Acompanhe nas redes sociais:

21 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 868 / 2016

08/05/2016 - 19:47:57

Ernandi Malta disputa eleição do Sindicato da Assembleia

Servidor faz criticas sobre atual tratamento da Casa aos trabalhadores

João Mousinho [email protected]
Ernandi Malta e Djalma Pereira disputam a presidência e vice-presidência do sindicato

Na próxima segunda-feira, 25, acontece a eleição para nova diretoria do Sindicato dos Trabalhadores do Poder Legislativo de Alagoas (STPLAL). Três chapas estão na disputa, sendo que o atual presidente, José Luciano Vieira dos Santos, não irá concorrer à reeleição. 

O ex-presidente da entidade, Ernandi Malta, vai disputar a eleição como cabeça de chapa, tendo como vice Djalma Pereira. Para o candidato a independência do sindicato e reaproximação com a categoria é uma de suas principais lutas. “Hoje estamos com salários desvalorizados e uma série de progressão sem êxito. As coisas devem mudar”. 

Para Ernandi, uma das principais lutas caso sua chapa seja eleita é a valorização dos aposentados que com atual gestão ficaram esquecidos, além da criação do portal da transparência para que os sindicalizados tenham acesso os investimentos e gastos do Sindicato dos Trabalhadores do Poder Legislativo de Alagoas. 

Já o vice candidato, Djalma Pereira, destacou o importante apoio da presidente da Associação dos Trabalhadores Aposentados da Assembleia Legislativa do Estado de Alagoas, Dione Camerino. “Estamos juntos num único objetivo que é voltar a dar vida ao sindicato e buscar conquistas para os trabalhadores, por isso contamos com todos os servidores ativos e inativos”.

Luta por 

reajustes 

Servidores, sindicalistas e deputados representando a Mesa Diretora não chegaram a um consenso quanto ao pagamento da última parcela das datas-bases dos servidores, acumuladas nos anos de 2010 a 2014. Eles estiveram reunidos numa audiência de tentativa de conciliação num encontro no Tribunal de Justiça de Alagoas no início do mês. 

A proposta lançada pelo vice-presidente da ALE, o deputado Ronaldo Medeiros (PMDB), que esteve acompanhado do procurador-geral, Diógenes Tenório Júnior, foi rejeitada pelos servidores e agravou ainda mais a situação com a categoria. A proposta propõe a eventual implantação do benefício no prazo de cinco anos. Os 15% seriam pagos em cinco parcelas, sendo a primeira para o mês de dezembro do corrente ano, e as quatro restantes nos meses de dezembro dos anos subseqüentes. 

Ernandi classificou a proposta da Assembleia como “absurda” em que essa medida visa o desrespeito como os servidores do Poder estão sendo tratados na atual Legislatura. “Todos os avanços que conseguimos até hoje foi com muita luta, diálogo e até ações judiciais. Precisamos de uma categoria unida para pleitear nossos direitos”.

Para justificar a impossibilidade de avançar nas negociações o deputado Isnaldo Bulhões (PMDB), primeiro secretário da Casa de Tavares Bastos, disse que o Poder Legislativo Estadual tem sido alvo de várias ações judiciais, e isso tem afetado a questão financeira. Segundo o parlamentar, a implantação do reajuste tem um impacto de 50 milhões e representa 70% do valor orçamentário do Poder. 

Trem da alegria 

Ernandi confidenciou que o mesmo trem da alegria de cargos comissionados, hoje mais de 700, permanece na Assembleia. “É claro que não há dinheiro para os efeitos, aposentados, pois o mesmo ralo de dinheiro público existe no Poder”. 

O candidato expôs que a famosa GDE - verba de caráter indenizatória especial - vem sendo paga como anteriormente. “O caso foi levado para o Ministério Público Estadual, deputados sofreram sanções e tudo continua na mesma. Em 2015 o Poder tinha um duodécimo de R$ 184 milhões, hoje ultrapassa R$ 190 milhões. Se a ALE andar de forma correta poderá honrar os compromissos com quem realmente merece”, finalizou. 

A votação irá ocorrer na sede do sindicato, na Rua Dona Rosa da Fonseca, 81 Prado, em Maceió.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia