Acompanhe nas redes sociais:

26 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 866 / 2016

10/04/2016 - 12:08:31

Taturanas em ação

Alari Romariz Torres

Quando pensamos que os deputados da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa Estadual estão quietos, surgem notícias alarmantes: a mais recente é um pedido feito à Justiça para deixar de pagar uma dívida do Imposto de Renda no valor de cem milhões de reais. Assustei-me quando soube que, durante anos, os sabidos parlamentares retiravam valores de nossos salários e não os repassavam a quem de direito. O Ministério Público entrou na Justiça e foram os deputados obrigados a pagar um milhão e setecentos mil reais por mês ao Poder Executivo (existe uma lei que assim determina).  

     Querem agora os moços da Casa de Tavares Bastos suspender a querela judicial e só retornar o pagamento de tão vultuosa dívida em dezembro de 2018. Aí, amigos, o dinheiro que iria para a segurança, saúde, educação, voltará para o duodécimo do Legislativo. O que eles farão com tão alto valor? 

     Nossa esperança é que o Executivo e o Judiciário não concordem com este acordo ridículo. Chega de usar indevidamente o dinheiro público!

Pensam que é só isso? Não. Agora as vítimas são os inativos da ALE/AL. De repente, mais que de repente, os deputados da Mesa Diretora “jogaram” os velhinhos no Alagoas Previdência e criaram uma lei dizendo: “A Assembleia repassa apenas 33% do empregado e empregador; o resto caberá ao Estado cobrir”. O governador vetou tal artigo e eles ignoraram o veto. O 1º Secretário (taturana) insiste em dizer que está certo e os outros Poderes errados. 

Suprimiram também os repasses das consignações dos pobres inativos, isto é, retiraram o dinheiro de nossos salários e não pagaram à Caixa Econômica, à Unimed, ao Sindicato. Não adianta gritar. Os aposentados que se “lasquem”!!!

     Ficarão com um milhão e setecentos mil reais do Imposto de Renda e 67%  do duodécimo dos velhinhos que por mais de trinta anos trabalharam na Casa de Tavares Bastos.

     Em compensação, remuneram com salários dobrados mais de 700 assessores, criaram mais 120 cargos comissionados e ainda colocam pessoas extras para trabalharem no Legislativo.

   Outras grandes dúvidas: Quanto ganha um deputado em Alagoas? Por que eles não aumentam o subsídio que deveria corresponder a 75% do de deputado federal? Será que cada parlamentar só recebe vinte mil reais de salário? 

  Foi contratada uma auditoria, cujo valor a ser pago seria de um milhão e meio de reais para descobrir tudo o que eles já sabem. É inacreditável.

Demitiram os prestadores de serviço, pessoas que já trabalhavam há mais de vinte anos na Casa e contrataram uma firma a peso de ouro. Dos antigos, poucos foram aproveitados.

Graças a Deus tem aparecido processos impetrados pelo Ministério Público (já apareceram dois).Esperamos que a Justiça obrigue esses homens a devolverem o dinheiro público que foi desviado e que sejam punidos por crimes de apropriação indébita e improbidade administrativa.

Ainda existem centenas de processos administrativos com o 1º secretário, devidamente engavetados. Há colegas com mais de 70 anos, vítimas de câncer, cardiopatia, hepatopatia e outros males, com salários cortados, pleiteando isenção de imposto de renda ou devolução de parte dos proventos subtraídos indevidamente. E o moço responde, rindo: “Vou resolver; aguardem”.

Parece que os deputados da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Alagoas vivem noutro país. Não acompanham o sofrimento da Dilma, o calvário do Lula e não observam que poucos políticos escaparão dos crimes de corrupção. Se consideram inatingíveis!

Espero que o Ministério Público, a Justiça alagoana e o próprio Poder Executivo não se deixem levar por acordos espúrios; olhem a luta dos servidores ativos e inativos da ALE/AL para terem seus mínimos direitos respeitados.

     Deus existe. Não duvidem!!!

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia