Acompanhe nas redes sociais:

19 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 865 / 2016

08/05/2016 - 20:03:43

Repórter Econômico

JAIR PIMENTEL

Encerrando o trimestre

Assim como as pessoas jurídicas, as físicas também devem fazer o balanço do primeiro trimestre do ano, encerrado ontem. É para constatar se seguiu à risca o orçamento doméstico, com receita e despesa equilibradas e ainda deixando a parte principal: a poupança, que é uma reserva financeira destinada a alguma emergência. Os preços continuam diferenciados de um local para outro, o que exige uma intensa pesquisa, antes de comprar. E assim, vai seguindo o ano, sempre com disciplina e conformação com o o que ganha. 

Seguir um orçamento, é um exercício salutar. A família deve participar de tudo, consciente de que não se deve comprar por impulso, evitar o uso de cartão de crédito parcelado, cheque especial e sempre fugir dos juros e multas. É pagar as contas em dia, saber que o Brasil se encontra em recessão (queda na produção e desemprego), procurando preservar o seu, se aperfeiçoar cada vez mais, lutando para que a empresa em que trabalhe cresça cada vez mais, sem atropelar os colegas, na ganância por um salário maior, passando por cima de todos, querendo mostrar apenas ao chefe que é o melhor. 

Inadimplência

Ela cresce na proporção em que o devedor não é disciplinado, gastando mais do que o que pode gastar, comprando aleatoriamente, sem se preocupar com juros, multas e termina mesmo no fundo do poço, sem conseguir quitar o débito, que cresce exageradamente. É o caso do uso indiscriminado do cartão de crédito, que usa até mesmo para comprar alimentos e parceladamente. 

Inflação

Ela continua sendo controlada pelo governo, mas os preços aumentam, principalmente nos ítens: alimentação, material de limpeza, higiene. Faça pesquisa em vários pontos de vendas e só compre mesmo onde for constatado que tem um preço mais baixo. Também troque de marcas. Se o sabão em pó que você sempre usa, aumentou de preço, procure um similar mais barato, que fará o mesmo efeito e vai economizar alguma dinheiro. 

Juros

Continuam aumentando, até mesmo para quem quer fazer um financiamento imobiliário. Os bancos estatais, já estão com taxas semelhantes aos privados. Fazer um empréstimo de longo prazo, pode parecer que os juros são menores, mas não são. O cheque especial cobra juros elevadíssimos. Evite usar esse mecanismo de crédito, assim como o cartão de crédito, pagando apenas o mínimo exigido. O valor vai triplicando a cada mês. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia