Acompanhe nas redes sociais:

22 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 880 / 2016

14/07/2016 - 18:51:16

Paulo Jacinto celebra 64ª edição de sua maior festa

Manifestação cultural mais importante da cidade acontece neste sábado, 16, no Clube Recrativo Paulojacintense

Redação com Lucas França

O baile mais tradicional de Alagoas será realizado neste sábado, 16 de julho, a partir das 22h no Clube Cultural Recreativo Paulojacintense, em Paulo Jacinto, Alagoas. O baile da Chita foi criado há 64 anos e no ano passado ganhou o Título de Patrimônio Imaterial Histórico e Cultural de Alagoas. Este ano, a animação é por conta da Orquestra High Society de Maceió e a Banda Baby Som. E no dia 17 a festa continua aberta ao público na Praça de Eventos, com a animação da banda Solteirões do Forró, Aero 5 e Kátia Cilene. 

A vida pacata dos menos de 8 mil habitantes do município ganha novos ares e a movimentação de filhos da terra, visitantes e curiosos para conhecer a cidade que surgiu de um baile dá um novo tom ao lugar. Os participantes não veem a hora de se vestir de chita e soltar a voz cantarolando no início e final do evento “tudo que eu tinha deixei lá não trouxe não, deixei o meu roçado plantadinho de feijão... e com a Rosinha eu deixei meu coração...” É que a música Propriá, de Luiz Gonzaga, se tornou o segundo hino da cidade e é tema do baile.

Na verdade, a principal causa da criação do baile era a emancipação política, pois o povoado já estava bem desenvolvido e os moradores sentiam a necessidade de se tornarem independentes politicamente. Porém, precisavam de dinheiro para contratar um advogado que defendesse essa causa. Um grupo de moradores do povoado na época conhecido como Lourenço de Baixo se reuniu e teve a ideia de realizar um baile.

O nome “Baile da Chita’’ surgiu porque a chita era um tecido da época que tinha um grande poder de comercialização. Então, os organizadores resolveram dar origem a está grande referência.

Nos preparativos para o primeiro baile, Josefa Barbosa teve a ideia de como o baile seria realizado após os festejos juninos, no mês de julho, era interessante fazer a escolha de uma rainha para ser apresentada durante o evento. A rainha era eleita através dos fundos adquiridos, assim, a que mais arrecadasse dinheiro na venda de rifas e bingos seria a eleita. Outra informação curiosa é que os visitantes que costumavam frequentar a cidade no período da realização do Baile da Chita vinham de trem em grandes caravanas.    

Além da criação do referido baile, nasceu também outra ideia que envolvia a musicalidade daquela época. Luiz Gonzaga e seu parceiro Humberto Teixeira estavam fazendo sucesso com a composição Propriá, que carinhosamente ficou conhecida como Rosinha de Propriá pelos paulo-jacintenses, por se tornar a chamadinha de abertura do evento. Um momento histórico foi a chegada de Luiz Gonzaga a Paulo Jacinto por convite do senhor José Aurino de Barros, na época prefeito nomeado.

Em 1953, Luiz Gonzaga estava de passagem pela região Nordeste e ao saber que sua música era considerada a chamada de abertura do baile, em agradecimento fez questão de realizar uma festa na cidade já emancipada.

RAINHAS

Atualmente as rainhas são escolhidas através do voto direto dos associados do Clube Recreativo Paulojacintense, da diretoria responsável pela organização do evento ou por uma mesa julgadora que analisa as candidatas. Todas têm que obedecer alguns requisitos, como boa “conduta”, ser simpática, bonita, precisa ter entre 15 e 18 anos e ser natural da cidade. E por falar em rainha, a representante deste ano já foi escolhida, a jovem Beatriz Barbosa será coroada no baile e receberá a faixa de rainha dos 64 anos do Baile da Chita. 

Existem várias versões sobre a história do baile da Chita, mas nas pesquisas para o Trabalho de Conclusão de Curso - TCC: Baile da Chita, um registro de memória, de autoria dos jornalistas Lucas França e Roberison Xavier, consta que durante esses mais de 60 anos a festa deixou de ser realizada em apenas um ano. No ano de 1978, por causa da morte do então prefeito da cidade José Correia Fontan, Já em 1989, depois de uma forte enchente que inundou a cidade semanas antes da festa, o baile foi adiado e realizado no mês de setembro. Outra inundação, no ano de 2010, adiou a edição mais uma vez. Apesar da tragédia a população não deixou de realizar a tradicional festa.  Em 2014, também não houve o baile da Chita em ambiente fechado, como manda a tradição, mas foi realizado na praça central da cidade, aberto ao público e como a rainha já havia sido escolhida ela foi apresentada durante a comemoração na Praça de eventos Zefinha Barbosa.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia