Acompanhe nas redes sociais:

20 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 868 / 2016

08/05/2016 - 19:38:54

SOS Alagoas

Cunha Pinto

Fisiologismo

É natural ante a crise que o País passa haver uma revoada de políticos  a bancada do governo.  E a mídia que  cobre área política  em Brasília  relata  os tempos do  PT  como o  de  “maior troca-troca partidário em  mais de uma década’. 

Fisiologismo 2 

Pelos números estatísticos divulgados pela BBC com base  levantamento  oficial  da  Câmara,   99 deputados  já trocaram de partido neste ano.  É algo em  torno de 19,3% dentre  os  513 “representantes” do povo na Casa.  

E tem mais    

Deputados  unidos ao Governo Dilma formam uma bancada na Câmara hoje de 107 parlamentares.  Supera época de Lula (95).  Mas um senão: neste início da  legislatura o  troca/troca  foi menor que  os  anteriores e decisões tomadas entre fevereiro e março. 

Para  relaxar  

Do livro do Casseta & Planeta,  edição antiga  mas  ainda de  texto  atualizado: “Computador é igual a mulher boa: todo mundo diz que gosta,  que entende, mas  poucos  sabem como  é que funciona, como mexe e onde liga”. 

“Quem explica? 

“Pré-anuncio de  Renan Filho  admitindo possibilidade de quitar  salários  dos  servidores  do Estado não convence”. Comentário é de lideranças dos servidores decepcionados com  hábitos antigos que ele combateu  na  campanha.  E estranham por ocorrer  em ano de eleições municipais.    

Pedaladas

Pedaladas fiscais no  Governo Dilma eram aplicadas desde 2013, mas já era prática com serviço de tempo real também entre os  antecessores  dela no Planalto.  Ainda segundo informação do  jornal Estado de São Paulo elas começaram a  ser corrigidas há pouco tempo. 

Bom momento    

 O Brasil vive hoje um  momento de expectativa, mas o que acontece em Brasília  serve como lição para se conscientizarem da importância do voto livre  em  outubro, nas eleições municipais e a ver mandatos de prefeito e vereador e quatro anos de validade.    

Teimosia

Advertência não falta mas o maceioense não dá atenção a elas sobre desleixos que favorecem  a proliferação do mosquito Aedes Aegpyt.  Principalmente  o  hábito de entulhar lixo doméstico  e água empoçada  a céu aberto. 

Diploma de Medicina 

A Lei 13.270/2016, aprovada  quinta-feira da semana passada (14) na Câmara Federal ganhou repercussão positiva entre os estudantes de Medicina no Estado. A lei  obriga uso da denominação “médico” nos diplomas dos cursos de Medicina mas exclui o  “bacharel em Medicina”. 

O objetivo

“Facilitar o reconhecimento, por outros países, de diplomas expedidos pelas faculdades de Medicina no Brasil. Essa questão tem a ver com outro projeto ( 179/2015),  aprovado  no  Senado em fins de março. 

Segurança  Pública    

“Ações da Secretaria da Segurança Pública no Estado  têm prós e contra na opinião de moradores, mas não é natural?” Pergunta tem resposta de agentes civis  como “natural” e  não incomoda. Uns até bricam: “Não são  esses habituais em atos fora da lei? “

Trabalho no trânsito

 O major Felipe Lins  (PM)  analisa como fundamental o BTran nas ruas. Dá como motivos das  operações,  “além de acidentes de  trânsito, a necessidade de  coibir atos criminosos” E  adverte motoristas habituais em dirigir irregulares: “O  Btran  faz em média 40 operações  de rua  por mês  só em Maceió”.  

Recesso parlamentar  

Na Assembleia Legislativa, na terça-feira, deputados começaram um rush  para apreciar  e votar projetos. Iniciativa é estendida às Câmaras Federal e de Vereadores  para  votarem  projetos também do  Executivo.  É  objetivo limpar pauta  antes de julho, início do  recesso parlamentar estendido até agosto.  

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia