Acompanhe nas redes sociais:

19 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 877 / 2016

27/06/2016 - 18:19:48

Gabriel Mousinho

A culpada é a Petrobras

Gabriel Mousinho

À medida que as delações premiadas vão aparecendo com novos e surpreendentes depoimentos, vai-se chegando à conclusão de que ninguém roubou nada da Petrobras e isso é invenção dos delatores.

Até agora, nenhum político sequer admitiu que tivesse recebido 1 centavo de dinheiro desviado dos cofres públicos e, aos poucos, parece mesmo que neste processo todo da Lava Jato ninguém é culpado, ninguém é ladrão, ninguém trilhou pelo caminho da desonestidade. Então, sobra a Petrobras e os delatores.

Ninguém sabe, porém, onde foi parar tanto dinheiro, bilhões de reais, embora, a conta-gotas, os larápios delatores vão dizendo onde a grana foi parar. Mas todos reagem. Do presidente do Senado, Renan Calheiros, ao mais desconhecido dos deputados e até mesmo de governadores, que também mamaram nas tetas da ilegalidade.

Como todo dinheiro surrupiado dos brasileiros foi considerado doação legal, e segundo parte da classe política devidamente declarado à Justiça Eleitoral, chega-se à conclusão de que esses delatores deveriam ser crucificados, esquartejados, guilhotinados ou morrerem numa masmorra pelo resto da vida. Eles são mentirosos e acusaram sem provas, dizem os acusados.

Que o Supremo Tribunal Federal decida já sobre quem roubou e sobre quem mentiu. Mesmo que imploda o Brasil e muitos parem na cadeia.

Danos morais

Políticos envolvidos até o pescoço com a Lava Jato já pensam seriamente em acionar a União com ações de danos morais. Eles negam, negam e negam qualquer participação no assalto aos cofres públicos.

Resistente

A dúvida ronda os maiores políticos brasileiros nas investigações da Lava Jato. O senador Renan Calheiros, por exemplo, já é citado em doze inquéritos, mas continua reafirmando que nada tem a ver com essa bandalheira. Até quando Renan vai resistir ninguém sabe. Sabe, entretanto, que ele é atualmente o homem mais forte da República.

Os laranjas

Os procuradores federais já sabem que muito dinheiro roubado da Petrobras e de outras empresas passaram para as mãos de laranjas. Em todos os estados de políticos envolvidos, uma extensa lista está sendo analisada pelos investigadores.

Para agradar

A ansiedade é tão grande no Palácio dos Martírios, que muitos bajuladores do governador Renan Filho falam nos corredores que Cícero Almeida ganhará a eleição para prefeito já no primeiro turno. Esquecem que até agora ainda não combinaram com o povo.

Otimismo exagerado

Dizer que Cícero Almeida é mesmo candidato a prefeito, é subestimar os processos que correm contra o deputado no Supremo Tribunal Federal. O da Máfia do Lixo é um deles, onde Almeida vai ser interrogado como réu na ação no próximo dia 1º de setembro.

Sem fazer falta

O governo de Renan Filho está respirando aliviado com a ida para o governo federal de Rosinha da Adefal, indicação do senador Romário Farias. Rosinha, se comenta nos bastidores, era uma das mais ineficientes auxiliares de Renan Filho.

Tarefa impossível

Todo mundo conhece bem o temperamento do deputado federal Cícero Almeida e passa a se imaginar como será que ele, se prefeito eleito for, irá administrar os interesses de dezessete partidos que ele diz fecharam com o PMDB. De difícil temperamento, como todos e os seus ex-auxiliares sabem, Almeida poderá até ter mudado de comportamento.

Partidos sem voto

Dos dezessete partidos que fecharam com o PMDB de Cícero Almeida, dizem observadores políticos que pelo menos 80% só têm mesmo o voto dos seus presidentes. 

Empate técnico

Pesquisas que circulam por aí dão empate técnico entre o prefeito Rui Palmeira e Cícero Almeida. Uma eleição dura, disputada, onde grupos políticos vão abrir espaços pensando em 2018.

Eleitorado indeciso

Se os números estiverem certos e as pesquisas forem reais, é preocupante a posição do eleitorado de Maceió. Mais de 60% ainda estariam indecisos para escolher o prefeito da capital.

Com tudo

O governador Renan Filho sabe que sua possibilidade de reeleição vai depender dos resultados das eleições para prefeito, principalmente em Maceió. Rui Palmeira reeleito seria um forte candidato para disputar o governo de Alagoas.

Jogando no futuro

O senador Fernando Collor joga forte com o G8 e pode ser o fiel da balança em um eventual segundo turno nas eleições em Maceió. Estrategista, o senador já fez avaliação de com quem deve ficar, mas prefere aguardar o momento oportuno.

Nadando em dinheiro

Não será por falta de dinheiro, agora, que o governo de Renan Filho não vá deslanchar. Até o final do ano os cofres estarão recheados com mais de 300 milhões de reais e outros tantos até 2018. O que dá pena são os servidores, que continuarão mendigando reajustes salariais.

E os servidores?

O governo de Alagoas briga para receber pelo menos 5 bilhões de reais pela federalização da Ceal, mas sequer fala do débito astronômico da empresa com os antigos servidores da empresa que ganharam em todas as instâncias o famoso Plano Bresser. A dívida já chegou a 1 bilhão e meio de reais e a Justiça continua morosa como sempre.

Pra variar

Os assaltos continuam sem freios, mas o governo diz que tudo está sob controle. No início da semana um ônibus sofreu um arrastão em pleno Centro de Maceió onde foi roubado o cobrador e, naturalmente, os passageiros. 

Biu bate forte 1

O senador Benedito de Lira não economizou palavras para bater forte no candidato a prefeito pelo PMDB em Maceió, Cícero Almeida. Ele disse a jornalistas que estavam no Maceió Mar Hotel, na última segunda-feira, que ´´Rui Palmeira é dez vezes mais ético, trabalhador e decente do que Cícero Almeida´´.

Biu bate forte 2

Na entrevista a uma emissora de rádio, Biu disse que Cícero Almeida nunca foi a uma grota, o que agora faz a tiracolo do governador Renan Filho. Aliás, disse o senador, o governador deu agora até para tocar pandeiro em aparições meramente eleitoreiras nos grotões de Maceió.

Fortalecido

O senador Biu de Lira demonstrou força política na última segunda-feira, ao reunir centenas de pessoas no auditório do Maceió Mar Hotel. Dezenas de prefeitos, vereadores, pré-candidatos e simpatizantes do PP estiveram presentes, em solenidade que também contou com a presença do presidente do partido, senador Ciro Nogueira.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia