Acompanhe nas redes sociais:

25 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 880 / 2016

20/07/2016 - 09:40:50

Herdeiros do caos

Da Redação

1 - A Justiça está prestes a decretar a interdição judicial do usineiro João Lyra por incapacidade de gerir seus próprios negócios. É o fim melancólico do homem que mandou em Alagoas por décadas, como maior empresário do estado e um dos mais ricos do país. 

2 - Individualista e de temperamento arrogante, João Lyra tem vários herdeiros e nenhum sucessor. Causa maior da morte de muitas empresas familiares, sobretudo no setor açucareiro, que herdou o ranço dos senhores de engenho, da Casa Grande, senzala e pelourinho. 

3 – A queda de seu império - usinas de açúcar e álcool, empresas no ramo de automóveis, aviação comercial, fertilizantes e outros negócios - deixa um rastro de desolação para os mais de 10 mil trabalhadores que perderam o emprego, além de centenas de fornecedores, prestadores de serviços e comerciantes que também quebraram. 

4 – E não se espere qualquer chance de recuperação desse patrimônio familiar, cuja dívida já passa de R$ 2 bilhões. Seu destino será o sucateamento das indústrias, a invasão das terras, e uma briga judicial sem fim, para várias gerações. 

Ficha-suja

A eleição deste ano será atípica, não só pela escassez de dinheiro, mas pela crise ética porque passa o Brasil. 

Sem grana para comprar votos, os candidatos terão que mostrar ficha limpa e serviços prestados para conquistar o eleitorado. 

Quem for ficha-suja e tiver contas a prestar à Justiça deve botar as barbas de molho. 

Não é mesmo, Ciço! 

Sai o Centrão, entra o Michelzão

Não há mais um Centrão. Agora só há um Michelzão.

O presidente da República conseguiu exatamente o que 

queria:

1 - A candidatura de Marcelo Castro, costurada pelo PT, foi humilhada. Lula, hoje, vale menos do que um Giacobo.

2 - O bloco que orbitava em torno de Eduardo Cunha se fragmentou. O centro do poder voltou a ser o governo.

3 – Rodrigo Maia é o melhor interlocutor para Henrique Mei-relles, pois seu eleitorado apoia convictamente o ajuste fiscal. Michelzão fez bem em matricular Michelzinho numa escola em Brasília.  (O Antagonista)

Inferno astral

Com sérios problemas de saúde, a prefeita de Arapiraca, Célia Rocha, torce para concluir seu terceiro mandato. Abandonada por Luciano Barbosa, Célia vive um verdadeiro inferno astral e, segundo comentários de bastidores, só não foi afastada do cargo, por atos de improbidade, por influência de Barbosa que a mantém como refém para eleger o candidato do seu partido, o PMDB.

Inferno astral 2

Na verdade, contra a prefeita pipoca verdadeiro rosário de denúncias gravíssimas adormecidas nas mãos de importantes autoridades do Poder Judiciário. Dentre elas, algumas envolvendo o próprio filho, o ex-secretário municipal Daniel Rocha, que manda e desmanda em todos os setores da administração municipal, principalmente nas finanças.

A crise é grave

A crise é real e afeta todo mundo.  A mais nova vítima desse vendaval econômico é uma conhecida empresária alagoana, assídua frequentadora das colunas sociais.  Junto com a empresa da socialite foi também o casamento.  

Que país é este? 

A Força Nacional que participará da segurança da Olimpíada está tendo de se submeter às ordens da milícia na Zona Oeste do Rio. Seus 3.500 agentes não podem circular armados pela região e foram impedidos até de instalar internet nos apartamentos onde estão alojados.

Valha-nos Deus!

O deputdo Paulão, candidato a prefeito de Maceió pelo finado PT, promete “defender o legado dos governos Lula e Dilma”. 

Rio Largo na espera

A população de Rio Largo vive a expectativa de ver concluídos os vários processos de improbidade administrativa a que responde a prefeita Maria Eliza Alves da Silva. Um deles, de número 0501828-43.2007.8.02.0051, foi aberto a partir de uma Ação Civil Pública por improbidade que deu entrada há quase 11 anos na 2ª Vara da Comarca do município e hoje está em grau de recurso junto ao Tribunal de Justiça tendo por relator o desembargador Tutmés Airan.

Outra ação também por improbidade, impetrada no ano passado (0700669-03.2015.8.02.0051), está igualmente em grau de recurso junto ao TJ e tem na relatoria o desembargador Otávio Praxedes.

Brilhante gourmet

Sobrinha do publicitário Luiz Dantas, Goovanna Grossi concorre ao maior prêmio da gastronomia mundial. Vencedora das etapas brasileiras e latino-americana de o Bocuse  D’or 2015-2016, busca o Bocuse D’or 2017 em Lyon, na França. A fim de angariar fundos para treinamento da delegação brasileira, será promovido um jantar no dia 11/08, às 20 h, no Restaurante Picuí, na Avenida da Paz, 1140, Jaraguá. Essa é a primeira vez que a delegação apresenta uma chef mulher.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia