Acompanhe nas redes sociais:

21 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 869 / 2016

01/05/2016 - 19:14:41

Meio Ambiente

Da redação

Belo Monte 

A usina hidrelétrica de Belo Monte (PA) foi obrigada a destinar R$ 126 milhões para mitigar seus impactos no meio ambiente, mas uma ação foi impetrada pelo Ministério Público Federal (MPF) e a Procuradoria Geral do Estado do Pará (PGE), porque a empresa destinou 72% desses recursos (R$ 92 milhões)  para o Parque Nacional do Juruena (MT) que está a 800 quilômetros do local, quando há outras unidades de conservação muito mais próximas que precisam muito mais desses recursos. Além da suspensão da compensação, a ação pede que um novo plano para destinação dos recursos seja elaborado e apresentado pelo Ibama, o Instituto Chico Mendes e o consórcio Norte Energia.

Rock in Rio

Um evento do Rock in Rio que vai acontecer em Manaus no mês de agosto tem como objetivo chamar atenção do mundo sobre o aquecimento global e o desmatamento na Amazônia. O Amazônia Live vai plantar 1 milhão de árvores na região durante os próximos três anos, como uma forma de contagem regressiva para o Rock in Rio 2017. 

Unesco 

A ONG WWF alerta num documento intitulado “Proteção dos homens preservando a natureza”, que sítios que integram a lista de Patrimônio Mundial declarada pela Unesco estão ameaçados por atividades econômicas. Entre os 229 sítios inscritos no Patrimônio Mundial, 114 estão afetados por atividades industriais e a Unesco não tem poder para obrigar os governos a protegê-los. Como último recurso, a ONU pode retirá-los da lista.

Gorilas do Congo

Um relatório da Sociedade de Conservação da Vida Selvagem (WCS) e da Fauna & Flora International revelou que o número de gorilas de Grauer caiu cerca de 77%,  por uma tendência ligada à mineração ilegal de coltan, um mineral essencial usado na produção de telefones celulares e eletrônicos, que vem sendo extraído no leste da República Democrática do Congo, lugar onde habita o maior número de gorilas existentes na terra.

Plantas da Amazônia 

Pesquisadores da Universidade Federal do Amapá investigam o potencial de plantas da Amazônia no controle de mosquitos no Brasil, em especial, o Aedes aegypti. O estudo analisa extratos vegetais e óleos essenciais das plantas e sintetiza as chamadas nanoemulsões (substâncias concentradas e que têm princípios ativos que podem matar larvas de mosquito ou afastar picadas de inseto). A pesquisa está em andamento há pelo menos 12 meses e a previsão é de que, com mais um ano, a equipe consiga chegar à formulação final desses produtos.

Desperdício 

127 milhões de toneladas de alimentos são desperdiçadas anualmente na região da América Latina. Essa quantidade de comida seria suficiente para satisfazer as necessidades alimentares de 300 milhões de pessoas, cerca de 37% das pessoas que passam fome em âmbito global. A região já trabalha para reduzir esse desperdício com o apoio da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO). Durante 2015 os governos estabeleceram uma rede de especialistas, uma estratégia regional e uma aliança regional para a prevenção e redução de perdas e desperdícios de alimentos.

Ventos na Dinamarca

Em 2015, 42% da eletricidade produzida na Dinamarca foi derivada da energia eólica. Durante 60 dias do ano, algumas regiões do oeste do país foram capazes de produzir mais do que conseguiam consumir. Os excessos de energia são vendidos para a Alemanha, Noruega e Suécia. A Dinamarca serve de exemplo para outros países, mostrando que é possível ter políticas verdes com fontes renováveis e alta segurança de abastecimento.

Microfazenda vertical 

A startup InFarm desenvolveu uma pequena instalação para cultivo de verduras e ervas, que garante alimentos orgânicos sempre frescos nos grandes centros urbanos. Semelhante a uma pequena estufa, a microfazenda foi apelidada de Kräuter Garten (jardim de ervas) e os clientes podem escolher à vontade suas próprias verduras e ervas colhidas diretamente do pé.  Segundo o site Fast CoExist, o programa piloto da InFarm opera há cerca de seis meses em Berlim e novas unidades devem ser fabricadas até o final do ano.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia