Acompanhe nas redes sociais:

21 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 866 / 2016

10/04/2016 - 11:34:35

Sururu

O paraíso de JL

1 - Agora é oficial: as usinas de João Lyra quebraram, mas ele vai muito bem, obrigado, e com muito dinheiro depositado no exterior. 

2 - Quem primeiro denunciou que o usineiro desviou recursos de suas empresas para contas em paraísos fiscais foi o próprio sobrinho – Tadeu Azevedo Pereira de Lyra – em reportagem publicada pelo jornal EXTRA em 2014, mas nenhuma autoridade  tomou qualquer providência. 

3 - Agora é público: João Lyra integra a lista de quase uma centena de brasileiros que têm contas secretas em banco suíço. A conta bancária foi aberta pelo escritório panamenho Mossack Fonseca, tido como a maior fábrica de “laranjas” do mundo.

4 - E mais grave: a conta secreta foi aberta em janeiro de 2009, logo depois que o Grupo João Lyra entrou em regime de recupe-ração judicial, deixando para trás milhares de credores e uma dívida que hoje passa de R$ 2 bilhões.

5 - Seis anos depois da recuperação judicial, o usineiro não pagou um centavo a ninguém e a Justiça decretou a falência do Grupo JL.

6 – Até hoje, a administração da massa falida – que já foi trocada várias vezes - não conseguiu sequer pagar aos trabalhadores, sem falar nas centenas de fornecedores e prestadores de serviços.  

7 - São mais de 10 mil famílias de trabalhadores que estão passando fome e sem ter para quem apelar. 

Ela sabe de tudo

A notícia de que o empresário João Lyra figura na lista dos homens com fortunas no exterior levantou uma lebre de que, mais cedo ou mais tarde, a Lava Jato vai descobrir a grana que está escondida em paraísos fiscais. Mas se a Polícia Federal quiser saber mais detalhes sobre o assunto, basta intimar a japonesa Sílvia Sacuno, que trabalhou com JL durante muitos anos, para que ela dê pistas sobre os dólares remetidos ao exterior. Sacuno, que andava transitando nos meios políticos locais durante a campanha eleitoral, também intermediava operações interna-cionais de repatriação de dólares e sabe direitinho quem é quem nessa área.

Os 165 deputados de Lula

Lula espalha que tem 200 votos contra o impeachment, diz Andréia Sadi, da GloboNews.

Na verdade, ele tem apenas 165, e está tentando comprar o resto.

Se ele conseguir 172 votos, o Brasil quebra. Não se trata de um exagero retórico: quebra de verdade.

Os deputados que provocarem essa calamidade serão perseguidos nas ruas.

Não só isso: eles perderão seus cargos quando Dilma Rousseff cair e Lula for preso.

Porque é isso que vai acontecer, independentemente do resultado do impeachment. (O Antagonista). 

Feijó na CPI

Vice-presidente da Região Nordeste na Confederação Brasileira de Futebol, o prefeito de Boca da Mata, Gustavo Feijó, terá de explicar na CPI do Futebol, em funcionamento no Senado, as doações recebidas pela CBF para sua campanha em 2012. A convocação foi aprovada na quarta (6) à revelia de parlamentares ligados à entidade.

Documentos obtidos pela CPI através da Justiça revelam que Feijó recebeu R$ 600 mil do caixa 2 da CBF durante a campanha para prefeito. A doação, contudo, não consta da prestação de contas apresentada por ele à Justiça Eleitoral.

 Xadrez de Rio Largo 

Com a renúncia de Toninho Lins, ao cargo de prefeito de Rio Largo, e a possibilidade de afastamento da prefeita Maria Eliza, a qualquer momento, o presidente da Câmara de Vereadores, Jefferson Alexandre, tem virado noites sem dormir. O motivo é simples: Ele assumiria o cargo imediatamente. O problema é que Jefferson também tem problemas com a Justiça. Ele e os demais colegas da Câmara foram presos em 2012. O Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc) denunciou os vereadores por falsidade ideológica, uso de documento falso, dispensa ilegal de procedimento licitatório e apropriação de bens em proveito próprio ou alheio, entre outros crimes. Se Jefferson Alexandre assumir a proble-mática cadeira de prefeito não poderá disputar a reeleição ao cargo de vereador. Seria um presente de grego.  

Doença do mandato

Deu a louca na Assembleia Legislativa de Algoas, com tantos deputados afastados para “tratamento de saúde”.  Alguns deles são vistos diariamente nos bares da cidade, enquanto a folha do Legislativo é onerada pelo salário dos suplentes. O Conselho Regional de Medicina precisa dar um basta nesse festival de licenças médicas graciosas. 

Chicana da Sefaz

Na semana passada a juíza Ester Manso mandou a Secretaria da Fazenda comprovar o cumprimento de decisão judicial transitada em julgado. A Sefaz não tem como comprovar. Não cumpriu a decisão da Justiça sobre o teto limite dos servidores. Vem enrolando os servidores e o Judiciário. Chegou a hora de constatar até onde vão a irresponsabilidade, ousadia e o autoritarismo do governo. 

Chicana da Sefaz 2

A situação gerada pela irresponsabilidade chega ao ponto de funcionários do mesmo cargo, no mesmo nível e com o mesmo tempo de serviço receberem salários com diferenças de até 30%.  A Sefaz, através da SEGESP, cumpriu alguns julgados e outros não. Mas tem a desfaçatez de ameaçar recorrer, não se sabe para onde; faz chicanas, assédio moral, fica de sacanagem, dá voltas, empurra com a barriga até aonde puder; não respeita ninguém.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia