Acompanhe nas redes sociais:

19 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 868 / 2016

08/05/2016 - 19:37:02

Meio Ambiente

DA Redação

Piscina do Amor 

Desde que a Piscina do Amor, na Pajuçara, foi transformada em zona de exclusão, a área de 42 hectares tem sido um suporte à reprodução e à alimentação da maioria dos organismos marinhos encontrados na região. A equipe de Gerenciamento Costeiro (Gerco) do Instituto do Meio Ambiente (IMA) de Alagoas esteve no local recentemente e percebeu um aumento considerável de peixes na área. Foram identificadas 33 espécies no trecho definido como zona de exclusão para diversos tipos de usos desde junho de 2015.

Tigres

O número de tigres em estado selvagem no mundo aumentou pela primeira vez em cem anos, graças aos esforços de preservação. Segundo dados do Fundo Mundial para a Natureza (WWF) e do Fórum Global do Tigre, o número avaliado de tigres selvagens subiu para 3.890, comparados aos 3.200 exemplares até 2010, quando os 13 países com populações de tigres (Bangladesh, Butão, China, Camboja, Índia, Indonésia, Laos, Mianmar, Nepal, Rússia, Tailândia e Vietnã) elaboraram um plano para duplicar o número desses felinos antes de 2022. 

Observatório 

Foi lançado no final do mês de março um site criado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) que reunirá documentos, pesquisas e notícias que tentem impedir restrições ao fumo no país. O objetivo do Observatório das Estratégias da Indústria do Tabaco é divulgar na internet ações da indústria tabagista que atrapalham a aplicação ou a criação de leis para regular o setor e deixar acessível para quem tem interesse em tentar ajudar a contrapor essas estratégias. 

Redução de 

desmatamento  

A estratégia brasileira para a Redução de Emissões provenientes do Desmatamento e da Degradação florestal (REDD+) foi estabelecida com a publicação da Portaria do Ministério do Meio Ambiente (MMA) nº 370, de 2 de dezembro de 2015. Seu objetivo é aprimorar o monitoramento e a análise de impacto das políticas públicas, no sentido de contribuir para frear o aquecimento global. A REDD+  é um instrumento que prevê incentivos financeiros em decorrência de resultados no combate ao desmatamento. O Brasil foi primeiro a receber pagamentos por resultados na REDD+ e as políticas de combate ao desmatamento e a fiscalização são os responsáveis pelo pioneirismo.

Vikings 

Historiadores canadenses exumaram uma pedra na ilha de Terra Nova e Labrador e sugerem que os vikings podem ter viajado à América meio século antes de Cristóvão Colombo, por volta do ano 1000. Os arqueólogos usaram imagens de satélite para observar uma possível atividade humana no solo do local. Após essa identificação inicial, os arqueólogos encontraram algumas pedras que podem indicar uma possível parede na época. Apesar disso, ainda não há evidências de que vikings realmente se estabeleceram no local, nem se outros povos também viveram na ilha. 

Ararinhas-azuis 

Está prevista para dezembro de 2017, a soltura de um bando de 20 maracanãs em período reprodutivo numa fazenda em Curaçá, na Bahia. A soltura marca o início de um projeto destinado a preparar terreno para o retorno definitivo das ararinhas-azuis, extintas na natureza há mais de 15 anos. As maracanãs foram escolhidas para essa fase de testes por serem as aves mais parecidas biologicamente com essas ararinhas, inclusive nos quesitos comportamento e alimentação. O projeto contará com a coordenação do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Aves Silvestres (Cemave/ICMBio), que atua no Plano de Ação Nacional para a Conservação da Ararinha-azul (PAN Ararinha-azul), aprovado em 2012. 

Corais

Os recifes de corais, que se distribuem por 3 mil quilômetros entre a costa do Maranhão e o Sul da Bahia, vêm sofrendo um rápido processo de degradação por causa das atividades humanas. Para reverter esse quadro, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) aprovou o Plano de Ação Nacional para a Conservação dos Ambientes Coralíneos – PAN Corais. Além de melhorar o estado de conservação, o PAN Corais visa ampliar a proteção e o conhecimento sobre esses seres vivos. Esse trabalho será coordenado pelo Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Marinha do Sudeste e Sul (Cepsul) e pela ONG Instituto Coral Vivo.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia