Acompanhe nas redes sociais:

20 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 880 / 2016

14/07/2016 - 18:45:30

Alagoas tem 28 municípios com potencial turístico

Maria Salésia com assessoria
Sob o olhar do Rio São Francisco, Piranhas é um dos pontos turísticos mais visitados em Alagoas

Alagoas tem novo mapa turístico. O estado reduziu de 50 para 28 o número de municípios participantes de suas seis regiões turísticas: o Agreste foi contemplado com apenas dois municípios; Caminhos do São Francisco com sete; Costa dos Corais também com sete; Lagoas e Mares do Sul com cinco; Metropolitana só Maceió apareceu na lista e Quilombos com seis. O levantamento foi divulgado pelo Ministério do Turismo, em Brasília. Em todo o país, foram identificados 2.175 municípios em 291 regiões turísticas.

De acordo com o Ministério do Turismo essa é uma maneira de atuar de forma coordenada com os estados, regiões turísticas e municípios para desenvolver e consolidar novos produtos e destinos. “Com um mapa mais enxuto e que retrata de forma mais fiel a oferta turística brasileira, poderemos focar nossos esforços e otimizar nossos resultados, afirmou o ministro interino do Turismo, Alberto Alves.

Os destinos turísticos de Alagoas foram divididos em seis regiões, que se dividem entre Agreste com Arapiraca e Palmeira dos Índios; Caminhos do São Francisco, que contempla Água Branca, Delmiro Gouveia, Olho d’Água do Casado, Pão de Açúcar, Penedo, Piaçabuçu e Piranhas; Costa dos Corais que tem Japaratinga, Maragogi, Paripueira, Passo de Camaragibe, Porto Calvo, Porto de Pedra e São Miguel dos Milagres; lagoas e Mares do Sul aparece com Barra de São Miguel, Coruripe, Feliz Deserto, Marechal Deodoro e Pilar; Metropolitana tem apenas Maceió na lista e Quilombos com Cajueiro, Mar Vermelho, Murici, São José da Laje, União dos Palmares e Viçosa.

Os 28 municípios de Alagoas presentes no Mapa do Turismo se dividem em cinco categorias, de acordo com a Categorização dos municípios das Regiões Turísticas do Mapa do Turismo Brasileiro. O instrumento, elaborado pelo MTur, identifica o desempenho da economia do turismo para tornar mais fácil a identificação e apoio a cada um. 

 As categorias A, B e C contam com 95% dos empregos formais em meios de hospedagem, 93% do fluxo doméstico e têm fluxo internacional. Já o conjunto de municípios dos grupos D e E, reúnem características de apoio às cidades geradoras de fluxo turístico. Muitas vezes são aquelas que fornecem mão-de-obra ou insumos necessários para atendimento aos turistas.

A Secretaria de Turismo de Alagoas, através de sua assessoria, disse que a cada dois anos o Ministério do Turismo realiza a atualização do Mapa Turístico e que esse redimensionamento se deu em função do número de municípios que entregaram a documentação necessária para compor a categorização. Mas a Sedetur realizou uma série de capacitações em todas as regiões do estado para conscientizar os gestores públicos sobre a função da categorização realizada pelo Ministério do Turismo, além de divulgar a documentação necessária e os prazos para que fossem entregues.

Esclareceu ainda que a saída de municípios dessa lista impacta na distribuição de políticas públicas viabilizadas pelo Ministério do Turismo. Entretanto, todos os municípios vão continuar recebendo a mesma atenção do Estado, e os projetos em andamento pela Sedetur não serão paralisados por causa dessa categorização do Ministério.

Além do que, o Turismo é uma das atividades que mais emprega em Alagoas. Em tempo de recessão, este segmento da economia tem sido fundamental para o Estado, considerando que diante do cenário Alagoas tem mantido números positivos de ocupação hoteleria e desembarques.

O QUE CADA 

REGIÃO TEM 

A OFERECER

Alagoas tem uma cultura rica, paisagens deslumbrantes, praias e lagoas que dispensam comentários. No Sertão ou na Mata o cenário enche os olhos. Já o Velho Chico banha essa gente de sotaque arretado. Assim, fica difícil escolher um lugar para conhecer e se apaixonar. Para ajudar, ou complicar, seguem algumas dessas maravilhas. 

MACEIÓ

Os mais visitados pontos turísticos de Maceió são as praias. Mas os museus são outros atrativos da capital alagoana. No Centro, a dica é visitar a Catedral Metropolitana de Maceió e o Palácio Floriano Peixoto.  Para admirar Maceió do alto, a sugestão é ir ao Mirante de São Gonçalo, que tem uma vista maravilhosa. A culinária e o artesanato não podem ficar de fora.

PIRANHAS

 localizada às margens do Rio São Francisco, a 280 km de Maceió e com pouco mais de 20 mil habitantes, é uma cidade que se destaca principalmente devido ao seu patrimônio histórico. A cidade antiga foi construída “talhada” entre os montes de vegetação da caatinga e ganhou fama ao expor, na década de 30, as cabeças de Lampião e Maria Bonita, em frente ao prédio da Prefeitura Municipal.

DELMIRO GOUVEIA

Localizado a  277 km de Maceió, tem como principais atrações turísticas a Usina Angiquinho; a furna do Morcego, caverna onde Lampião e seu bando se escondiam; o Museu Regional de Delmiro Gouveia, a fábrica da Pedra, trilhas, sítios arqueológicos, praia fluvial e passeios de barco. Uma boa pedida é o passeio pelo rio São Francisco a bordo do catamarã Menestrel das Alagoas, que saí de um píer em Olho D´Água do Casado.

PENEDO

O primeiro povoado de Alagoas foi fundado no século 16, às margens do rio São Francisco, Penedo guarda um preservado centro histórico tomado por museus e igrejas dos séculos 17 e 18. A maior atração da região, porém, é o passeio de barco que leva à foz do Velho Chico, no município vizinho de Piaçabuçu. 

MARAGOGI

Que tal um charmoso passeio em catamarão ou de barco desde a praia central e percorrer 6 km pelo mar, até chegar à Galés,
um conjunto de piscinas naturais cheias de peixes coloridos e corais.
Depois é só se deliciar com almoço regado a  frutos de mar, e provar os famosos pasteis de goma. Tudo isso rodeado por um mar cristalino, com praia de areia fina, e os coqueirais que completam a paisagem. Há tem ainda o mergulho que é o atrativo principal.

UNIÃO DOS 

PALMARES

Conhecida como a Terra da Liberdade, foi lá que surgiu o primeiro grande grito de esperança dos negros escravizados, vindo do alto da Serra da Barriga, onde fundaram a sede do Quilombo dos Palmares.

Além do Parque Memorial Quilombo dos Palmares, instalado na Serra da Barriga, a cidade possui outras atrações turísticas. A Casa Jorge de Lima, museu dedicado ao poeta, e a Casa de Maria Mariá, instalada na antiga residência da historiadora, são alguns exemplos.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia