Acompanhe nas redes sociais:

21 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 876 / 2016

18/06/2016 - 17:01:39

Gabriel Mousinho

Porto em crise

Gabriel Mousinho

O novo administrador do Porto de Maceió, Tadeu Lira, vai ter muito trabalho para colocar a empresa em ordem. Em primeiro lugar terá que colocar em dia suas obrigações sociais, resolver as pendências financeiras e promover com urgência metas para a retomada da movimentação de cargas.

As consequências da falta de um projeto de oxigenação do setor têm trazido sérios problemas para a classe trabalhadora que, como avulso, só ganha quando tem navio comercial. Este, talvez seja o maior desafio para Tadeu Lira, administrador experiente e consciente dos problemas que vai enfrentar a partir de agora. 

Como a crise é grande e se refletirá exatamente no emprego dos trabalhadores, resta tão somente encontrar novos caminhos, discutir as taxas portuárias consideradas altas para a região e apostar em novos rumos para o Porto de Maceió.

Demissão em massa

Corre as informações nos bastidores do Porto de Maceió que, sem projetos para fabricação de módulos de plataforma para óleo e gás, a empresa Tomé Ferrostal vai começar a demitir em massa a partir de agosto próximo. A previsão inicial é para afastar centenas de trabalhadores, que engrossarão o cordão de 11 milhões de desempregados em todo o Brasil.

De fora 1

Bem que o administrador do Porto de Maceió, Tadeu Lira gostaria de participar ativamente da campanha de Cícero Almeida à prefeitura, mas suas novas atribuições impedem uma atuação mais presente. Ficará dando pitacos importantes na campanha e trabalhará para derrotar Rui Palmeira.

De fora 2

Como já é do conhecimento da classe política, Tadeu Lira, que fazia parte do grupo do senador Benedito de Lira, rompeu os laços pessoais e comerciais. Agora é aliado do deputado federal Marx Beltrão, que disputará o Senado contra Biu e Renan Calheiros.

De fora 3

Roberto Leoni, até então administrador substituto do Porto de Maceió, foi defenestrado do cargo por Tadeu Lira. Ele era o braço direito de Rosiana Beltrão, que perdeu o posto numa briga política da família Beltrão. Leoni já insinuou que gostaria de ser convidado para o governo do Estado, mas até agora não obteve êxito, enquanto Tadeu Lira se estrutura para tirar dali o que restou de Rosiana.

Ciço arrependido

O deputado Cícero Almeida parece não acreditar mesmo na sua eleição para prefeito de Maceió. Em uma das suas entrevistas na semana passada, Almeida disse que não gosta de Brasília e seu objetivo é não retornar à Câmara. Disse até que se contentaria com uma secretaria no governo de Renan Filho.

Decepção

Parte do eleitorado de Cícero Almeida não gostou nem um pouco de suas declarações sobre sua insatisfação no Congresso Nacional. Em Maceió, onde faz campanha nas grotas junto com o governador Renan Filho, Almeida deixa transparecer que não está confiante em voltar à prefeitura da capital. Parece que anda desiludido com a arrumação política do momento.

Primeira vitória

Parece que Cícero Almeida vai se livrar da confusão com o PRTB. Pelo menos o vice-procurador-geral eleitoral, Nicolao Dino, foi contra a cassação do deputado em parecer enviado à ministra Luciana Lóssio. O primeiro passo foi dado.

Encrenca à vista

Um contrato do governo do Estado com a empresa Aloo Telecom está dividindo a família Calheiros em Alagoas. Sem receber há 11 meses, a empresa entrou na Justiça e cobra uma dívida de 14 milhões de reais. Como o Instituto de Tecnologia recusa-se a fazer o pagamento alegando vícios no processo licitatório, a briga no clã dos Calheiros foi instalada. O Itec é presidido por José Luciano dos Santos Júnior, indicação do deputado estadual Olavo Calheiros. Renan Filho, entretanto, deu indicações de que iria demitir Luciano, mas voltou atrás, segundo a revista Veja, por pressão de Olavo.

PPS à vista

Candidato a prefeito nas próximas eleições pelo PPS, Régis Cavalcante, porém, não descarta uma futura composição política. Se depender do grupo de Rui Palmeira, o PPS pode ser o próximo partido a engrossar as fileiras da situação. Uma coisa é certa: brigado com Cícero Almeida, Régis dificilmente se aliaria ao ex-prefeito.

Fogo de palha

Parte da população brasileira nas conversas nas praças, nos bares e restaurantes, não acreditava nem um pouco que fossem decretadas as prisões de Renan, Jucá, Sarney e Eduardo Cunha.

Volta por cima

O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal, colocou um balde de água fria na Procuradoria Geral da República, que queria as prisões de Renan Calheiros, Romero Jucá e José Sarney. Zavascki disse, em seu despacho, que não via necessidade de adotar medida tão extrema. Renan Calheiros, hoje, é um dos homens mais importantes da República e para o sistema democrático do País.

Dois pesos?

Outros, entretanto, acham que o STF utilizou, neste aspecto, dois pesos e duas medidas, já que, por muito menos, Delcídio do Amaral foi preso e perdeu o mandato no Senado da República. Mas a situação é outra, dizem os peemedebistas.

Pagando pra ver

O Conselho de Ética aprovou, mas está se pagando pra ver a cassação do deputado Eduardo Cunha no plenário da Casa. Isso se passar pela Comissão de Constituição e Justiça, onde Cunha tem a maioria.

Reclamando

O senador Benedito de Lira tem reclamado insistentemente das obras tocadas pelo Estado que estão andando a passos de cágado. Ele nomina, inclusive, a de Matriz ao Passo do Camaragibe, cuja emenda para a construção da estrada foi de sua autoria.

Eu, não

Do senador Biu de Lira sobre as investigações da Lava Jato: “Quem dever que pague”, alegando que a doação recebida para sua campanha foi repassada pelo PP nacional ao partido que preside em Alagoas e declarada à Justiça Eleitoral.

Almeida tira o corpo

O deputado Cícero Almeida foi bastante claro numa entrevista concedida ao jornalista Ricardo Mota, quando disse que a investigação da Máfia do Lixo feita pelo Ministério Público foi uma “armação”. Almeida tirou o corpo e comprometeu ainda seus antigos auxiliares que se pronunciaram no processo.

Galba vice

As notícias de que o deputado estadual Galba Novaes será o candidato a vice na chapa de Cícero Almeida crescem a cada dia. Galba se distanciou do prefeito Rui Palmeira e se aproximou de Renan Filho. Quem lê o Diário Oficial sabe o por quê.

Com razão

Falante, sempre se dizendo perseguido até pela imprensa, o deputado Cícero Almeida fez louvações nas grotas ao governador Renan Filho e defendeu as obras dizendo que ali não só tem bandidos. Ele tem razão. Em outros lugares também tem.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia