Acompanhe nas redes sociais:

21 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 875 / 2016

12/06/2016 - 07:50:59

Gabriel Mousinho

Dois pesos e duas medidas

Gabriel Mousinho

A decisão da Câmara dos Deputados de comprometer o Orçamento do governo federal em mais 60 bilhões de reais para reajustes salariais do Executivo, Legislativo e Judiciário cria uma situação vexatória e preocupante para os Estados brasileiros.

Se o atual governo abre um precedente perigoso de sangrar o Orçamento, o que, por exemplo, fará o go-verno de Alagoas com a pressão que tem recebido de seus servidores? Sem dúvida alguma, são dois pesos e duas medidas. Como irão reagir os trabalhadores do Estado que praticamente não terão reajustes salariais, ao contrário dos outros segmentos?

As medidas emergenciais que estão sendo tomadas pelo Congresso Nacional no atual governo são verdadeiramente preocupantes. Quando a barriga ronca, é sinal de que a coisa não vai bem. A situação está tão delicada, a incerteza é tanta, que, se riscar um fósforo, pega fogo.

Renan reage 

O senador Renan Calheiros reagiu fortemente ao pedido de sua prisão pelo Procurador Rodrigo Janot, sob a alegação de que estaria atrapalhando as investigações da Lava Jato. Calheiros disse que o pedido foi desarrazoado, desproporcional e abusivo. Mas o senador já esperava que medidas duras viessem por aí.

Expectativa

As eleições em Alagoas para muitos candidatos irão depender muito da situação do senador Renan Calheiros. Se a situação engrossar, a campanha do PMDB certamente deverá mudar de rumo. A expectativa é grande tanto nos municípios do interior como na capital.

Doações perigosas

Quem se deu ao trabalho de acessar o site do Tribunal Regional Eleitoral na prestação de contas dos candidatos majoritários nas eleições, ou mesmo ter lido nesta coluna, vai ver que as fantásticas doações e campanha vieram exatamente das empresas enroladas com a Petrobras. O material para a Procuradoria Geral é farto, claro e indiscutível, de que o dinheiro de campanhas foi fácil demais.

Quem escapa?

Pouca gente no mundo político que tenha alguma ascensão em nível nacional deve se complicar na Lava Jato, inclusive alguns alagoanos. Quem pensava que iria escapar das investigações, enganou-se redondamente. A partir de agora o mínimo que pode acontecer é alguns figurantes irem pra cadeia.

No lixo

O ex-senador e ex-presidente da República José Sarney, que se mostrou surpreso com o pedido de Rodrigo Janot, jogou toda sua biografia no lixo. Pode ser preso em casa e monitorado com tornozeleira eletrônica por ter mais de 80 anos. 

Alerta geral

Quem tiver problemas com a Máfia do Lixo, Operação Taturana e outras investigações, é bom fazer um estoque de lexotan. A vez está chegando.

Devagar com o andor

As obras realizadas pelo governo do Estado são importantíssimas para Maceió, mas precisa o governo ter mais cuidado na elaboração dos projetos, o que não é o caso da duplicação da AL-101 Norte. Na pressa para causar impacto junto à população e mostrar serviço, o Estado esqueceu-se do básico. O prefeito Rui Palmeira bate palmas para as obras, mais pede mais atenção do governo para que os trabalhos não sejam interrompidos.

Na campanha vale tudo

Em campanha política, dizem os mais experientes, vale tudo. Até falar na mãe dos adversários. Em meio a grande crise que o Brasil enfrenta, o governador Renan Filho não se fez de rogado. Disse em uma entrevista ao eassim.net, que vai construir logo três grandes hospitais em Maceió e quatro no interior, num investimento de 200 milhões de reais com recursos do próprio Estado. É, pode ser.

Assim, não

O governador Renan Filho encantou-se com o forró de Cícero Almeida e, pasmem bem, começou a tocar triângulo, numa cena, convenhamos, ridícula. Um observador, disparou: ´´A que ponto chegou o nosso governador na campanha do Ciço!´´

A tocha

A passagem da Tocha Olímpica por Maceió teve lances interessantíssimos. Áudios circularam nas redes sociais e cada um era mais engraçado do que o outro. Um internauta, prejudicado para chegar a sua casa em dia de muita chuva, desandou a gritar impropérios, arrancando risadas quando mandou enfiar a tocha naquele lugar.

Contrassenso

Num país aonde o desemprego beira aos 12 milhões de trabalhadores, a saúde, a educação, a segurança e outros serviços vão de mal a pior, se realiza uma Olimpíada, cujos investimentos superam a barreira de 1 bilhão de dólares. Um desserviço à Nação e uma provocação ao sofrido povo brasileiro.

Penúria

As operações realizadas pela Polícia Federal no combate à corrupção têm deixado os candidatos a vereador com a pulga atrás da orelha. Como dinheiro não está fácil, principalmente porque os grandes doadores estão atrás das grades, a campanha está ficando cada vez mais difícil.

Avanço tucano

Enquanto os adversários agridem, aos poucos o prefeito Rui Palmeira vai avançando nas composições políticas. Hoje, pelo menos 14 vereadores marcharão com Rui nas eleições de outubro. Isso tem atraído a reação dos concorrentes e estimulado o governador Renan Filho a mergulhar de cabeça na candidatura de Cícero Almeida, se revelando até um exímio tocador de triângulo.

Vai e vem

No início da semana muita gente se surpreendeu com a volta repentina do professor Tadeu Lira à Administração do Porto de Maceió. Ele havia sido exonerado poucos dias depois de assumir o cargo, voltando o filho de Roseana Beltrão. Mas a força do deputado Marx Beltrão, que antes ficou com Dilma e depois ficou com Temer, fez com que Tadeu retornasse ao cargo. Como o momento é de incerteza, ninguém sabe se ele fica pra valer ou pega o bonde daqui a alguns dias.

Prejuízo nos Mercados

O prefeito Rui Palmeira precisa, urgentemente, rever a política dos mercados públicos do município de Maceió. O custo mensal para manter os mercados gira em torno de 900 mil reais mensais, enquanto a arrecadação não ultrapassa os 100 mil. As indicações dos administradores sempre são políticas. 

Em alta

A Secretaria de Habitação de Maceió tem sido a referência da prefeitura e dado um show na construção de casas populares. É uma secretaria que tem dado muita satisfação ao prefeito Rui Palmeira. Com o apoio do próprio prefeito e do senador Benedito de Lira, o secretário Mac Lira tem tocado o projeto que tem diminuído o déficit habitacional na capital. O município tem construído mais de dez vezes casas populares do que o próprio Estado de Alagoas.


Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia