Acompanhe nas redes sociais:

16 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 871 / 2016

14/05/2016 - 22:10:13

Meio Ambiente

Da redação

araraca

Foi descoberta na Ilha dos Franceses, litoral do Espírito Santo, a Bothrops sazimai, uma espécie de jararaca com olhos e caudas relativamente maiores do que o normal. Sua alimentação se limita a lacraias, lagartos e pequenos anuros. A descrição foi publicada na revista científica Zootaxa e autores do estudo classificam-na como “criticamente ameaçada de extinção”, por só existir nessa ilha.

Jeep

A Jeep em parceria com a Fundação SOS Mata Atlântica criou o Vigilant Wallpapers, que traz imagens em tempo real dos 8% de mata nativa ainda restante. As imagens são captadas em locais que estão constantemente sofrendo algum tipo de agressão, com câmeras camufladas e movidas a energia solar, que funcionam 24 horas por dia transmitindo imagens com geolocalização via streaming. O Vigilant Wallpapers Jeep está disponível para que a população ajude o governo a parar o desmatamento. Para baixar é só ir no Google Play ou no site www.jeepwallpapers.com.br.

Urso 

A ONG Animals Asia resgatou o urso Tuffy de uma fazenda de extração de bile em Hong Kong. A bile de urso tem sido muito utilizada na Ásia para tratar vários problemas de saúde. A extração é feita diariamente em ursos vivos, que são perfurados e violados com cateteres. As vesículas de Tuffy estavam tão danificadas que tiveram que ser removidas. O urso agora se recupera em um santuário no Vietnã, onde é mantido ao ar livre.

 Mistérios da natureza

Ameaçadas pelo corte ilegal de árvores e uso de herbicidas, as borboletas monarcas são o único inseto a fazer uma migração tão longa durante o inverno, concluindo o trajeto de ida e volta 4 gerações de depois, pois o tempo de vida desse inseto é de aproximadamente dois meses. Pesquisadores da Universidade de Washington descobriram que elas usam apenas algumas indicações solares para saber onde fica o sul e qual é a hora do dia. 

Mariana

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) divulgou, depois de três meses de sigilo, os resultados do estudo sobre o impacto da lama de rejeitos que vazou no final do ano passado após o rompimento da barragem da mineradora Samarco, em Mariana (MG). Foi constatada alta concentração de metais pesados como arsênio, manganês, selênio e chumbo acima do limite estabelecido pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama). No entanto, não foi possível confirmar a relação entre a contaminação e os rejeitos vazados na tragédia. 

Lixo espacial

Um relatório da Nasa revelou, este mês, que apesar da quantidade de lixo espacial acumulado na órbita da Terra ter aumentado desde o ano passado, a Rússia foi o único país capaz de reduzir a sua cota de detritos. Atualmente, 6.276 objetos espaciais são atribuídos à Rússia, contra os 6.312 há um ano. 

Bloqueio

Desde o mês passado, a ASAS (sistema de alta pressão subtropical do Atlântico Sul) ganhou muita força sobre o Brasil, reduzindo o nível de umidade no ar e da chuva. Essa intensificação é um dos efeitos do El Niño, que para enfraquecer é preciso que uma frente fria consiga quebrar o bloqueio das montanhas argentinas para mudar a situação no Brasil. 

Barreira de Coral 

Cientistas da Universidade James Cook de Townsville constataram que apenas 7% da Grande Barreira de Coral da Austrália conseguiu escapar de um processo de branqueamento, provocado pelo aumento da temperatura da água, que expulsa as algas simbióticas que fornecem ao coral sua cor e seus nutrientes. O local, de 345.000 km², evitou por pouco entrar na lista de áreas ameaçadas elaborada pela Unesco. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia