Acompanhe nas redes sociais:

26 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 875 / 2016

12/06/2016 - 07:59:57

Bancada alagoana utiliza verba indenizatória para mordomias

Gastos de deputados e senadores apresentam excentricidades; Arthur Lira é o que mais viaja

José Fernando Martins Especial para o EXTRA
Deputado federal Arthur Lira já soma mais de R$ 5 mil em passagens aéreas

Compra de chocolates e aluguéis de carros. Esses são alguns dos gastos que deputados federais de Alagoas fazem a partir da Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar, destinada a custear as despesas vinculadas ao exercício político. A reportagem do Extra Alagoas analisou qual o destino que os parlamentares estão dando a verba indenizatória desde o começo do ano. O valor correspondente a Alagoas é de R$ 40.572,24 por deputado federal. Se multiplicado pelos nove deputados federais, o valor com as despesas por chegar a R$ 365.150 mensais.

O deputado Arthur Lira (PP) se destaca quando o quesito é viagem. De janeiro a fevereiro, o parlamentar gastou R$ 5.231,83 em passagens aéreas de ida e volta a Salvador. Um exemplo é que Lira, segundo documentação da Câmara dos Deputados, teria ficado na capital baiana por oito dias, de 2 a 10 de fevereiro. Já em abril, o destino preferido foi o Rio de Janeiro, terra do também deputado federal, Eduardo Cunha. Foram quatro passagens do Aeroporto Santos Dumont, no Rio, para Brasília, e seis com o trajeto inverso. Essas viagens custaram ao erário a quantia de R$ 6.928,95.

Givaldo Carimbão (PHS) usou R$ 43.600 da Cota Parlamentar, nos meses de janeiro a abril, para a locação de veículos de alto padrão para transitar na cidade de Maceió. Os carros escolhidos foram: Toyota Hilux, Honda Civic e um Polo Sedan, da Volkswagen. De acordo com a nota fiscal expedida pela empresa de locação de veículos, os três carros eram alugados simultaneamente pelo valor de R$ 10.900.

E parece que os projetos para a disputa da cadeira do Executivo de Maceió começaram a entrar em pleno vapor desde o começo do ano para JHC (PSB). O filho de João Caldas gastou entre os meses de janeiro a abril cerca de R$ 30 mil com divulgação da atividade parlamentar. Conforme especificado em nota fiscal, os serviços eram referentes à produção audiovisual que para ser veiculado no YouTube e Facebook. De fevereiro a abril também foram gastos R$ 30 mil com Consultorias, Pesquisas e Trabalhos Técnicos, desenvolvidos pela empresa Vértice Associados. 

O deputado Marx Beltrão (PMDB) destinou somente no mês de março R$ 30.000 para um grupo de pesquisa e marketing para  “avaliar a situação e as principais demandas da população com relação aos projetos e propostas que estão sendo debatidas no âmbito da Câmara dos Deputados”. A pesquisa seria para identificar as necessidades de indicação de emendas nos municípios de Coruripe, Piaçabuçu, Penedo, Jequiá da Praia, Feliz Deserto e São Miguel dos Campos. 

Cícero Almeida (PMDB) também fez suas consultorias de fevereiro a maio, mas no valor de R$ 42.000. O serviço foi contratado para “a fundamentação dos votos em plenário”. 

Quem se destaca por especificar todos os gastos em mínimos detalhes é o deputado Paulão (PT). Assim como os outros parlamentares, também usou o dinheiro público para transportes, propaganda política e consultoria. Porém, o petista pede reembolso pelo consumo de tablete de chocolate diet, de R$ 8,20, até do Quarteirão com Batata Grande, ao custo de R$ 25, comprado em uma lanchonete do McDonalds, em Brasília. Vale lembrar que nos quatro primeiros meses do ano, Paulão chegou perto do valor máximo estipulado para a Cota Parlamentar.

Investir em propaganda e divulgação da atividade parlamentar pode render bons frutos. Pelo menos é o que aconteceu com Maurício Quintella (PR). De janeiro e abril foram R$ 36.000 para filmagens de suas ações na Câmara. A publicidade cessou no mês de maio quando Quintella foi para o Ministério dos Transportes a convite do presidente interino Michel Temer. A saída do deputado fez com que o suplente Nivaldo Albuquerque (PRP) assumisse a vaga. De maio até o momento, o parlamentar gastou pouco mais de R$ 270 em serviços postais e telefônicos. 

Pedro Quintella (PSDB) não declarou nenhum gasto com alimentação, no entanto, há listas de abastecimento em postos de gasolina. Foram R$12.525 com combustível nos primeiros cinco meses do ano. O gasto médio foi de R$ 200 a cada abastecida. Já Ronaldo Lessa (PDT) se mostrou adepto da boa culinária. De janeiro até o momento, o ex-governador de Alagoas usou seu direito para gastar R$ 4.043 em refeições. Entre elas está uma porção de peixe frito com jarra de suco a R$ 140 em um restaurante em Maragogi. 

SENADO

De janeiro até maio, o senador Fernando Collor (PTC) usou R$ 127.281 em segurança privada. Benedito de Lira (PP) destinou R$ 28.754,77 em  aluguel de salas onde funciona escritórios de apoio político em Alagoas. Já o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), gastou 46.194,84, e também pede indenização por comprar sabão de coco e filtro de café a R$ 0,01. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia