Acompanhe nas redes sociais:

21 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 879 / 2016

11/07/2016 - 18:25:44

O vírus da mosca azul

Alari Romariz

Um momento crítico e atípico o que estamos vivendo no Brasil: empresários, políticos (poucos), laranjas e doleiros são presos e processados. A Polícia Federal trabalha incessantemente na luta contra a corrupção. E as surpresas se sucedem.

O primeiro exemplo gritante de uso indevido do dinheiro público é o PT e seu chefe maior, o ex--presidente Lula. Acuado, com medo de ser preso, concedendo entrevistas malucas, é um homem fragilizado.

O segundo é a presidente Dilma. Mulher de temperamento agressivo, tratou mal os políticos que compunham sua base no Congresso. Está afastada, aguardando possível condenação.

Quanto ao terceiro exemplo ocorre em Alagoas: o presidente do Tribunal de Justiça foi afastado temporariamente do cargo de desembargador e da presidência do TJ. 

Os três estão unidos pelo excesso de vaidade e por acharem que poder e dinheiro não se acabam. Receberam de “mão beijada” tantas benesses, altos cargos e jogaram tudo fora.

Lula e Dilma, só os conheço através da imprensa, mas o julgamento que faço corresponde a anos e anos de exposição na mídia e pelo grande número de irregularidades cometidas.

Já o presidente afastado do TJ conheço de perto há vários anos. Quando deputado estadual, eu era presidente do Sindicato dos Servidores do Legislativo e fui ficando assustada com sua transformação. 

Nunca deixou de ser político e teria sido melhor para ele que não entrasse no Tribunal de Justiça; continuasse como parlamentar.

Escolhido pelo governador Mano para o cargo ainda jovem, ligou para mim e disse: “Pode parabenizar-me, sou desembargador”. Começou aí seu crescimento em vaidade, poder e novos amigos. Afastou-se de antigos conhecidos e passou a conviver em plagas mais refinadas. Perdemos o contato, mas a imprensa não o perdeu de vista.

Nas entrelinhas tomávamos conhecimento de suas peraltices. Tinha um bom relacionamento com os deputados estaduais e sempre os protegeu nas ações que tramitavam no Judiciário. Recentemente passou por cima da decisão de um de seus pares, e, através de liminar, derrubou um bloqueio de contas da ALE e o mais importante: num fim de semana.

E os boatos cresciam: o CNJ (Conselho Nacional de Justiça) vai afastar o presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas; lá já tramitam vários processos contra ele. Mas ninguém acreditava que chegasse a tanto; nem ele. Finalmente, o CNJ afastou o moço por 120 dias, quando então será julgado definitivamente. Uma verdadeira bomba explodiu no nosso estado. 

Fui algumas vezes ao Pleno do TJ, assistir ao julgamento de processos de meu interesse ou de servidores do Legislativo e lá estava o jovem magistrado, hoje com 57 anos, vaidoso, orgulhoso. Enquanto alguns desembargadores conversavam conosco, ele, de longe, só assistia à luta de pobres servidores por dias melhores. Olhava-nos de cima para baixo, porque se considerava um ser superior, tendo à sua disposição dezenas de pessoas. Nós, simples mortais, estávamos na dependência de seu julgamento.

Os deputados da Mesa da ALE perdem por 120 dias o “grande pai”, que apesar de ser irmão de parlamentar, ter dezenas de parentes funcionários da Casa, nunca se averbou suspeito nos processos de interesse do Poder Legislativo.

Um fato que me chocou foi o possível envolvimento do magistrado em “crimes de mando”. Não estou acreditando, mas a internet (Google) mostra o fato numa de suas páginas.

Fazendo uma detalhada análise desses tipos de criaturas, fico estarrecida com o comportamento delas. Acreditam que nunca serão punidas. Estão acima do bem e do mal.

No meio militar existe uma frase interessante para o excesso de vaidade de uma pessoa quando nomeada para um alto cargo: “Foi mordido pela mosca azul”.

Pois bem leitores, acho que o vírus da mosca azul atingiu Lula, Dilma e o presidente afastado do TJ. O pior é que não há vacina para tal doença. O remédio... Ah!...O remédio é muito forte e bastante difícil: só uma bela queda.

Deus existe. Não duvidem!

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia