Acompanhe nas redes sociais:

20 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 874 / 2016

02/06/2016 - 21:26:35

Sucessão na prefeitura já tem três pré-candidatos

Ex-procurador-geral de Justiça, Eduardo Tavares é o nome da situação

João Mousinho [email protected]
Erasminho também está no páreo

A eleição no município de Traipu esse ano conta com pelo menos três pré-candidatos a prefeito. A atual prefeita Conceição Tavares definiu seu apoio em relação ao procurador de Justiça Eduardo Tavares, que se afastou do cargo para concorrer ao pleito em sua cidade natal. Conceição é prima do ex-procurador-geral de Justiça e não esconde seu desejo de que ele venha sucedê-la frente ao executivo local. 

Cotado para voltar ao comando do Ministério Público Estadual após a gestão de Sérgio Jucá, Tavares preferiu retomar a vida política. Os promotores e procuradores de Justiça devem aclamar o ex-secretário de Segurança Pública e promotor de Justiça Alfredo Gaspar de Mendonça, como novo procurador-geral de Justiça até o fim do ano, lembrando que a lista tríplice é encaminhada para o governador do Estado, Renan Filho. 

Eduardo Tavares já foi pré-candidato ao governo do Estado em 2014 pelo ninho tucano, mas sem o apoio devido dos caciques políticos do PSDB preferiu sair da disputa, que posteriormente seria encabeçada pelo vereador de Palmeira dos Índios, Júlio César, e hoje pré-candidato a prefeito na cidade do Agreste. Ao contrário do que ocorreu há dois anos, dessa vez Eduardo tem o apoio político da atual gestão. 

Em recente publicação em sua rede social, a prefeita de Traipu colocou: “Eduardo, a sua capacidade de expor os seus sentimentos, de uma forma tão simples e transparente fizeram de você um homem especial. Que você possa continuar galgando seus sonhos e objetivos com ética e sinceridade. Não tenha receio de expor suas ideias e lutar pelo que você acredita. Seja firme, demonstre segurança e busque construir o seu futuro, tendo como base primeiramente a fé em Deus”.

Quem também almeja o cargo de prefeito de Traipu é Erasmo Dias, vice-prefeito da cidade, que durante a gestão de Conceição fez oposição. Por inúmeras vezes Erasminho fez duras acusações de improbidade e outros desmandos administrativos contra a prefeita em exercício. 

Ainda no mês de abril, Erasminho reuniu no Clube do Sol amigos e correligionários para reafirmar sua pré-candidatura a prefeito de Traipu. Em sua fala, o vice-prefeito disse que algumas pessoas de forma maldosa estavam espalhando boatos de que ele teria desistido de disputar as eleições. “Essas pessoas que agem dessa forma não pensam no bem de Traipu, nosso município está sendo administrado por uma gestora que até o presente momento vem dando oportunidade às pessoas de fora, deixando de lado traipuenses”, criticou. 

Por fim, o vice-prefeito fez mais denúncias: “A saúde está sucateada, os professores foram enganados, funcionários contratados com cinco, seis e até sete meses sem receber salários e mesmo assim muitos foram colocados pra fora sem direito a nada, praças sendo refeitas sem necessidade com valores superfaturados que poderia custar em torno de R$ 20 a R$ 30 mil reais mais nas licitações esses valores superam 10 vezes mais”. 

Outro nome que aparece para concorrer o comando do município é Juliana Kummer Freitas dos Santos, que é esposa do ex-prefeito de Traipu, Marcos Santos. Durante anos Conceição Tavares rivalizou o poder da cidade com Marcos Santos, pois o então prefeito tinha sido afastado por corrupção e Conceição, como presidente da Câmara, assumiu por várias oportunidades o Executivo. 

Agora o jogo se inverte e a oposição é feita pela família Santos que responde na Justiça por vários atos de corrupção. O Ministério Público Federal (MPF) ofereceu denúncia contra Marcos Santos, Juliana Kummer Freitas dos Santos e mais 19 pessoas, todos são acusados de desvio e apropriação de recursos públicos federais destinados à educação, repassados ao município no período de janeiro de 2007 a junho de 2010.

As verbas supostamente desviadas pela família Santos são relativas ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e ao Programa Nacional de Apoio ao Transporte do Escolar (Pnate), totalizando um prejuízo inicial superior a R$ 8 milhões.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia