Acompanhe nas redes sociais:

15 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 876 / 2016

18/06/2016 - 16:57:41

Sururu

Novos marajás

Da redação

Os procuradores do Ministério Público de Contas, do Tribunal de Contas do Estado -  que nada tem a ver com a instituição Ministério Público - estariam recebendo salário acima do permitido por lei, alguns chegando a R$ 54 mil.

A denúncia é do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), que representou contra os novos marajás de Alagoas junto ao MP. 

Eles alegam que seus salários são equiparados com a remune-ração dos procuradores de Justiça de Alagoas, mas a Constitui-ção Federal não outorga qualquer paridade com outra carreira do Ministério Público. 

Com a palavra o procurador-geral de Justiça e o presidente do Tribunal de Contas do Estado. 

Máfia do Lixo

A alegria do deputado Cícero Almeida com relação ao parecer favorável do Ministério Público sobre o processo movido pelo PRTB sobre infidelidade partidária durou pouco. Agora, o ministro do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, intimou Ciço para prestar esclarecimentos sobre a Máfia do Lixo, em que é acusado de desviar R$ 200 milhões. O deputado vai ter que explicar tim-tim por tim-tim como foi o esquema, que ele reafirma ter sido armação do Ministério Público de Alagoas. A audiência está marcada para dentro de 15 dias.

Incentivo ao crime 

Além do auxílio-reclusão – cerca de mil reais por mês - os presidiários brasileiros terão direitos a mais mordomias à custa dos contribuintes. A cortesia com dinheiro público já foi aprovada no Rio de Janeiro e pode ser adotada por outros estados. Trata-se do vale-transporte para visitantes de bandidos presos. 

Incentivo ao crime 2

Para o deputado Jair Bolsonaro, a medida é imoral e ofende a dignidade do cidadão brasileiro. “Os parentes de suas vítimas não têm direito nem mesmo a vale-transporte para visitá-las no hospital, mas a família inteira terá de pagar, junto ao resto dos cidadãos de bem, a condução dos visitantes daqueles que as roubaram, feriram, espancaram, estupraram e mataram”, desabafou o parlamentar. 

Recado 

Essa semana o senador Renan Calheiros disse que vai analisar pedido de impeachment do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Parece que a queda de braço está só começando. 

Traipu 

O Conselho Nacional do Ministério Público está de olho na “falta” de apuração de ocorrências criminosas no município de Traipu. A política é o principal motivo para morosidade, segundo denúncia encaminhada para o CNMP. 

Língua solta 

O prefeito de Anadia, Paulo Dâmaso (PMDB), teve alguns dos seus áudios vazados em grupos de Whatsapp. Em um dos áudios o prefeito diz que a população de Anadia não tem capacidade nem de ser “chumbeta de chumbeta”, fazendo referência aos cargos técnicos da prefeitura. 

Menino traquino 

Essa semana a Polícia esteve na Assembleia Legislativa para cumprir um mandado de busca e apreensão. O motivo foi a fraude de Marquinhos Madeira, que disse que estava doente, comprovou com atestado médico suspeito, e foi flagrado participando de um rally na cidade de Maragogi. 

Na mira 

O vereador Silvânio Barbosa, principal aliado de Cícero Almeida, está na mira no Conselho de Ética da Câmara. Ele atacou a vereadora Fátima Santiago. 

Ranking

O governo de Alagoas está em 21º lugar no ranking nacional da transparência do Ministério Público Federal. Entre os governos das capitais, Maceió aparece bem na foto, figurando em 7º lugar.

A equipe de Renan Filho está precisando se esforçar mais para atender às exigências do MPF.

 Transparência 

Segundo o MPF, o nível de transparência de estados e municípios brasileiros aumentou cerca de 31% em seis meses, a partir da atuação coordenada do Ministério Público Federal em todo o país. 

Os fora da lei

Foram avaliados portais de 5.567 municípios, 26 estados e o Distrito Federal. O Índice Nacional de Transparência subiu de 3,92, em 2015, para 5,15, em 2016. Estados e municípios que ainda descumprem as leis de transparência serão acionados judicialmente. 

E agora, JHC?

Um livro de autoria do jornalista Chico de Góis, do jornal O Globo, traz a tona uma denúncia que pode abalar a imagem e os planos futuros do deputado federal JHC (PSB), acusado de enriquecimento ilícito. 

A denúncia abalou a imagem do jovem parlamentar, já que JHC tem um discurso que prega moralidade e combate à corrupção. 

Menino prodígio

JHC, que aos 23 anos de idade declarou patrimônio de R$ 1,5 milhão em sua declaração à Justiça Eleitoral nas eleições de 2010, declarou à mesma Justiça Eleitoral patrimônio de R$ 3,1 milhões nas eleições de 2014. Como o jovem deputado dobrou seu patrimônio nos quatro anos em que ocupou a Assembleia Legislativa de Alagoas ainda é um mistério para seus eleitores. 

JHC, que é candfidato a prefeito de Maceió, precisa se explicar junto aos eleitores, já cansados de tanta bandalheira.  

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia