Acompanhe nas redes sociais:

17 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 874 / 2016

10/06/2016 - 19:30:23

Quo Vadis Domine? (Aonde vais senhor?)

Luiz de Gonzaga Mendes de Barros

Fugindo com medo de ser crucificado, com esta pergunta, diz a Bíblia, Pedro interpela Cristo na saída de Roma, que de entrada servia ao “Filho de DEUS” já ressuscitado após a crucificação.

“ ROMAN VADO ITERUM CRUCIFIGI” (vou a Roma para ser crucificado outra vez”), respondeu-lhe JESUS, com o que lhe devolveu a coragem na apologia ao SENHOR.

Observando-se o que se passa em BRASÍLIA cabe aos brasileiros, crucificados pelos corruptos do executivo e seus asseclas do legislativo, perguntarem: PARA AONDE VAIS BRASIL?

 Que DEUS se apiede de nós e possamos ouvi-lo dizer alto e bom som:”

“ PARA O FUTURO, COM O MEU POVO E A DETERMINAÇÃO DE DEVOLVER A DIGNIDADE E A HONRA DA NAÇÃO BRASILEIRA COM FULCRO NO RUMO ILUMINADO POR POUCOS MAS POTENTES EXEMPLOS, NO JUDICIARIO, QUE ADOTAREMOSE FORTALECEREMOS PARA RECONSTRUIR A HONRA DA PÁTRIA, SUA ECONOMIA E O SEU RESPEITO.

Na semana em que se comemora o CORPUS CHRISTI,a data DO CORPO DO FILHO DE DEUS, roguemos ao PAI conceda-nos a força necessária para combater a corrupção que arrasa o país com a urgência que se impõe, tendo em vista que os traidores possuem preços diferentes: O Judas d´antanho, traiu Cristo por trinta dinheiros enquanto os judas modernos vendem o país por bilhõesde dólares e quase todos conhecidos e com o dinheiro no bolso, perdão, em contas bancarias aqui e alhures.

 Faz muito tempo, com atuação especializada nos governos do PT, o BRASIL vem se deteriorando moral e economicamente em processo inaudito de corrupção nas atividades públicas, chegando ao cúmulo inimaginável da nação ficar na dependência de Eduardo Cunha, Presidente da Câmara dos Deputados, para impedir o avanço do dominante processo de dilapidação do patrimônio público nacional, ali incluído os pertences das Empresas e Bancos estatais, PETROBRAS, ELETROBRAS, BANCO DO BRASIL, CAIXA ECONÔMICA FEDERAL, BNDES e outras, todas com administração composta por indicados políticos que, ao indicar os tais “especialistas”, tornavam-se “SÓCIOS” das instituições públicas referidas, falindo algumas, como PETROBRAS e ELETROBRAS, ao tempo em que ameaçam a estrutura moral e financeira das instituições bancárias mencionadas.

Diante de quadro tão dantesco, eis que aparece o PRINCIPIO DA DELAÇÃO PREMIADA como rota a ser usada para esclarecer, de forma indiscutível, as ligações criminosas tão em voga no país, compondo prova irrefutável posto que apresentada por delinquentes confessos, a exemplo de um Senador da República, DELCIDIO DO AMARAL e um Ex-SENADOR, SERGIO MACHADO, indicado para presidir uma empresa subsidiária da Petrobras por dois outros Senadores, tendo ali reinado por mais de 10 anos, hoje indicando os “sócios” nesta nefasta sociedade ou singular quadrilha para contumazes assaltos aos cofres do governo federal e das empresas estatais.

Observando-se o reprisar dos mesmos nomes quadrilhados, talvez já seja suficiente o reconhecimento, pelo eleitor, de sua responsabilidade a partir da seguinte evidência:

1º- no BRASIL de hoje, após tanta gatunageme desrespeito à política, não é necessário que o cidadão, ou cidadã, seja decente, apenas considerando-se como tal não aceita participar do processo eleitoral, deixando para os corruptos e irresponsáveis a conquista dos cargos dos quais depende a administração pública, conduzindo a União, os Estadose os Municípios, com raras exceções, ao estado calamitoso em que se encontram.

2º as figuras mais expressivas da política nacional, de todos os partidos, disputam, sem o respeito a regras morais e técnicas, como sói acontecer nos avanços científicos, esportivos e comportamentais de uma sociedade decente, os lugares mais importantes com o uso e abuso dos métodos mais corrompidos do momento, que se desenvolvem com a rapidez do processo eletrônico que transformou a “compra” dos votos parlamentares para a reeleição do Presidente Fernando Henrique Cardoso no mesmo “material”, desta vez “comprado” para apoio parlamentar ao governo do Presidente Lula, operação financeira (com dinheiro público) conhecida por “MENSALÂO”, aperfeiçoada nos laboratórios de ciências amorais sob a insuperável “REITORIA” de José Dirceu, Janene, Costa Neto, Sergio Machado, com quem a nação veio, a saber, que, no CONGRESSO NACIONAL composto por cerca de 600 integrantes, observada a compostura dos deputados e senadores “NÃO SOBRARIAM MAIS DE CINCO”.

Resisto em aceitar o número avaliado pelo DELATOR Sergio Machado, todavia, tendo sido Senador da República, filho de Senador da República e indicado para Presidente de umaempresa pública por Senadores da República, não custa nada proteger o bolso.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia