero) 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia