Acompanhe nas redes sociais:

12 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 866 / 2016

08/04/2016 - 07:44:02

Rogério Farias está fora da Prefeitura da Barra de Santo Antônio

Juiz John Silas afastou o prefeito do cargo por 180 dias

João Mousinho [email protected]

O ciclo de impunidade no município da Barra de Santo Antônio pode ter chegado ao fim. Essa semana o juiz John Silas decidiu pelo afastamento de 180 dias do prefeito da Barra, Rogério Farias (PSD). Várias acusações de improbidade e enriquecimento ilícito são imputadas contra o chefe do executivo local. 

Com a decisão do magistrado, o vice-prefeito do município, Carlos Alexandre, tomou posse durante solenidade na Câmara de Municipal na noite de terça-feira, 5. Na oportunidade Alexandre destacou que a cidade passa por dificuldades administrativas, mas vai trabalhar para que os problemas sejam sanados. 

O caos social foi gerado na Barra de Santo Antônio, principalmente, em decorrências dos atrasos salariais do funcionalismo público. Uma das categorias que mais sofrem com o modus operandi da gestão do prefeito afastado e da ex-secretária de Educação, Tânia Sales, foram os professores.

Em contato com a reportagem do jornal EXTRA alguns educadores revelaram que o décimo terceiro salário nunca foi pago e que atualmente existe pelo menos três folhas em atraso. “Rogério brincou de administrar, ele não respeitava os professores, nem matinha diálogo, mas a Justiça prevaleceu e tomará que jamais ele volte administrar  nenhuma cidade, pois o único compromisso dele é com seu enriquecimento particular”, desabafou um professor.

COMEÇO DA 

DERRUBADA 

Ainda no mês de março o Ministério Público Estadual ajuizou uma ação por ato de improbidade administrativa contra o prefeito Rogério Farias e seus filhos José Rogério Cavalcante Farias Filho, ex-secretário de Finanças da Barra de Santo Antônio; Simony de Fátima Bianor Farias, ex-secretária de Saúde e pré-candidata a prefeita de Paripueira; e Joselita Camila Bianor Farias Cansanção, prefeita de Porto de Pedras.  A família é acusada de desviar recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e suspeita de enriquecimento ilícito. 

Um empreendimento milionário, a pousada Jirituba, do prefeito Rogério Farias, foi outro fato que chamou atenção do Ministério Público Estadual. Há indícios que a obra faraônica tenha sido construída oriundas de recursos públicos. 

Em 2012, Rogério Farias declarou na Justiça Eleitoral, quando concorreu a disputa pela prefeitura da Barra, um patrimônio de R$ 1.345.698,64 e dentre os bens declarados não constava sequer o terreno onde foi erguida a pousada Jirituba. O empreendimento fica à beira do Rio Santo Antônio e é de altíssimo padrão, contendo até um heliporto. Especialistas do ramo imobiliário avaliam que a Jirituba está avaliada em pelo menos R$ 5 milhões. 

EXTRA IN LOCO 

A edição 864 do jornal EXTRA trouxe um raio-x  das aberrações administrativas e o drama vivido por vários moradores da Barra de Santo Antônio. Escolas abandonadas, postos sem medicamentos e médicos e obras sem funcionalidade foram alguns dos temas que demonstraram toda incompetência administrativa do prefeito afastado e seus secretários. 

“Rogério chegou à Barra em 1993 como humilde cidadão que morava em uma casa simples. Hoje esbanja riqueza com barco de luxo e outros bens enquanto o povo passa fome e é abandonado pela prefeitura,” destacou o morador Anderson Barros, conhecido como Coitô, ainda na edição 864. 

TÂNIA NA 

MIRA DO MPF 

Já na edição 865 o semanário revelou a denúncia contra a ex-secretária de Educação da Barra de Santo Antônio, Tânia Sales. A chefe da pasta foi acusada no Ministério Público Federal (MPF) por realizar diversos depósitos indevidos na conta da servidora municipal Cleonice Maria C. Silva. O modus operandi pela secretária apontou mais uma forma de lesar o erário.  O dinheiro púbico era desviado e colocado na conta da funcionária laranja para lavar o dinheiro.

Segundo a denúncia encaminhada ao MPF, altas quantias foram transferidas para conta corrente do Banco do Brasil na agência bancaria 1139-8 de Cleonice Maria C. Silva. Uma única transação teria ultrapassado o valor de R$ 300 mil. As somas são robustas já que o Fundeb, comprovadamente, alcançou de R$ 7.701.897,41 apenas em 2015 na Barra de Santo Antônio. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia