Acompanhe nas redes sociais:

20 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 878 / 2016

03/07/2016 - 17:25:47

Gabriel Mousinho

Choque na magistratura

Gabriel Mousinho

O afastamento do desembargador Washington Luiz de suas funções deixa uma profunda ferida no coração da magistratura alagoana. Independente dos motivos alegados por maioria dos integrantes do Conselho Nacional de Justiça, pegou mal em todo o Brasil o afastamento, mesmo que temporário, do presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas.

Se de um lado é ruim para a imagem do Judiciário alagoano, composto na sua maioria de homens probos, por outro lado o CNJ dá demonstração de que não vai capitular ante as muitas denúncias que tem recebido ao longo dos anos.

Culpado ou inocente, o afastamento de Washington demonstra que o Conselho Nacional de Justiça pode chegar rápido a outros integrantes da magistratura e que ninguém está livre de receber a mão pesada da Justiça.

O desembargador tem todo o tempo necessário para provar que as questões contra si são frutos do ´´ouvi dizer´´ e portanto começa a trabalhar em sua defesa para mostrar que tudo não passa de denúncias vazias. Mas, até lá, se não provar sobre os processos a que responde, poderá ser compulsoriamente aposentado. Se voltar, talvez não dê tempo para concluir seu mandato na presidência do Tribunal de Justiça.

Provocação desnecessária 

Investindo maçiçamente na divulgação de seus cursos, tem Universidade em Maceió que não se contenta somente com isso. Provoca suas concorrentes no território adversário e vê nisso uma ação normal, como se não estivesse infringindo o código de ética. Não são desta forma que se consegue mais matrículas para encher os cofres da instituição. É necessário, acima de tudo, ter afirmação perante a sociedade, quadro docente da melhor qualidade e condições de oferecer o melhor para o alunado e, claro, preços compatíveis com a realidade nordestina.

O Cesmac, a vítima deste processo na semana passada, não precisa disto. Tem uma grande folha de serviços prestados aos alagoanos, concede anualmente mais de 1 milhão de reais em bolsas de estudos e é dirigido por pessoas experientes, competentes e de respeitabilidade, a exemplo de João Sampaio e Douglas Apratto. Não será desta forma que irá perder alunos para qualquer outra instituição de ensino. O Cesmac faz parte da nossa cultura, faz parte da nossa história e principalmente faz parte da nossa gente. Que outras universidades venham, mas com respeito e ética.

Risco iminente

A possibilidade de Cícero Almeida ganhar as eleições seria trágica para muitos grupos políticos de Alagoas, principalmente aqueles que fazem frente ao governador Renan Filho. Com Almeida na prefeitura, o PMDB ganharia nova munição para controlar a política no estado.

Desprotegido

Como a segurança pública não passa seus melhores momentos, mesmo que a mídia oficial insista em dizer o contrário, a momentânea saída da Força Nacional durante o período das Olimpíadas, vai causar um sério desfalque. Se com a Força a situação já é muito preocupante, imagine sem ela.

Sem ter o que fazer

Transformar a demolição de uma casa velha num evento de governo é, no mínimo, não ter o que fazer. O governo de Alagoas aproveita tudo para fazer um ato político e mostrar que também está trabalhando por Maceió. Pelo andar da carruagem, vai terminar fazendo festa para aniversário de boneca.

Só com prisão

Essa história da Assembleia Legislativa não levar em consideração os repasses financeiros obrigatórios e ficar indiferente às decisões judiciais, só vai mesmo resolver quando um deputado for para a cadeia.

Alto lá

É incompreensível que a possibilidade do deputado federal Marx Beltrão ser nomeado Ministro do Turismo dependa do aprove-se do senador Renan Calheiros. Por dois motivos: o primeiro seria por que Renan já disse que não se envolve mais com nomeações no governo federal. Segundo, é por que todo mundo sabe que Marx é candidato a candidato ao Senado, naturalmente se mudar de partido, o que ele pretende. Assim, iria disputar os votos com Renan em várias regiões, especialmente em Coruripe e adjacências.

Marx está pronto

Trabalhando a 120 por hora para disputar uma das duas vagas no Senado em 2018, o deputado Marx Beltrão já deu o chute no balde. Para alguns amigos, Beltrão está pronto para a campanha. É tanto que fez acordos em quase todo o estado de Alagoas com lideranças políticas. Em Maceió já está certo de contar com o apoio de Cícero Almeida, para quem vem trabalhando há algum tempo.

De fora

O ex-deputado Elionaldo Magalhães, técnico da melhor qualidade e que preside o Solidariedade em Alagoas, já avisou que não será candidato, mas está disposto a ajudar os amigos. Ele assegurou que está fora da disputa este ano e em 2018.

Cadê os gabirus?

Somente depois de uma ação da Polícia Federal sobre maracutaias na merenda escolar é que muita gente voltou a se lembrar da Operação Gabiru, onde vários prefeitos foram parar na cadeia. De lá pra cá ninguém foi preso e desconfia-se que as artimanhas ainda correm de vento em popa em muitas prefeituras do estado.

Cadê os taturanas?

A exemplo dos gabirus, os taturanas, que são acusados de roubarem 300 milhões de reais da Assembleia Legislativa, estão livres e fagueiros. Até agora os processos dormem em berço esplêndido na Justiça. 

Mais uma de Lyra

O lobista Milton Lyra, que teve muita atuação em Alagoas em campanhas eleitorais, volta ao noticiário nacional por envolvimento em desvio de recursos públicos da Petrobras e outras instituições. Na sombra, como sempre atuou, Milton é denunciado como pessoa muito ligada ao presidente do Senado, Renan Calheiros. Mais cedo ou mais tarde vai parar na cadeia.

A vez de Freire

Acostumado a fazer campanha franciscana, com pouco dinheiro, o deputado Tarcísio Freire é o mais bem cotado para se eleger prefeito de Arapiraca. O grupo de Célia Rocha está em decadência e os outros candidatos não têm cheiro de povo, diz um amigo de Freire. O deputado tem contado com o apoio do PP do senador Benedito de Lira, que aposta em sua eleição.

Pegando fogo

Falta um pouco mais de 1 mês para começar pra valer a campanha para prefeito de Maceió. Como já começou quente, a campanha tende a ferver daqui pra frente. Quem tiver contas a prestar à Justiça é bom ir se preparando porque vem chumbo grosso por aí.

PPS apoia Rui

Foi com surpresa que o ex-deputado Régis Cavalcante decidiu apoiar o prefeito Rui Palmeira à sua reeleição. Agora o PPS, que tem como presidente nacional o deputado Roberto Freire, passa a integrar o grupo de apoio a Rui, aumentando o time que marchará unido nas próximas eleições.

Pra onde Collor vai 

O candidato do G8 à Prefeitura de Maceió, Paulo Memória, já deu a entender quem o grupo vai apoiar num eventual 2º turno caso não chegue lá. Depois de uma reunião com Fernando Collor, Memória saiu do encontro fazendo críticas a Cícero Almeida. 

Opção de Collor 

Sem até agora emitir opiniões sobre as eleições em Maceió, o senador Fernando Collor deixa transparecer que optará pelo tucano Rui Palmeira em um eventual 2º turno, caso seu candidato não esteja na disputa. Parece que o santo de Collor não bate bem com o santo de Cícero Almeida.


Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia