Acompanhe nas redes sociais:

20 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 868 / 2016

08/05/2016 - 19:32:42

Gabriel Mousinho

A denúncia de João Beltrão

Gabriel Mousinho

Fazia tempo que o deputado João Beltrão não abria a boca, nem mesmo na Assembleia Legislativa. Mas, na semana passada, não aguentou e denunciou um coronel da Polícia Militar e um tenente, que estariam participando de uma ´´máfia do guincho´´ entre Penedo e Pindorama, assacando contra ´´pobres trabalhadores rurais´´. Se não fossem informações do blog do Odilon, com certeza essa patifaria teria passado despercebido.

A denúncia se tornou mais grave ainda, porque ela foi feita justamente na presença do governador Renan Filho, que jamais pensaria de ouvir o que ouviu na solenidade. E mais: Beltrão envolveu o 11º Batalhão da PM. Foi um constrangimento geral.

O governador Renan Filho, que não esperava tamanha agressividade das denúncias, prometeu mandar apurar – não tinha outro jeito -. O denunciante e a população esperam que as providências sejam rápidas e que um resultado seja de pronto dado ao conhecimento público, principalmente por envolver uma instituição centenária como a Polícia Militar.

Que essa investigação não passe pelo corporativismo e nem tampouco que se passe a mão por cima. Afinal de contas a denúncia partiu de um deputado que conhece bem a região e seus costumes.

Salários comprometidos 1

O governo do Estado armou a estratégia de que pode parcelar salários dos servidores como vem acontecendo em outras unidades da federação e sepulta, pelo menos no momento, qualquer possibilidade de reajuste salarial. A indagação é: se corremos o risco de parcelar salários, como poderemos pensar em reajustes salariais?

Salários comprometidos 2

Do ponto de vista técnico até que é palatável o argumento, mas do ponto de visto prático, pouca gente vai entender esta solução extrema. O governo sabia que iria enfrentar resistência do funcionalismo e nada melhor que uma crise para dar um freio de arrumação. Resta saber se os servidores estaduais irão engolir a isca, com a argumentação de que é melhor receber o salário ou ter a ameaça do Estado não pode cumprir com os seus compromissos exigidos pela Constituição. 

De mal a pior

A saúde, como todos sabem, está um caos e o governo parece encontrar dificuldades de manter as unidades do Samu em pleno funcionamento. Várias unidades estão paradas por falta de manutenção e até combustível é coisa rara na instituição. O povo, como sempre, pagando o pato.

De fora

Mesmo com o seu partido fechando questão sobre o impeachment da presidente Dilma Rousseff, o governador Renan Filho se fez de surdo e mudo. Não deu a mínima opinião durante o momento de turbulência e nem mexeu uma palha com a bancada federal. Ficou em cima do muro, como antes a frase era atribuída ao PSDB.

Investigação da roubalheira 1

De um conhecido político alagoano sob a perspectiva do empresário João Lyra ter contas secretas no exterior: ´´deveriam mesmo era fazer uma investigação para saber quem roubou JL.

Investigação da roubalheira 2

Os comentários nos bastidores sociais são de que a família de João Lyra vai atrás da fortuna que se esvaiu nos últimos anos como num passe de mágica. Inclusive de doações milionárias para um seleto grupo de picaretas.

Fundo do poço

Depois de o deputado Cícero Almeida pular do barco com a rádio Jornal, hoje Globo, a emissora chegou ao fundo do poço. Há nove meses não paga os salários dos trabalhadores, não cumpre com suas obrigações com serviços terceirizados e agora teve lacrado os seus transmissores. Os trabalhadores pedem socorro.

Tendência do Senado

Do jeito que a banda toca no Senado, dificilmente a presidente Dilma irá escapar do afastamento. A pressão é grande com os senadores, tanto da Câmara dos Deputados como do povo de uma forma geral. Alguns senadores já admitem que o afastamento da presidente é apenas uma questão de tempo.

Descaso da Unimed 1

A direção da Unimed precisa exigir mais responsabilidade de seus funcionários. Uma senhora internada na UTI do Hospital da instituição faleceu por volta das 04:30 da manhã da última terça-feira e somente às 08:30 a família tomou conhecimento, assim mesmo porque um médico se deu conta de que a paciente não estava no leito. Uma vergonha e uma irresponsabilidade para uma instituição que se diz líder em saúde em Alagoas.

Descaso da Unimed 2

Além da falta de respeito em situações constrangedoras como essa, o atendimento de emergência da Unimed está pior do que qualquer posto de saúde na periferia da cidade. Os pacientes sofrem nas filas e passam horas para serem atendidos. 

Renan na fogueira

No primeiro depoimento depois da delação premiada, o ex-diretor da Petrobras, Nestor Cerveró, despejou uma série de denúncias contra o senador Renan Calheiros e o presidente da Câmara, Eduardo Cunha. Disse, entre outras coisas, de que os dois receberam 35 milhões de dólares de propina pela construção do navio-sonda da Petrobras através da Samsung. Renan e Cunha negam, mas as denúncias vão se avolumando na Lava Jato. 

Ele é candidato

O ex-governador Téo Vilela está arrumando os cacos da sua desastrada atuação política como governador, para tentar mais uma vez chegar ao Senado Federal em 2018. Ele esconde o jogo como é do seu costume, mas está decidido a fazer uma dobradinha para as eleições. Pode ser com Renan, de onde ele nunca se distanciou ou Benedito de Lira.

Pulo do gato

Como não pode concorrer ao Senado pelo PMDB de Renan Calheiros, Marx Beltrão aguarda uma nova abertura de janela política para pular o PSD, partido que ele comanda em Alagoas desde a saída de João Lyra.

Feijó na mira da CPI

Gustavo Feijó, prefeito de Boca da Mata que recebeu uma grana alta da Confederação Brasileira de Futebol – CBF para sua campanha e não declarada à Justiça Eleitoral, vai ter que se explicar na CPI do Futebol. Protegido pelo senador Renan Calheiros inicialmente, o Senado deu meia volta e está autorizando Feijó a ser interrogado pelos senadores. Vai dar zebra, confidenciam políticos da região.

Instalada a confusão

Depois de a Câmara aprovar o seguimento do impeachment para o Senado, deputados que votaram contra Dilma ainda estão indicando nomes para cargos federais em Alagoas. É o caso do deputado federal Marx Beltrão, que trabalha dia e noite para ficar com uma vaga no Senado em 2018.

Do outro lado

Mesmo sem ainda tomar posição sobre o processo eleitoral com vistas às eleições para prefeito de Maceió, o deputado Marx Beltrão já fechou acordo com Cícero Almeida para apoiá-lo. Isso faz parte da sua estratégia para chegar ao Senado nas próximas eleições.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia